Ultima Hora

Sinal dos tempos: VW começou a matar o motor VR6

Compartilhe!

Esta é uma notícia no mínimo triste para todos os entusiastas do bom desempenho, que apreciaram ao longo dos anos as virtudes do motor VR6 da Volkswagen. Com a sua retirada da linha do grandalhão SUV Atlas -modelo com foco no mercado americano- é o fim deste motor na América do Norte, porque ele não atenderá mais aos padrões de emissões. Deve-se dizer que o projeto deste motor único é antigo e é claro que ele não faz parte dos planos de eletrificação da VW.

por Ricardo Caruso

O VR6 é um seis cilindros, meio termo entre um motor em “V” e um seis-em-linha, que usa duas fileiras de três cilindros deslocados um do outro. O conceito era fazer com que esse motor de seis cilindros pudesse ser alojado em um espaço projetado para motor de quatro cilindros em linha (imagem abaixo). Ele apareceu pela primeira vez como um 2,8 litros no Passat B3 e no Corrado, antes de se tornar opção no Golf MK3 e na terceira geração do Jetta.

Em 2001, a Volkswagen introduziu uma versão de 3,2 litros que foi usada no celebrado Golf R32 e Audi TT. Foi também o motor que inspirou o épico Bugatti W16, que foi imaginado pela primeira vez como um W18 usando três fileiras de cilindros do VR6. Em 2006, o VR6 tornou-se um 3,6 litros em modelos Volkswagen e colocado em uso no Porsche Cayenne na versão de 3,2 litros e, em seguida, na versão de 3,6 litros. Depois de 2010, a Volkswagen começou a eliminar gradualmente o VR6, usando motores de 4 cilindros turbo, mas fez um retorno dele no SUV Atlas em 2017. O Atlas 2023 foi o último modelo a receber o VR6

O VW Atlas 2023 está disponível com o VR6, mas o recém-anunciado Atlas 2024 está equipado com um motor TSI turbo de quatro cilindros e injeção direta. Tem 269 cv de potência e 37,7 mkgf de torque. É quase tão potente quanto o VR6, mas produz mais torque em uma faixa mais ampla., além de gastar menos combustível e ser menos poluente.


Compartilhe!
1716434896