Classic CarsSlide

Dodge: os conceitos mais fantásticos que já existiram

Compartilhe!

Pense bem: os carros-conceito são os modelos que todos nós gostaríamos de ter na garagem. Seja pela ousadia, seja pela exclusividade. Estes são carros feitos sob medida, com todos os detalhes mais interessantes possíveis, desenhos futuristas e, muitas vezes, os preços mais elevados possíveis. Um concept car pode custar alguns milhões de dólares, mas Infelizmente a maioria nunca chegam à fase de produção, e assim desaparecem para nunca mais serem vistos pelo público ou dirigidos (se forem funcionais), passando a eternidade em um showroom ou em um museu, ou abandonados em algum galpão.

por Ricardo Caruso

Embora a linha atual da Chrysler seja inegavelmente impressionante, mesmo nos estertores dos atuais muscle cars, são alguns dos carros conceito mais impressionantes da Dodge que realmente despertam -ainda- paixões pela marca. AUTO&TÉCNICA alguns dos carros-conceito da Dodge mais fantásticos que já vimos, sem nenhuma ordem específica. Qualquer um faria bonito na sua garagem.

A Dodge sempre esteve envolvida com a produção de excelentes automóveis, como vemos na linha 2023 disponível. Estes carros (e moto) – conceito, no entanto, são algo muito especial, e mostram as verdadeiras capacidades desta marca impressionante quando tem a oportunidade de exagerar brincar um pouco e passar do limite. Estes são os conceitos da Dodge que mais nos empolgaram e esperamos ver no futuro mais desse potencial. Mesmo que eletrificado…

Dodge Kahuna

Dodge Kahuna

Este carro estava pronto pronta para frequentar praias, e foi mostrado pela primeira vez em 2003. Tem detalhes de estilo das clássicas wagons com painéis de carroceria de madeira, populares entre os surfistas californianos e havaianos na década de 1960. Esta minivan tinha pintura da carroceria exterior azul claro (alusão ao mar…) com três fileiras flexíveis de bancos e espaço pronto para acomodar todos os seus melhores equipamentos de uso na praia. Os racks de teto eram perfeitos para transportar pranchas de surf, complementam o estilo de onde buscou inspiração, enquanto seu motor 2.4L turbo tinha 215 cv de potência, o que há 20 anos era um nível surpreendente de desempenho em um veículo tão divertido.

Dodge Copperhead

Se o esportivo Viper era cara, então a marca pensou num “Viper popular”. Construído para ser a versão mais barata e despojada do “irmão” esportivo, o conceito Copperhead realmente impressionou a todos com seu desenho aerodinâmico exclusivo que ainda conseguia manter a maior parte do estilo musculoso que tornou o Viper tão atraente. Originalmente mostrado em 1997, este modelo tinha a sugestiva cor Copper Fire Orange, ainda hoje extremamente atraente.

Como o Copperhead nunca foi feito para oferecer o mesmo tipo de desempenho bruto que o Viper, a Dodge projetou este modelo para ser muito mais centrado em torno de uma experiência de condução prazerosa, onde você poderia se deliciar pelas estradas da California ouvindo Beach Boys. Sua carroceria baixa e larga deu ao Copperhead excelente dirigibilidade, enquanto a suspensão mais firme e distância entre-eixos generosa deram ao motorista a sensação de segurança e conforto.

Dodge Zeo

Carros esportivos e veículos elétricos raramente se misturavam, mas hoje é diferente. Quando isso acontece, no entanto, os resultados podem ser bastante surpreendentes. Então, este carro era uma real visão do futuro próximo eletrificado.

O Dodge ZEO –ou Zero Emission Operation, Operação de Emissão Zero– era um carro elétrico, conceito de 2008 da Dodge mostrado no Salão de Detroit daquele ano. A marca reimaginou como um veículo elétrico poderia ser, e como ele poderia ser no geral. Com uma bateria de íons de lítio de 64 Kwh “capaz de rodar pelo menos 400 km com uma carga”, o ZEO tinha potência estimada de 268 cv e acelerar de zero a 100 km/h em menos de seis segundos. E tudo isso sem gastar uma gota sequer de gasolina e com emissão zero.

O ZEO também apresentava um desenho muito atraente, incluindo as portas estilo “tesoura”; o para-brisa incorporava o teto e se estendia quase até a traseira para dar aos passageiros uma ampla visão do céu. Para um carro-conceito musculoso e avançado em tecnologia, não se viu nenhum mais impressionante do que o Dodge ZEO, ainda mais considerando a época do projeto.

Dodge T-Rex 6X6

Em 1996, o mundo queria picapes grandes, e a Dodge, de forma clássica, atendeu a esse desejo da maneira mais marcante possível. Ostentando tração nas seis rodas e muito torque –distribuído entre os eixos dianteiro e traseiro duplo– bem como configurações de suspensão ajustáveis pelo motorista, esta enorme picape era capaz de oferecer quase 500 cv de potência e mais de 60 mkgf de torque. É chamado de T-Rex por alguma razão… Como convém a uma RAM, tinha tamanho e força para inibir quem está em volta. Como acontece ainda hoje.

Dodge Demon Roadster

Você já deve ter observado que a Dodge não brinca quando se trata de batizar seus carros veículos, como os T-Rex, Barracuda, Ram, Viper… São nomes fortes, que transmitem uma certa imagem e representam o objetivo dos Dodge. Com o conceito Demon (Demônio) não é diferente, um roadster infernal com o poder de competir com pequenos conversíveis esportivos, como Mazda Miata, Pontiac Solstice e Mercedes SLK. Foi mostrado no Salão de Genebra de 2007. Era a época da DaimlerChrysler, e é clara a base da Mercede SLK orientando o projeto.

Ostentando um motor 2.4 de 172 cv de potência e 22 mkgf de torque, este pequeno conversível de dois lugares era garantia de diversão pura, com excelente dirigibilidade, o que tornava sua condução um imenso prazer. Este conceito, muito ágil, foi realmente projetado para ser um carro de luxo ao alcance da maioria e, como resultado, o baixo custo de construção e desenho indicava que a Dodge poderia produzir este modelo no futuro.

Dodge Deora

Poucos conceitos da Dodge arrancaram tantos suspiros dos amantes de carros quanto a picape Deora. Construída na metade dos anos 1960 pelos mestres de carros personalizados Mike e Larry Alexander, a Deora nasceu a partir de uma picape Dodge A-100, tão modificada que desafiou corajosamente as convenções do estilo dos automóveis da época. Trazia uma cabine de aparência futurista, com uma única porta basculante de entrada dianteira construída a partir da tampa traseira de uma wagon Ford. Este conceito impressionante fez uma aparição ousada e chamou muita atenção no Detroit Autorama de 1967, ganhando-lhe nove prêmios, incluindo o prestigioso prêmio Ridler para modelos personalizados. A Chrysler gostou tanto que alugou a Deora por dois anos e a exibiu junto com seus outros conceitos.

O nome é um mistério: dizem que é um derivado de Debora (sem o “b”) ou da palavra espanhola para “ouro” (por isso sua cor dourada). Curiosamente, a Deora é também um modelinho de carro excepcionalmente popular na linha Hot Wheels, e fez parte da série inicial da marca.

Dodge Tomahawk

Dodge Tomahawk

Um dos conceitos mais impressionantes desta lista vem tem três ressalvas: 1) Jamais poderia ser usado nas ruas, 2) Não é um carro, é uma moto e 3) É uma moto de quatro rodas.

Estamos falando, claro, do conceito Dodge Tomahawk, uma supermoto inspirada na Art Deco, equipada com um motor 8.3V10 do Viper, com 560 cv de potência e 72 mkgf de torque. É isso mesmo que você pensou: um Dodge Viper disfarçado de motocicleta.

A Dodge afirmou em 2003 quando foi lançada que a Tomahawk seria capaz de atingir mais de 640 km/h (400 milhas por hora) mas, na verdade, essa criação única (apelidada pela Dodge como mais uma “escultura automotiva” do que uma motocicleta real e funcional) nunca foi realmente testada em termos de desempenho. Ninguém até hoje se apresentou para cronometrar a velocidade máxima… Mas, considerando seu impressionante estilo, com carenagem de alumínio e formas mecânicas para acentuar suas capacidades, também não é surpresa que a Dodge não quisesse correr o risco de danificar esta bela máquina. Entre 2003 e 2006 foram fabricadas 10 unidades.


Compartilhe!
1716569770