Carros

Vem aí a Bugatti Mistral: 420 km/h!

Compartilhe!

A Bugatti está perto de completar o último de seus Chiron, após o qual a empresa começará a construir o Mistral, um roadster que usa a mesma plataforma do Chiron e destinado a ser o último carro da Bugatti alimentado pelo motor 8.0W16 quadri-turbo, que apareceu pela primeira vez no Veyron há quase duas décadas.

da Redação

A Bugatti apresentou o Mistral pela primeira vez durante a “Car Week”, em Monterey, California, agosto deste ano, e agora a marca divulgou que o carro será capaz de atingir velocidades superiores a 420 km/h (261 mph) em seu modo de condução “Velocidade Máxima”; é a velocidade com que o Chiron “normal” está limitado.

Alimentando o Mistral está a mesma versão de 1.578 cv do 8.0W16 reservada para modelos especiais, como o Super Sport 300+, e outros carros de baixo volume baseados no Chiron. Isso significa que o Mistral provavelmente atingirá velocidades muito superiores a 420 km/h, já que o Chiron Super Sport 300+ atingiu 304,8 mph (490,528 km/h) em 2019.

A Bugatti disse que planeja estabelecer o recorde de velocidade terrestre para um carro aberto de produção com o Mistral. O recorde é de 427,442 km/h (265,6 mph), estabelecido por um Venom GT Spyder, da Hennessey, em 2016, e a própria Hennessey provavelmente também estará nessa briga pelo recorde com seu novo Venom F5 Roadster de 1.817 cv.

De acordo com a Bugatti, manter o Mistral estável a tais velocidades será mais um desafio em comparação com o modelo de teto fixo Chiron Super Sport 300+. De acordo com Emilio Scervo, diretor tecnológico da Bugatti, controlar o fluxo de ar para que o resfriamento ideal e o equilíbrio aerodinâmico sejam alcançados -tudo isso mantendo a aparência elegante- é fundamental.

As soluções incluem o defletor de ar dianteiro estendido, elementos aerodinâmicos da carroceria e uma asa traseira ativa que fica recolhida quando não está em uso. Outra mudança fundamental é a grade de “ferradura” típica “Bugatti”; uma nova forma permite que o radiador do motor seja totalmente alimentado pela entrada central, deixando as duas entradas laterais focadas apenas em fornecer ar aos intercoolers.

Entradas de ar adicionais são encontradas nos faróis, projetados para canalizar o fluxo de ar ao redor do carro, e atrás dos apoios de cabeça, para alimentar o motor. O ar que flui por baixo do carro é guiado por canais que terminam em um difusor traseiro.

A Bugatti construirá 99 exemplares apenas, cada um com preço de US$ 5 milhões). As entregas começarão em 2024 e todos as reservas já estão preenchidas.


Compartilhe!
1713130877