CarrosSlide

Test Drive: Mercedes-Benz Sprinter 315 CDi

Compartilhe!

A Mercedes-Benz está comemorando os 25 anos do lançamento da Sprinter no mercado brasileiro. Lançado em 1995 na Alemanha, o modelo foi o primeiro veículo de transporte da Mercedes-Benz a receber nome próprio, que hoje identifica uma ampla linha. A chegada ao Brasil em agosto de 1997 -apenas dois anos após seu lançamento na Alemanha- marcou a introdução aqui do segmento de “Large Vans”, veículos comerciais de médio porte, com peso bruto entre 3,5 e 5 toneladas. AUTO&TÉCNICA avaliou a Sprinter 315 CDi, que chegou à linha 2023 ainda no início deste ano, com importantes novidades. A principal foi o lançamento do Street 315 CDI, que substituiu o 314 CDI nas carrocerias Furgão (a partir de R$ 249 mil) e Truck (R$ 236.900). Além disso, o utilitário estreou um novo motor, mais potente e com melhores números de consumo e emissões de poluentes.

por Marcos Cesar Silva

Fabricada na Argentina, a Sprinter veio suprir a necessidade de um veículo com boa capacidade de carga e passageiros, capaz de se movimentar com agilidade no trânsito pesado das grandes cidades e garantir facilidade de carga e descarga num cenário onde os caminhões tradicionais enfrentam dificuldades de operação. O modelo logo ganhou a confiança dos clientes e usuários e, com o passar dos anos, tornou-se parte da paisagem urbana brasileira. Mais de 180 mil unidades da Sprinter circulam hoje no Brasil.

Avaliar um utilitário desse porte é diferente de testar um modelo “normal”. De nada vale aceleração de zero a 100 km/h, velocidade máxima e retomadas de velocidade. O que vale é o conforto para o motorista, dirigibilidade, capacidade de tração e espaço para acomodar carga. As diferenças para um carro começam ao abrir a porte e literalmente subir para o interior. O acesso exige alguma habilidade, mas ao sentar-se ao volante, você quase tem a certeza de que está um automóvel. O volante é igual ao de outros Mercedes, o painel com acabamento impecável, no conhecido padrão da marca. Alguns minutos depois de se ambientar com o interior, partida acionado e é inevitável procurar o espelho retrovisor interno. Desperdício de tempo, pois ele não existe. Como a parede da cabine para o baú é fechada, e as portas traseiras também, não teria a menor utilidade. É preciso se habituar a usar apenas os retrovisores externos. Para manobras, a câmera de ré que projeta na tela do multimídia ajuda e muito.

Todos os comandos são um pouquinho mais pesados que os dos automóveis. Volante, pedais e, principalmente alavanca de câmbio, mostram que estão superdimensionados para a vida que terão pela frente. Os engates são precisos e corretos, o peso do volante adequado e a visibilidade para a frente ótima. No trânsito é preciso lembrar sempre que se está ao volante de um veículo de dimensões generosas. Como usamos a Sprinter sempre vazia, tinha bom desempenho, agilidade e era até divertida. Também é preciso cuidado em curvas mais fechadas, para não subir sem querer na calçada com as rodas traseiras.

Fiou a nítida sensação de grande eficiência e conforto para os usuários. A Sprinter, podemos dizer, é o “Mercedes-Benz” dos veículos comerciais dessa categoria…

Disponibilizada em quatro diferentes tipos –van para passageiros, furgão com vidros, furgão sem vidros ou chassi com cabine- a Sprinter conta com mais de 80 possibilidades de configuração que permitem escolher o modelo mais apropriado às suas necessidades. A linha vai desde as alternativas para transporte escolar, turismo, traslados, transporte urbano e fretamento, aos furgões para serviços de entrega e chassi com cabine voltados para o transporte de mercadorias. Entre outras utilizações estão as ambulâncias, veículos de segurança e motorhomes.

O Sprinter 2023 usa o novo motor OM654, que entrou no lugar do antigo OM651, prometendo maior eficiência. O motor 2.0 a diesel de quatro cilindros com turbo de geometria variável gera 150 cv de potência e 34,7 mkgf de torque, ou seja, é 5% mais potente e com 3% a mais de torque que o anterior, que gerava 143 cv e 33,7 mkgf, respectivamente.

A Mercedes-Benz garante que o Sprinter Street 315 CDI é 6% mais econômico na cidade e consome 11% menos diesel na estrada que o 314 CDI. Este novo motor também foi calibrado para atender as leis de emissões do Proconve L7, atingindo nota “A” nesse programa. O consumo urbano está pouco acima dos 10 km/litro de diesel.

Mudou o motor, mas o Sprinter 2023 manteve o câmbio manual de seis marchas, a tração traseira e as mesmas bem ajustadas suspensões. A lista de equipamentos de série também não sofreu mudanças e inclui controles eletrônicos de estabilidade e de tração com 14 funções, sensor de fadiga do motorista, assistentes de partida em rampa e de anulação de ventos laterais, e alerta de colisão que identifica veículos e pedestres à frente.

Três gerações

Lançada no Brasil em 1997, a Sprinter ganhou sua segunda geração em 2012, já equipada com sistemas de assistência avançados, como o pioneiro programa eletrônico de estabilidade, freios ABS e airbag para o motorista. Em sua terceira geração, a atual, a Sprinter oferece importantes recursos de segurança e conforto para o motorista e passageiros. Além do desenho interno ergonômico, conta com importantes funções e equipamentos de segurança ativa, como os já citados, mais câmera de ré e outros.

A Sprinter também traz ar-condicionado com controle digital, partida do motor sem chave, direção elétrica, volante multifuncional e sistema multimídia. O conceito do cockpit é ser o mais aproximado possível de um automóvel, para maior conforto do motorista. A interatividade é assegurada pelo sistema MBUX, com tela touchscreen de 7 polegadas, espelhamento de smartphones compatível com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto, entradas USB e conexão via Bluetooth.

O novo motor tem bloco de alumínio, com peso reduzido, e se caracteriza pelo funcionamento mais silencioso e com menos vibrações. Para melhor desempenho e durabilidade, os cilindros contam com revestimento NANOSLIDE, que diminui o atrito. Do ponto de vista ambiental, o motor OM654 também reduziu o índice de emissões com a adoção de sistemas de recirculação e pós-tratamento dos gases de escape.

A linha Sprinter nasceu com uma proposta flexível de uso, que se mantém oferecendo três versões básicas prevendo aplicações variadas: furgão, van e chassi com cabine. A terceira geração incluiu também o furgão vidrado, que possibilita uma ampla variedade de configurações para transporte de pessoas.

As opções de tamanho para os furgões são nada menos que 16. Os furgões Sprinter 314 CDI Street, 315 CDI Street e 416 CDI são oferecidos com três opções de comprimento: curto, longo e extralongo, e quatro de capacidade volumétrica, com 7,5 m³, 9m³, 10,5m³ e 14 m³.  Já o 516 CDI, com maior capacidade, tem versões com 14 m³ e 15,5 m³ e duas opções de distância entre eixos. Um dos grandes destaques das versões Street é poderem ser dirigidas por motoristas com habilitação categoria B. Vários “pacotes” de acabamento são oferecidos para cada modelo, multiplicando a diversidade à disposição dos compradores.

Maior ainda é o número de opções da Sprinter Van, que começam por cinco diferentes capacidades (passageiros + motorista): 9+1, 15+1, 17+1, 19+1 e 20+1. Somam-se a elas vários equipamentos, que incluem itens de conforto como ar-condicionado frontal e traseiro e assentos de luxo e recursos tecnológicos, como o piloto automático.

A linha inclui ainda a Sprinter Truck, chassi com cabine, que possibilita adaptações praticamente sem limites para as mais diversas finalidades. Há três opções básicas, com capacidade de carga de 3.500 kg, 4.100 kg e 5.000 kg, a primeira e a última com duas possibilidades de distância entre eixos. Todas as versões podem ter “pacote” Comfort ou Hi-Tech, e a Sprinter Truck 516 CDI, com maior distância entre eixos, conta também com o “pacote” Motorhome, voltado para essa aplicação, que tem como diferencial o assento do passageiro simples (nas outras versões ele comporta duas pessoas).

A Mercedes-Benz oferece aos compradores da Sprinter dois planos de manutenção. O primeiro cobre a manutenção regular e inclui mão de obra e itens como filtros de ar, óleo e combustível e troca do óleo do motor. Também é feita a verificação de mais de 25 itens para assegurar o perfeito funcionamento da van. Já o “Plano Completo”, por sua vez, acrescenta a esses itens a reposição de componentes de desgaste –como freios, embreagem, suspensão e óleo- por um custo fixo mensal.

O cliente da Sprinter também pode contratar a plataforma de conectividade “Vans Connect”, que permite configurar alertas de velocidade e trajetória, organização de rotas, localização do veículo em tempo real com visualização do trânsito e auxílio na recuperação do utilitário em caso de roubo ou furto.

A Sprinter tem um ano de garantia de fábrica, que pode ser ampliada por mais um ou dois anos com a contratação da “Garantia Adicional”, que pode ser ampliada para cobrir, além do powertrain, o sistema de injeção, sistemas elétricos do motor e do veículo, suspensão, direção, ar-condicionado e freios.

A Sprinter é comercializada por meio da rede de concessionários da Mercedes-Benz do Brasil, que conta com mais de 180 pontos em todo o País, onde os clientes encontram consultores de vendas preparados para entender a operação para indicar a melhor configuração de veículo dentre as mais de 80 possibilidades e também atendimento técnico capacitado e serviços de pós-venda. Além disso, a linha é atendida de forma exclusiva por oito “Van Centers” especializados nas grandes metrópoles: três no Rio de Janeiro, dois em Belo Horizonte, um em São Paulo, um em Fortaleza e um em Curitiba


Compartilhe!
1721265068