Blog dos CarusoSlide

ESPECIAL: os chineses que estão conquistando a Europa

Compartilhe!

Estima-se que até 2025 as marcas que vem da China já estarão vendendo cerca de 500.000 unidades de veículos na Europa. Além disso, outras 300.000 unidades também chegarão do país asiático, mas com o emblema de outras marcas estrangeiras, enquanto que, do Velho Continente, apenas 200.000 unidades serão enviadas para a China.

da Redação

É isso mesmo que você leu. A balança comercial que durante tantos anos favoreceu a Europa está mudando, e muito rapidamente, com os próprios fabricantes europeus muitas vezes dar “um tiro no próprio pé” ao abandonarem suas produções locais e não garantindo a sobrevivência das empresas e, portanto, abrindo mão dos postos de trabalho, levando a uma série de problemas.

Embora já existam muitas marcas chinesas vendendo na Europa, a verdade é que isto ainda não começou a sério e, em breve, veremos uma verdadeira revolução com soluções de mobilidade de qualquer tipo, com bons níveis de qualidade e a preços muito competitivos. Um exemplo claro é a MG com o ZS, oferecido mais barato do que um Dacia (Renault).

Para que você possa conhecer um pouco sobre os veículos que estão desembarcando na Europa, deixamos-lhe um breve resumo com as principais marcas e modelos. A lista mostra a situação do início de dezembro, e muda muito mais rápido do que os fabricantes locais gostariam. Para que essa situação aconteça também no Brasil, é apenas questão de tempo.

Aiways

Presente em diversos mercados europeus, tem dois veículos de estilo peculiar que conseguem chamar a atenção dos motoristas. Interessante é o preço e a relação bem estabelecida bateria/desempenho/custo, embora ainda seja uma marca muito desconhecida que precisa de um pouco de tempo para ganhar destaque.

BAIC

Sem um importador particularmente sério na Europa, é muito difícil conquistar o público, especialmente agora que não há carros por lá que possam ser classificado como pechincha. A Indimo comercializa na Alemanha esta marca que, por enquanto, não conta com o apoio do público, mas tudo pode mudar em breve.

BYD

A BYD é uma marca nova, já desembarcou no Brasil e têm feito as coisas muito bem por esses anos, mas esperaram talvez tempo demais para pousar em solo europeu, embora o façam agora com propostas de alta qualidade, boa autonomia e equipamentos de segurança testados e aprovados. Eles não têm nada a dever para fabricantes com muita história.

DFSK

Na Europa, por enquanto a comercialização destes modelos é feita sem grande sucesso. Além de não serem baratos, eles são um pouco obsoletos e carecem de equipamento muito desejados hoje, como compatibilidade com Apple CarPlay ou Android Auto, ou auxiliares de condução. Motores apenas a gasolina também não ajudam, com alto consumo e baixo desempenho. Mas os chineses aprendem rápido.

DR Automobiles

Todos estão de olho na DR Automobiles, que fez grande ofensiva de produtos e estão atingindo recordes de vendas mês a mês na Itália. Os últimos lançamentos, derivados da mais moderna e conhecida nossa Chery, estão chamando a atenção do público, por conta do equilíbrio bem-sucedido entre o que se paga e o que se leva (o famoso custo/benefício), e também carrega o selo ECO graças ao GLP).

EVO

A divisão de baixo custo da DR Automobiles funciona muito bem. Para ela são destinados os modelos mais veteranos ou quase superados, que com um “pacote” correto não inflacionam o preço com os elementos desnecessários para o público, que compra especialmente pelo preço. Simplicidade e conteúdo de custo, juntamente com motor a GLP que são populares na Itália e na Espanha garantem a simpatia do mercado pela marca.

FAW

No momento disponível apenas em alguns países, como Alemanha ou Bélgica, a aposta local da FAW não é interessante porque oferece um SUV compacto com motor turbo e nível de equipamentos corretos por pouco menos do que um equivalente custaria na SEAT, Peugeot ou Ford. Portanto, perde a possibilidade de capturar o cliente pelo preço e não tem nada de inovador como um todo.

Geely

Um enorme sucesso em países onde já está presente, como Israel ou China, o Geometry C parece estar pronto para muito em breve atacar a Europa, com preços vantajosos e sempre com motores elétricos. Será a escolha mais racional do Grupo Geely na Europa e um rival difícil para a MG.

Hongqi

No início, havia muitas dúvidas sobre a possibilidade de sucesso do e-HS9 na Europa, dado o seu alto preço (de cerca de US$ 100 mil), mas meses após o seu lançamento na Noruega, sua demanda excedeu as previsões mais otimistas e todas as unidades que chegam geralmente já têm um proprietário.

ICKX

A nova marca do fabricante DR Automobiles será focalizada no mundo off-road, com modelos BAIC-Jeep de grandes capacidades. Por enquanto só conhecemos o K2, que se destaca pelo seu desenho semelhante ao Wrangler mas com preço mais baixo, que deverá começar por menos de US$ 50 mil.

JAC

Velha conhecida dos brasileiros, por hora a JAC está presente en vários países europeus de maneira não oficial graças a importadores paralelos e à filial para Europa da XEV Motor. Não se sabe se por lá a JAC irá apostar em vender seus produtos mais novos, que nada tem a ver com os ofertados atualmente (e-S2/IEV7S, e-S4 e T8 Pick Up), demasiadamente datados. Alguns modelos da marca também são comercializados pela DR/EVO.

LEVC

A fabricante britânica tenta conquistar os usuários com o seu desenho retrô e uma oferta de mecânica peculiar. que aposta nos híbridos PHEV. Produzidos na China pela Geely, o ponto mais negativo desses modelos está nos preços, que são bastante altos para o segmento em que militam. A marca estava trabalhando em uma opção camper do TN5, embora no momento não tenhamos visto nada definitivo.

Lynk&CO

Também de propriedade da Geely, a Lynk & CO está indo muito bem com o primeiro SUV que comercializa na Europa. Sob o nome 01, todas as unidades que chegam são vendidas graças à tecnologia e serviços pós-venda compartilhados com a Volvo, e a preços muito razoáveis, considerando tudo o que oferecem em troca. Já está preparando a chegada por lá do 03 e do 05 (foto)

Maxus

Outra marca da SAIC que está aproveitando o bom momento sino na Europa é a Maxus, comercializando veículos comerciais e carros de passeio. Por enquanto, o Euniq5 chegou à Espanha, mas em outros países da região o interessante SUV Euniq6, com desenho atraente, já são vendidos. Olho no MIFA, que é uma minivan grande e luxuosa com a qual eles enfrentarão o Mercedes EQV.

MG

Sem dúvida, a empresa chinesa que está revolucionando o mercado é a MG. Está fazendo isso a graças a um nome -MG- que ainda está na memória dos europeus, e com preços imbatíveis, especialmente nos seus produtos a gasolina. Qualquer um de seus carros tem “pacote” de equipamentos completo, apresentação correta e preço mais baixo do que seus concorrentes.

Nio

O toque mais tecnológico entre as empresas chinesas é trazido pela Nio. Por enquanto, não estão disponíveis em toda a União Europeia, mas pouco a pouco chegarão. A Alemanha, os Países Baixos e a Suécia foram os primeiros a recebê-los e, em breve, também estarão disponíveis para venda na Dinamarca, França, Bélgica e Luxemburgo. O ET5 promete complicar as coisas, por exemplo, para o Tesla Model 3.

Rezar

Neste momento, a Ora aterrizou na Europa com o Funky Cat, que se destaca pela sua boa relação qualidade/preço, interior marcante, desenho e aparência exterior que combina ar retrô com toques modernos. É um carro realmente interessante,m que também goza de uma autonomia generosa se a opção for pelas versões com a bateria de 63 kWh. O modelo maior –na imagem acima– será uma das surpresas de 2023 para a Europa.

Polestar

Embora muitos acreditem que não é nada mais do que um Volvo elétrico, a verdade é que a Polestar é uma empresa chinesa que pertence ao Grupo Geely, como a marca sueca. É verdade que entre as marcas do grupo uma infinidade de peças, componentes e motores são compartilhados, mas cada empresa tem sua marca.

SERES

A empresa mais refinada da Dongfeng Motor concentra-se em veículos elétricos de conteúdo de médio custo (Seres3) ou caráter esportivo (SF). Estes últimos não têm nada a ver em conceito com os mais baratos, com preços elevados e apresentação cuidadosa, com materiais de qualidade que são acompanhados por volume de equipamentos acima das expectativas.

Sportequipe

A nova divisão esportiva da DR Automobiles promete produtos mais interessantes graças a um visual interessante, muitos equipamentos e mais motores de alto desempenho. Não sabemos a data exata para o lançamento de seus primeiros modelos, mas a maioria terá motores a gasolina ou híbridos, exceto o pequeno S1 que será elétrico.

SWM

A marca italiana nas mãos de um gigante chinês SWM tem no momento apenas o G01 e G01F à venda na Espanha, Alemanha e Bélgica. Por enquanto, eles não têm uma demanda particularmente alta, uma vez que não oferecem preços ajustados em relação à concorrência e fica dificil optar por um quando pelo mesmo preço é possível comprar um MG HS mais completo em todos os sentidos.

Voyah

A empresa de luxo por enquanto está presente na Noruega, mas em breve desembarcará na Holanda, Suécia e Dinamarca. Para vê-lo em outros países o consumidor terá que esperar alguns meses, mas esta proposta parece muito interessante para quem estiver procurando por um acabamento de alta qualidade, muitos equipamentos e um desenho inovador.

Wey

Outra das empresas do grupo Great Wall (que está se iniciando no Brasil e significa “Grande Muralha”) que chegou à Europa é a Wey. É uma marca de luxo, que em breve lançará o Coffee 1 na Alemanha, França e Bélgica, e pouco depois nos outros mercados. Além da cuidadosa apresentação interior, destaca-se pela autonomia elétrica do seu motor híbrido plug-in que ultrapassará os 140 km. É certamente um carro inovador no segmento.

XEV

Na Espanha, por exemplo, o modelo mais conhecido é o pequeno Yoyo, um quadriciclo leve que atinge 90 km / h de velocidade máxima e é ideal para uso urbano. Algumas unidades do EiV7S foram vendidas na Europa, embora não seja nada mais do que um JAC e-S2 com outro nome. Nesse caso, seu preço está correto e é por isso que não importa que seu desenho já esteja um pouco desgastado.

Xpeng

A empresa Xpeng entrou com alguma força na Noruega, mas pouco a pouco sua demanda vem esfriando, devido a prazos de entrega complicados, mais longos do que o habitual. Com o P5 poderia ter conquistado o público europeu, mas tem sofrido vários atrasos e não parece que possam enviar muitos carros para o Velho Continente nos próximos meses. O G3i é o mais antigo, mas ainda interessante por seu preço baixo.

Zhidou

Especializada em pequenos carros urbanos, tem dois lugares e pode atingir até 270 km de autonomia. Seu desenho é diferenciado e agradável, mas é muito caro e carece de elementos de segurança típicos de carros de passageiros, por isso, pelo mesmo preço, existem alternativas mais convincentes.


Compartilhe!
1713529559