Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Muito raro: Treser Audi Quattro Roadster

Compartilhe!

Há 40 anos, no dia 3 de março de 1980, a Audi revolucionou o mundo do automóvel e, em especial, o universo dos ralis, com a apresentação do Audi Quattro, no Salão de Genebra daquele ano. O Ur-Quattro, como é conhecido, veio da imaginação de Jörg Bensinger, após testar as funcionalidades do sistema de quatro rodas motrizes no Volkswagen Iltis, ajudado pelo fato da FIA passar a permitir automóveis de tração total nos ralis.



O Audi Quattro utiliza a plataforma do Audi 80, mas com formato cupê e que seria, depois, utilizado no Audi Coupe, que curiosamente foi lançado após o Quattro. A carroceria é muito semelhante, mas no Audi Coupe ela tem desenho menos agressivo, mesmo tendo sido equipada com uma versão de quatro rodas motrizes, mas sem turbo. Utilizava uma maior abrangência de motores, de quatro e cinco cilindros, com cilindradas de 1.6 a 2.3 litros.



Voltando ao Audi Quattro, o desenvolvimento do sistema, na época equipando um Audi 80, ficou a cargo de Walter Treser, que como veremos mais à frente, teve papel fundamental na produção de automóveis únicos com base em modelos Audi. O Quattro iria também marcar a história do automóvel, ao ser o primeiro modelo a consolidar o motor frontal com turbo e tração integral.

Inicialmente, o Quattro estava disponível com o motor turbo de cinco cilindros em linha, 2.144 cm3, um único eixo comando de válvulas no cabeçote e 10 válvulas, para produzir 200 cv e 28,5 mkgf de torque. Depois, em 1989, o motor cresceu para 2.226 cm3 e o cabeçote foi alterada, para receber dois comandos de árvores e 20 válvulas no total, para atingir a potência de 220 cv. Em 17 de maio de 1991, os últimos Quattro foram produzidos, para dar lugar a uma nova geração.

Entretanto, Walter Treser tinha saído da Audi e decidiu fundar a sua própria empresa, a Treser, para produzir automóveis especiais e exclusivos, com base nos modelos que melhor conhecia. Um dos seus sonhos sempre foi produzir uma versão conversível do Audi Quattro, algo que a direção da marca não concordava. Agora, com a sua empresa, Walter podia fazer então o modelo que sempre quis.

O Treser Audi Quattro Roadster, como foi rebatizado, foi apresentado no Salão de Frankfurt de 1983, sendo então a primeira conversão do Quattro em conversível, algo que outros preparadores fizeram nos anos seguinte.

O Audi Quattro Roadster da Treser estava equipado com uma capota hardtop em fibra de vidro, que nos primeiros exemplares eram operados manualmente, sendo preciso pressionar um botão para abrir a parte traseira e, depois, era preciso abrir duas travas e empurrar o teto para o porta-malas. Mais adiante, foi instalado um sistema automático, com atuadores hidráulicos, sendo só necessário liberar as travas.

Devido ao fato do teto ser grande, os bancos traseiros tiveram que ser substituídos por outros menores, e foram posicionados mais à frente, não sendo, por esse motivo, acomodar dois adultos na traseira. Walter Treser adicionou vários reforços à carroceria do Quattro, para compensar a perda de rigidez. Além disso, recebeu rodas TRX, pára-choques diferentes, alargamentos dos para-lamas mais pronunciados, suspensão esportiva e havia ainda a possibilidade de ser aumentada a potência em 50cv, passando assim para 250 cv.

A produção do Treser Audi Quattro Roadster durou até 1995, e nesse tempo foram produzidos 39 exemplares, com a grande maioria vendidos no Oriente Médio, Estados Unidos e Reino Unido, com alguns modelos produzidos com volante na direita. O exemplar que foi apresentado ao público foi o primeiro construído, o protótipo, pois tem algumas diferenças em relação aos restantes, como a cobertura do tejadilho quando recolhido e a asa traseira.

Nyitva a világra - Treser Audi quattro roadster – Oldtimer & Youngtimer

Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español