Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Como a BMW evoluiu as chaves de seus carros

Compartilhe!

A chave de um automóvel já não possui apenas a função de abrir portas e dar a partida no motor de um automóvel. Mas nem sempre foi assim. Exemplo desta evolução são as chaves usadas pela BMW, que evoluíram ao longo do tempo, acompanhando o avanço da tecnologia.

0

Se até os anos 1950 estes pequenos objetos tinham apenas o objetivo de abrir e trancar as portas do automóvel (e depois de também dar a partida), mais tarde passaram a possibilitar a abertura de forma remota ou ligar o motor sem ter de introduzir a chave. Hoje em dia uma chave faz mais do que abrir ou ligar o veículo: pode mesmo estacioná-lo sem que o motorista esteja no seu interior.

No início dos anos 1950, as chaves eram pequenos pedaços de metal, que na década seguinte ganharam acabamento em plástico na sua parte superior. Mas serviam apenas para abrir e fechar o carro e ligar e desligar o motor. Embora simples, a BMW diz ter introduzido naquela época “pequenas alterações com o objetivo de melhorar o desenho, de modo a que fossem guardadas nos bolsos com maior facilidade”. Já nos anos 1980, a chave foi vista como um produto que também necessitava de uma abordagem Premium e, por isso mesmo,a sua base foi envolta numa pequena caixa, tornando-a mais compacta e fácil de transportar; foi quando surgiram as chaves-canivete. Foi também naquela década que o “keyless entry” se tornou característica relativamente comum no segmento de automóveis de luxo, característica que permitia abrir e fechar o automóvel de forma remota.

A partir dos anos 1990 começaram a surgir tecnologias que fazem da chave o objeto que hoje conhecemos. Até chegar ao desenvolvimento do sistema de ignição “push button”, onde a chave retangular era inserida num local próprio no painel, a tecnologia não evoluiu exponencialmente até ao sistema sofrer melhoramentos e evoluir para o que é hoje o Comfort Access System, por meio do qual o automóvel pode ser aberto e fechado com a chave no bolso, sendo apenas necessário tocar na maçaneta ou na porta do automóvel e ter a chave por perto, já que este sistema detecta a proximidade da chave , desbloqueando automaticamente.

Os últimos avanços, disponíveis pela BMW no esportivo híbrido i8 e na linha Série 7, fazem com que a chave passe a ser um objeto que controla não só as funções comuns do carro ou as básicas de climatização do automóvel, mas também permite a consulta do estado da carga das baterias em automóveis híbridos ou até estacionar remotamente o novo BMW Série 7. Tudo isto pela telinha LCD touchscreen incorporada na chave.

Fica a curiosidade: qual será o próximo passo?


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *