CarrosSlide

Toyota Century: mais exclusivo que Rolls-Royce

Compartilhe!

Toyota Century SUV visto 3/4 de frente

Vamos falar de carros de luxo? Rolls-Royce, Bentley,Toyota… Toyota!? Quando pensamos em alto luxo em automóveis, não é exatamente a Toyota que vem à mente, nem mesmo a Lexus, a sua marca premium. Poucos conhecem, mas há mais de meio-século o Toyota Century está disponível. Mas apenas para alguns. Isso mesmo, a Toyota tem um modelo que supera todos os carros do segmento de luxo em exclusividade. E o Century agora conta com um segundo modelo disponível, com o luxo se apresentando na forma de SUV.

por Ricardo Caruso

Toyota Century 2018
Toyota Century 2018, a terceira geração da luxuosa limusine

Se você acabou de levar um susto, junte-se ao grupo de todas as pessoas cm quem aconteceu o mesmo, mas é a pura verdade. O primeiro Toyota Century foi lançado em 1967 e desde então representa o topo do luxo japonês. Em mais de meio século, existiram apenas três gerações do Century, com a primeira produzida durante 30 anos e a segunda durante 20 anos. A terceira começou a ser produzida em 2018.

Um carro para chamar atenção.

Agora, o Toyota Century acaba de receber aquela que é, muito provavelmente, a sua maior novidade em todos os tempos: uma carroceria em formato de SUV. O novo Toyota Century —nome mantém-se igual ao do sedã— segue a mesma receita que esteve na criação dos SUVs Rolls-Royce Cullinan ou do Bentley Bentayga. No entanto, a sua produção continua seguindo o que dita os pergaminhos mais históricos da arte nipônica.

Comparado ao tradicional sedã de quatro portas, a altura deste SUV é superior em 30 cm (tem 1,80 metros) e a carroceria é ligeiramente mais larga, mas mais curta em 13 cm (5,2 m), quase todos centímetros extraídos da distância entre-eixos (2,95 m).

Toyota Century SUV detalhe da grelha frontal

A imponência continua mais do que garantida, uma vez que uma das filosofias que assinou o desenvolvimento do Toyota Century —seja SUV ou sedã-, é o de se fazer notar ao chegar ou ao sair de um evento. E essa notoriedade é reforçada pela Fênix que serve de símbolo a todos os Toyota Century e que representa a Casa Imperial do Japão.

Este é um dos raros automóveis que não é produzido pensando no lucro ou rentabilidade. Tal como é explicado pela Toyota, o Century está destinado a um “seleto grupo de pessoas que consegue demonstrar com orgulho tudo aquilo que o Japão representa”. Por causa disso, o desenvolvimento deste novo modelo foi totalmente feito em torno dos assentos traseiros. Afinal, a grande maioria dos Toyota Century não são conduzidos pelos seus proprietários e sim pelos seus motoristas.

Por isso, não causa estranheza o curioso fato de que as portas traseiras são muito maiores do que as dianteiras. Ao abrir cada uma delas, até um ângulo máximo de 75º, surge de maneira automática um estribo inferior, destinado a facilitar o acesso ao habitáculo.

Toyota Century SUV assentos traseiros

 

Confortavelmente instalado no interior, desnecessário dizer que o ambiente a bordo é caracterizado por um silêncio quase sepulcral, absoluto, totalmente desconectado de tudo o que se passa no exterior. E caso haja o desejo de mais privacidade, ao toque de um botão as janelas laterais deixam de ser transparentes e passam a opacas. A lista de mimos naquela área inclui geladeirinha, controles touchscreen e até uma calçadeira de sapatos. Os bancos, individuais, causam inveja no melhor dos assentos de primeira classe de aviões.

Até uma singela calçadeira de sapatos está presente no espaço traseiro.
Geladeirinha para refrescar a necessária garrafa de saquê,

Ao contrário do sedã, o Toyota Century SUV não vem equipado com um motor V8 híbrido, herdado do anterior Lexus LS 600h. Na busca de maior eficiência e menores emissões, os 2570 kg do novo Toyota Century são movimentados por um sistema híbrido plug-in, composto por um motor 3.5V6 a gasolina e um motor elétrico. A potência máxima combinada é de 412 cv.

A transmissão é feita nas quatro rodas e a Toyota diz que em modo 100% elétrico o SUV será capaz de rodar perto de 70 km. Considerando a especificidade e exclusividade desta proposta, o único detalhe a lamentar é o fato de não terem mantido a mecânica do sedã, mais alinhada com o status e proposta do modelo.

Este novo formato de carroceria foi tratado por meio de um trocadilho “como o novo Century (século, em inglês) para o novo century…”. No entanto, a sua aquisição não é algo tão simples como ir a uma concessionário, puxar o talão de cheques e fazer uma encomenda.

Toyota Century SUV 3/4 de traseira no exterior

Em primeiro lugar, apenas alguns concessionários da Toyota no Japão estão autorizados a aceitar encomendas de um Century. E para isso, terá de estar presente uma equipe de vendedores e técnicos exclusiva e preparada para acolher cada cliente. Isso se chama “personalização extrema”, nada de ficar empurrando filme nos vidros ou tapetinhos de borracha embutidos no financiamento…

Fácil de imaginar, cada Toyota Century é cuidadosamente configurado em função dos desejos e necessidades do seu futuro proprietário, com o auxílio de um consultor designado.

Toyota Century SUV jante

 

Depois do ritual de compra, todas as unidades deste modelo serão construídas apenas na fábrica de Tahara, no Japão, e não serão aceitas mais do que 30 encomendas por mês do SUV. Somando com o sedã de quatro portas, o limite é de míseras 50 unidades mensais. Os reduzidos números do Century fazem om que dos milhares de Rolls-Royce Cullinan e Bentley Bentayga produzidos anualmente se pareçam “carros populares”.

No Japão, o preço do Toyota Century SUV começa nos US$ 165 mil —bem abaixo dos concorrentes britânicos—, o que explica o fato de que o dinheiro não pode comprar tudo.


Compartilhe!
1716351553