CarrosSlide

A caminho: Volkswagen GTI elétrico

Compartilhe!

A sigla GTI -na maioria dos casos- sempre foi reverenciada nos Volkswagen, e com razão. A boa notícia é que ela vai continuar a ser usada na marca, mesmo com a empresa tornando seus carros totalmente elétricos. O ID. GTI ainda é um conceito, mas a sua produção está confirmada. Quase meio século depois do primeiro Golf GTI, a Volkswagen mostra que estas três letrinhas mágicas podem ter futuro também na mobilidade elétrica.

por Ricardo Caruso

Volkswagen ID. GTI Concept 3/4 de frente

Esta notícia chegou por meio de Andreas Mindt, o chefão de desenho da Volkswagen, que revelou que “já tinha a versão GTI na cabeça quando desenhei o ID. 2All há alguns meses, porque é um carro com a filosofia que se encaixa perfeitamente nestas formas”.

Andreas Mindt é atualmente o diretor de desenho da Volkswagen

As versões esportivas dos elétricos da Volkswagen começaram por ser batizadas com a designação GTX, mas neste caso a letra “X” era associada à tração integral, proporcionada pela uso de dois motores elétricos, um em cada eixo. Mas o novo Volkswagen ID. GTI Concept é um hot hatch com tração apenas nas rodas dianteiras, que “recupera o conceito de condução esportiva com o caráter prático necessário para o dia a dia”, tal como referido por Thomas Schäfer, o diretor executivo da Volkswagen. Afinal, foi exatamente este o conceito por trás da sigla GTI, que estreou na marca há 48 anos, no Salão de Frankfurt.

Originalmente, a letra “I” indicava o uso de injeção de combustível, algo que os elétricos obviamente não têm. Agora, os marketeiros alemães explicam que a letra “I” significa… “inteligência”. Os tempos mudaram nestes quase 50 anos, e a cidade onde se realiza o mais importante Salão do Automóvel em na Alemanha também. Por causa disso, saiu Frankfurt e Munique será o palco da estreia mundial do Volkswagen ID. GTI, cuja produção em série já está confirmada. saiu o GTI e entrou o GTI.

Uma das mais conhecidas características de um VW GTI é a moldura vermelha que rodeia a grade, algi que este elétrico não tem. Por isso, há agora uma faixa vermelha imediatamente por baixo dos conjuntos de faróis em LED.

 

Abaixo do logotipo Volkswagen -iluminado em branco- está o para-choques de desenho mais esportivo, onde se destaca o spoiler inferior, as entradas de ar e os dois ganchos de reboque vermelhos. A silhueta do ID. GTI é marcada pelas bordas dos para-lamas e pelas mini-saias de maior dimensão em plástico preto fosco.

As rodas de 20 polegadas de diâmetro são posicionadas nas extremidades da carroceria, deixando a distância entre-eixos com 2,6 metros, num total de 4,1 m de comprimento. No entanto, as suas oito janelas são inspiradas num dos conjuntos de rodas disponíveis no Volkswagen Golf GTI original, na altura com a letra “P”. Eram as famosas rodas Pirelli.

No Volkswagen ID. GTI existem diversos traços inspirados no Golf GTI da primeira geração

Na traseira do Volkswagen ID. GTI destaca-se a grande asa em preto, com abertura próximo ao teto. Por baixo dela está inserida uma faixa luminosa em LED que serve de terceira luz de freio. O difusor do para´choque traseiro é em duas peças e igualmente negro, estando ladeado pelas extensões das molduras dos para-lamas, remetendo ao para-choque preto do primeiro Golf GTI.

O Golf GTI original ficou famoso pelo padrão xadrez dos revestimentos dos bancos e pelo volante de três raios com uma zona central de absorção de impactos. E claro, pela “bola do câmbio” com formato de bola de golfe.

Em 2023, o Volkswagen ID. GTI presta tributo ao pai de todos os GTI por meio de um airbag posicionado mais abaixo do que o habitual. Conta ainda com um marcador vermelho na posição central no alto do volante. Quanto ao comando do câmbio, este é agora um interruptor na coluna da direção. O tributo à bola de golfe da manopla do câmbio passou para o comando multifunções “GTI Experience”, presente na console.

Por enquanto ainda só tivemos acesso a estes desenhos do interior, o que permite prever grandes surpresas.

A instrumentação digital inclui uma tela de 10,9 polegadas e transforma-se no grafismo dos instrumentos do Golf GTI da primeira geração, caso seja escolhido o modo “Vintage”. Mas este concept também pretende, claro, ser inovador, e por isso também está presente um head-up display com realidade aumentada. Ele projeta informações no para-brisas, tanto para o motorista como para o passageiro da frente. No modo “GTI”, o passageiro até consegue ver o traçado do circuito onde se encontra, a posição na pista e os tempos por volta.

O clássico tecido xadrez também não foi esquecido, só que agora, chama-se “Jack-e” em vez do Jacky do modelo original

No centro do painel está um monitor touchscreen de 12,9 polegadas e, por baixo dele, há dois espaços destinados ao carregamento sem fios de smarthones.

Tal como no Volkswagen ID. 2all a partir do qual foi desenvolvido, o ID. GTI tem disponíveis 490 litros de capacidade no porta-malas. Há ainda 50 litros adicionais num espaço inferior, onde se podem guardar os cabos de carregamento ou pequenos objetos.

Até agora, nada se sabe sobre a potência do motor, bateria ou autonomia, o trio de informações imprescindível nos carros elétricos. Da parte dinâmica, a única informação disponível é a de que a Volkswagen está entrando num novo patamar de evolução dos seus sistemas de condução com interação eletrônica.

A presença do novo comando “GTI Experiences” -que lembra a antiga “bolinha de câmbio” no console, permitirá alternar entre diversos modos de condução e ajustar o funcionamento de vários componentes.

 

Além dos sistemas de propulsão, da recalibragem da suspensão e da direção, será possível personalizar a experiência sonora e até os pontos de troca de marchas, simulando o funcionamento dos históricos modelos com estas três letras no sobrenome.

A versão final do ID. 2All está prevista para chegar às ruas em 2025. Como já afirmamos, a produção do ID. GTI está confirmada e ele será o primeiro GTI 100% elétrico, mas é provável que chegue algum tempo depois.

Volkswagen ID. GTI frente 3/4

 


Compartilhe!
1716784194