Fim da linha para os motores diesel pequenos da VW

Agora é oficial. A Volkswagen vai mesmo deixar de lado seus motores diesel pequenos, trocados por unidades híbridas. Segundo a marca, a culpa disso são os enormes custos -que não param de subir- para adequar os motores diesel às cada vez mais duras regras para emissão de gases poluentes.

CAC50VWC022C121001

 

No Brasil essa notícia parece não ter a menor importância, mas na Europa, por exemplo, cai como uma bomba. O desenvolvimento do motor 1.5 TDI foi suspenso, e a sexta geração do VW Polo, que o iria estrear em 2018, não terá motores diesel. No seu lugar estará um novo conjunto híbrido a gasolina. Este motor diesel descartado fazia parte de uma ofensiva de pequenos motores da VW, tendo a versão a diesel do 1.5 TSI estreado na sétima geração do Golf.

Razões para esta mudança de planos residem nas cada vez mais rígidas regras para as emissões de CO2 e NOx, no encarecimento das soluções para atender às exigências cada vez mais duras das regras das emissões, à cada vez menor procura de motores diesel nos segmentos inferiores e, naturalmente, o escândalo das emissões, criado pela própria Volkswagen.

Desta forma, a VW tirou o foco dos motores diesel para os a gasolina de pequena cilindrada com ajuda de motor elétrico, os chamados “mild hybrid”. E a tudo isto vai atingir ainda o custo de desenvolvimento do sucessor do bloco 1.6 TDI (o EA827), absurdamente elevado. Estima-se que só em material para “limpar” o motor o custo tenha subido entre US$ 600 e US$ 800 por unidade, ficando o pós-tratamento dos gases de escapamento tão caros como o resto do motor. No caso do Polo, o sistema completo de tratamento dos gases poderia chegar a 25% do preço do carro. Naturalmente que a VW parou, também, a produção do bloco 1.4 TDI de três cilindros, desconhecendo-se quando é que ele irá desaparecer da linha Polo.

A VW não deu ainda prazo para acabar com todos os pequenos motores diesel, algumas fontes internas não dão mais de cinco anos até desaparecer da oferta do grupo motores abaixo dos 2 litros. Já o 2 litros parece ter o futuro garantido, pois daqui 18 meses surgirá a nova geração desse motor.

O futuro e a maior parte do investimento será direcionado para um novo conjunto híbrido muito semelhante ao que a VW já confirmou que será usado no Golf 1.5 TSI Evo Bluemotion, onde a tecnologia de 48 volts estará em destaque.

Tags:

 

Sobre o Autor

Mais posts por | Visite o site de RICARDO CARUSO