Última hora

Consumo: ar condicionado x vidros abertos

Compartilhe!

No calor do verão ou mesmo por razões de segurança, o ar condicionado no automóvel é o melhor amigo do motorista, mas isso vai ter algum impacto nos níveis de consumo. Na pior das hipóteses, em média 4 ou 5% a mais no consumo, o que é muito pouco diante do conforto que oferece. Mas, não é melhor ir de vidros abertos? Tudo depende…

por Marcos Cesar Silva

O ar condicionado é o principal aliado para combater as temperaturas mais altas, mas isso pode aumentar ligeiramente o consumo do veículo. Para funcionar, o compressor do ar condicionado precisa de energia, que é buscada no motor do carro —já existem compressores elétricos, poucos e caros, mas existem, que evitam isso- e consequentemente há um esforço extra do motor, que é justamente o que aumenta o consumo de combustível.

Em motores de baixa potência, o aumento do consumo de combustível pode ser de até 10%, sendo afetado por diversas causas. Nos trajetos curtos, por exemplo, encontramos as maiores diferenças de consumo com o ar condicionado ligado. E por que? Quando iniciamos um percurso, temos o hábito de colocar o ar condicionado em automático ou na sua potência máxima ou perto disso, para arrefecer o habitáculo mais rápido. Assim, nesse trajeto curto, os requisitos de consumo de energia do ar condicionado serão sempre mais elevados.

Em tempos de “vacas magras”, todo tipo de contenção serve para poupar, por isso, talvez o melhor é abrir as janelas do carro. Mas também aqui há um problema: a aerodinâmica do veículo. Ela é essencial para a estabilidade direcional do veículo e para reduzir o consumo de combustível, mas ao abrir os vidros ocorre a perda gradual da eficiência aerodinâmica.

Em velocidades mais elevadas, quando as forças aerodinâmicas têm maior impacto no carro, e por isso mesmo é onde verificamos as maiores diferenças no consumo do veículo tendo as janelas abertas ou fechadas. Parece confuso, mas não é. Imagine que roda em uma estrada a 120 km/h com os vidros abertos. Além de ser absolutamente desconfortável devido à turbulência gerada, a maior resistência ao ar vai obrigar o motor a um esforço extra para manter a mesma velocidade. E mais esforço significa maior consumo de combustível.

Não é fácil encontrar dados precisos sobre o quanto aumentam o consumo por circular com os vidros abertos, devido ao fato da eficiência aerodinâmica variar bastante de veículo para veículo. Mas nas raras medições que encontramos fica mais do que comprovado que circular com os vidros abertos em velocidades elevadas tem, por regra, impacto no consumos do que circular de vidros fechados com o ar condicionado ligado.

Aqui os mais nostálgicos vão lembrar de um equipamento que desapareceu dos automóveis por razões de custo, estilo e melhoria dos sistemas de ventilação interna: o quebra-vento. Era um recurso interessante, que direcionava ar para o interior do carro, podendo ser ajustado para maior u menor fluxo. Tinha impacto menor na questão aerodinâmica, mas foi eliminado, sendo uma opção para não precisar abrir os vidros. Existiram carros, com a VW Variant até o começo dos anos 1970, que tinha quebra-ventos também na traseira (foto abaixo).

Munido destas informações para minimizar o impacto no consumo na tentativa de acabar com as temperaturas senegalesas no interior do seu carro nos dias mais quentes, deixamos algumas dicas.

Antes de colocar o carro em movimento, o melhor é mesmo por começar abrir as janelas. Não é difícil o habitáculo do veículo registrar temperaturas de 10 a 20oC acima da temperatura do ar, e ventilar o interior abrindo as janelas ajuda a equilibrar a temperatura com a do exterior.

Se o trajeto for curto —em distância e/ou tempo —, e as velocidades praticadas baixas, talvez o melhor é mesmo não ligar o ar condicionado. Caso o ligue, é provável que nem chegue a sentir os seus efeitos antes de chegar ao destino, desperdiçando potência e dinheiro.

Se o trajeto for mais longo, após ter circulado alguns minutos com as janelas abertas, então sim, pode fechá-las e ligar o ar condicionado. E talvez nem seja necessário exigir tanto dele.

Como regra geral, caso esteja viajando por estradas ou vias rápidas, é mais eficiente andar com o ar condicionado ligado do que com as janelas abertas.

Uma questão a ser observada é a segurança. No Brasil, circular nas grandes cidades com os vidros abertos é um risco para a segurança dos ocupantes, já que os amigos do alheio estão sempre à espreita. Por isso, nesse caso não há com pensar em economia de combustível (e dinheiro), e usar o ar condicionado passa a ser obrigatório.


Compartilhe!
1713621299