SlideÚltima hora

Ferrari tem fila de três anos para as entregas

Compartilhe!

Recebeu uma herança? Entrou para a política? Se tornou um MC? Ganhou na loteria? Em qualquer dessas possibilidades de imediato você irá querer realizar o sonho de ter uma Ferrari na garagem. Mas isso vai demorar muito, cerca de três anos. É que a lista de encomendas da Ferrari está totalmente preenchida e quem quiser adquirir um modelo novo terá que esperar até 2026. Isto se correr tudo bem e não se verificarem mais atrasos. Ou então pagar ágio para ter um lugar mais adiantado na fila…

da Redação

A Ferrari é uma das marcas de automóveis com mais fãs em todo o mundo, porque está associada a desempenho elevado, status, prazer ao dirigir e ascensão social. Apesar da sua exclusividade, a marca conta com uma clientela fiel, que não hesita em investir num dos carros produzidos em Maranello.

Atualmente, apenas ter vontade e muito dinheiro não são fatores suficientes para ter rapidamente uma nova Ferrari na garagem, para matar seu cunhado de inveja. Na verdade, quem fizer uma encomenda hoje terá de esperar até 2026 pela entrega do veículo.

Quem confirmou isso foi o próprio chefão da Ferrari, Benedetto Vigna. durante a apresentação dos resultados relativos ao terceiro trimestre deste ano. O executivo explicou que as encomendas em carteira estão elevadas, e que a forte procura já levou a produção até 2025 a se esgotar. Isto significa que, na melhor das hipóteses, quem fizer uma encomenda hoje terá de esperar quase três anos para ter o carro.  

O ano de 2023 está sendo excelente para a Ferrari, que registrou aumento nas vendas de 5,3% nos primeiros nove meses, comparado com o mesmo período de 2022. Até o final de setembro, foram produzidas 10.418 unidades. Este número ainda é mais impressionante porque a Purosangue ainda está na fase de lançamento, e a produção deste SUV ainda não atingiu seu ponto alto estável na curva de vendas. Quando estiver plena, esta Ferrari deverá representar mais de 20% da produção.

Importante destacar ainda que, pela primeira vez, as vendas dos modelos híbridos foram superiores aos de combustão. Entre julho e setembro, mais de metade (51,3%) dos 3.459 veículos entregues tinham motorização eletrificada. Isso apesar de existirem sete modelos de combustão interna em toda a linha e apenas quatro híbridos.

Quanto à primeira Ferrari totalmente elétrica, a previsão é que deverá chegar às ruas no último trimestre de 2025. Curiosamente, o chefão dada marca afirmou que “em alguns processos o trabalho da equipe de desenvolvimento vai ser mais rápido que o previsto no calendário”. Até 2030, as projeções da Ferrari indicam que os híbridos representarão 40% das vendas anuais, os elétricos outros 40%, enquanto os veículos de combustão não irão além de 20%.


Compartilhe!
1716810653