Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

China dá bom exemplo: metade da frota oficial será de elétricos

Compartilhe!

Bom exemplo para o Brasil. O Conselho de Estado chinês decretou esta semana que metade da nova gigantesca frota de automóveis oficiais vai passar a usar energia renovável; até então, essa cota era de 30%.

electric_cars_electric_vehicles_72

O Conselho de Estado chinês decretou esta semana que metade da nova frota automóvel de alguns departamentos governamentais vai passar a usar energia renovável – anteriormente a quota era de 30%.

Esta decisão abrange “órgãos do Governo central, instituições públicas e algumas cidades”, pode ler-se no comunicado emitido pelo principal órgão executivo chinês e citado pela imprensa estatal.

Em 2015, as vendas de automóveis ‘mais amigos’ do ambiente na China quase triplicaram face ao ano anterior (para 331.100 unidades), de acordo com a Associação de Fabricantes de Automóveis da China (CAAM) com o governo a promover o uso de carros elétricos através de incentivos fiscais e do reforço do número de pontos de recarga.

Apesar do forte investimento nos recursos hídricos, eólicos e solares, cerca de dois terços da energia consumida no país – o mais populoso do mundo e maior emissor de gases poluentes – assentam no carvão.

Segundo a organização ambientalista Greenpeace, os níveis de poluição em quase 300 cidades chinesas excederam amplamente os padrões de qualidade nacionais no ano passado.

Esta decisão abrange “órgãos do Governo central, instituições públicas e algumas cidades”, conforme podemos ler no comunicado emitido pelo principal órgão executivo chinês e citado pela imprensa estatal.

Em 2015, as vendas de automóveis “mais amigos” (elétricos e híbridos) da China quase triplicaram em comparação com o ano anterior (indo para 331.100 unidades), de acordo com a Associação de Fabricantes de Automóveis da China (CAAM). Isso porque o governo promoveu o uso de carros elétricos por meio de incentivos fiscais e do reforço do número de pontos de recarga.

Apesar do forte investimento nos recursos hídricos, eólicos e solares, cerca de dois terços da energia consumida naquele país -o mais populoso do mundo e maior emissor de gases poluentes- abusam da queima de carvão.

Segundo a organização ambientalista Greenpeace, os níveis de poluição em quase 300 cidades chinesas excederam amplamente os padrões de qualidade no ano passado.

Fica aqui a dica para o governo brasileiro: só comprar veículos das montadoras para suas frotas se forem elétricos ou híbridos, com produção local. Em contra-partida o governo cria a infra-estrutura necessária. E só. Quem quiser participar, que se adeque às regras,

 


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español