Lançamento: as novidades e preços do Renault Kwid 2023

Compartilhe!

Nem bem começou o ano de 2022, e a Renault já colocou um pé em 2023. Lançado em julho de 2017, o Renault Kwid ganhou uma atualização de meio ciclo de vida, como ano-modelo 2023. O modelo compacto, de entrada da marca francesa, recebeu alterações visuais, de conteúdo e mais potência no motor. Os ganhos foram muitos e a perda uma só: a versão mais barata Life deixou de ser oferecida. Desde sua chegada, seis anos atrás, vendeu 277.368 unidades (até dezembro de 2021). O modelinho foi importante para a Renault, pois trouxe clientes mais jovens para a marca.

por Ricardo Caruso

Renault Kwid Intense

A Renault evoluiu o Kwid. O compacto (que a marca insiste em rotular de SUV, por conta da altura do solo de 185 mm e dos ângulos de entrada de 24,1° e de saída de 41,7°, mais o  porta-malas com capacidade de 290 litros) recebeu novo visual na dianteira, como AUTO&TÉCNICA já havia antecipado. Na dianteira, o conjunto óptico passou a ser em dois blocos, com a adição de luz de diurna (DRL) em LED na parte superior. Abaixo, ficam os faróis alto e baixo e as luzes de direção, todos halógenos e não por leds; não há opção de faróis auxiliares em nenhuma versão.

A grade ficou mais larga e com frisos horizontais cromados na parte superior. Na lateral, o Kwid 2023 traz novas calotas e, nas versões top de linha, recebe pela primeira vez rodas de liga-leve, sempre de três furos. com acabamento diamantado nas versões Intense e Outsider. A traseira teve as lanternas redesenhadas com iluminação por leds, e nas extremidades do para-choque estão os refletores catadióptricos, os famosos “olhos-de-gato”. Outra novidade para o Kwid é o teto com pintura contrastando com a da carroceria na versão Intense.

No interior, o painel de instrumentos agora traz mostradores iluminados em LED. Todo o painel recebeu novo acabamento, com detalhes cromados e na cor preta brilhante ou cinza Cassiopée -de acordo com a versão- nas saídas de ar, moldura do novo sistema multimídia Media Evolution, nas molduras das fechaduras portas e na manopla do câmbio. A versão Outsider tem acabamento exclusivo, com pespontos em verde Citron nas costuras dos bancos e da coifa do câmbio.

A central multimídia é nova, Media Evolution, que oferece mais tecnologia e conectividade. A tela é de 8 polegadas, com espelhamento para celulares com os aplicativos Android Auto e Apple CarPlay, que permite replicar Spotify, Waze e Whatsapp na tela do multimídia, além do termômetro externo e sistema “Driving eco2”, que detecta como o motorista está dirigindo e oferece dicas que podem propiciar economia de até 20% de combustível de até 20%.

O motor do Kwid foi recalibrado. O 1.0 SCe (Smart Control Efficiency), de três cilindros, 12 válvulas (quatro por cilindro), duplo comando de válvulas (DOHC) e bloco de alumínio agora 71 cv de potência máxima com etanol, e 68 cv com gasolina a 5.500 rpm. O torque máximo também melhorou, agora é de 10 mkgf com etanol e 9,4 mkgfm com gasolina disponíveis a 4.500 rpm.

Entre as novidades introduzidas, recebeu sensor de fase do comando de válvulas, nova central eletrônica e novos ajustes. Antes, o mesmo motor com etanol tinha 70 cv de potência a 5.500 rpm e torque de 9,8 mkgf a 4.250 rpm. Ao utilizar gasolina, a potência era de 66 cv a 5.500 rpm e o torque de 9,4 mkgf a 4.250 rpm. O consumo de combustível (Inmetro) é de 15,3 km/litro com gasolina e 10,8 km/l com etanol. Na estrada, 15,7km/l (gasolina) e 11 km/l (etanol).

Com 3.680 mm de comprimento e 820 kg de peso, o Kwid é um carro bastante ágil no trânsito urbano. Com as mudanças do motor, a aceleração de zero a 100 km/h (com etanol) passou de 14,7 segundos no antigo para 13,2s no novo, de acordo com a marca.

Para auxiliar no melhor aproveitamento energético e economizar combustível, todas as versões do Kwid 2023 trazem a direção com assistência elétrica, sistema Start/Stop e sistema ESM (Energy Smart Management) de regeneração. O ESMK funciona assim: durante as desacelerações, quando o motorista retira o pé do acelerador, o motor continua girando sem consumir combustível. Nesse momento, o alternador automaticamente passa a recuperar energia e enviá-la para a bateria, que assim recupera sua carga sem exigir consumo de combustível. Assim, durante as acelerações, o alternador não precisa consumir energia do motor para enviar carga ‘à bateria, já que houve a recarga na fase de desaceleração. Este alternador é chamado pela Renault de “alternador pilotado” e garante, segundo a marca, redução de até 2% no consumo de combustível segundo a Renault, esse sistema garante um consumo até 2% menor.

VERSÕES E PREÇOS

O Renault Kwid 2023 Zen custa R$ 59.890. Entre os itens de série ele tem quatro airbags, ( dois frontais e dois laterais), controle eletrônico de estabilidade (ESP), assistente de partida em rampa (HSA), alerta luminoso e sonoro de não utilização do cinto de segurança de todos os ocupantes, sistema de monitoramento da pressão dos pneus (TPMS), painel de instrumentos com mostradores em LED, computador de bordo, ar-condicionado, rádio Continental 2 din (com Bluetooth e USB) com dois alto-falantes, travas elétricas das portas e vidros dianteiros com acioinamentos elétricos.

O Kwid 2023 Intense custa R$ 64.190, e acrescenta à versão Zen as maçanetas externas na cor da carroceria, cobertura dos retrovisores em preto brilhante, calotas Flex Wheel de 14 polegadas, retrovisores elétricos, chave tipo “canivete”, câmera de ré, Media Evolution com tela de 8 polegadas, comando satélite de áudio e lanternas com “assinatura” em LED. Nesta versão, como opcional, há pintura da carroceria em dois tons e rodas de liga leve diamantadas aro 14.

O Kwid Outsider custa R$ 67.690. Vem com os itens de série da versão Intense e ainda recebeu as barras de rack no teto, molduras de proteção lateral, bancos exclusivos com detalhes na cor verde Citron e rodas de liga-leve diamantadas aro 14. 


Compartilhe!
简体中文 简体中文 English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano 日本語 日本語 Português Português Español Español