CarrosSlideTestes

Test Drive: BYD Song Plus DM-i

Compartilhe!

O nome é grande, BYD Song Plus DM-i, e identifica mais uma prova de que os chineses, em definitivo, aprenderam a fazer automóveis de qualidade. E esse processo foi rápido. O Song Plus é primeiro veículo híbrido plug-in da montadora chinesa BYD, a ser lançado no Brasil. Fundada em 1995, a sigla BYD é a abreviação de “Build Your Dreams”, ou “Construa Seus Sonhos”. O SUV médio está disponível em pré-venda desde setembro, e tem como missão ampliar a participação da marca no segmento dos híbridos. O preço é de RS 269.990.

por Ricardo Caruso

O Song Plus é novidade por aqui, mas já já existe no portfólio da BYD na China há sete anos. Lá a marca comercializa ainda uma versão elétrica pura, que não está nos planos para o Brasil ao menos a curto prazo. Hoje, somando a linha de híbridos com os elétricos, o Song é o carro mais vendido da marca no mundo. Foi lançado na China em 2015 apenas como Song, recebeu o primeiro facelift em 2018 e, em 2019, veio uma nova geração com o Song Pro DM na versão híbrida plug-in, e já em 2020 foi apresentado o Song Plus, mais longo, largo e baixo, além de oferecer melhor acabamento.

O estilo adota o visual de desenho que a marca chama de “Dragon Face”, o Song Plus é um SUV médio, com 4.705 mm de comprimento, 1.890 mm de largura e 1.680 mm de altura, com 2.765 mm de distância entre-eixos. É maior, por exemplo, que o Jeep Compass ou Honda CR-V.

Se por fora agrada e muito, por dentro o SUV surpreende. Acabamento impecável, materiais de qualidade, visual arejado, tudo bem iluminado e conforto para os ocupantes. O porta-malas tem 574 litros de capacidade, o que pode ser ampliado para 1.477 litros com os bancos traseiros devidamente rebatidos.

Entre os destaques, temos a enorme tela central giratória do multimídia, com 12,8 polegadas, do sistema de informação e entretenimento ; o painel tem revestimento de materiais com mais de um tipo de textura, exalando qualidade. Está equipado com câmera panorâmica de 360° e sistema de imagem que visualiza a parte baixa do SUV, abertura elétrica do porta-malas, acesso e partida sem chave, volante multifuncional e atualizações remotas de série.

Além disso, conjunto de áudio é de ótima qualidade e o sistema “DiPilot” tem mais de 20 funções de assistência ao motorista, incluindo cruise control adaptativo e alerta de troca involuntária de faixa e sistema ESP Bosch 9.3.

O primeiro contato que tivemos com o BYD Song Plus foi um test drive de São Paulo ao km 44 da rodovia Castelo Branco, com cerca de 120 km rodados em avenidas e estradas, com trânsito muitas vezes carregado. Suficiente para uma boa impressão até que possamos fazer uma avaliação mais completa do modelo.

Ao volante, tudo parece estar no seu devido lugar. Ergonomia correta, boa área envidraçada e ambiente moderno. Chama a atenção o excelente nível de acabamento e o baixo nível de ruído; na dianteira, o motor fica escondido por uma tampa que tem função fono-absorvente, e por conta disso o nível de ruído interno é baixíssimo.

Nas acelerações e retomadas, o SUV híbrido segue agradando. Trabalha bem e com suavidade do câmbio CVT acoplado ao motor elétrico, com o motor 1.5 litro de 110 cv de potência máxima, que com o motor elétrico de 179 cv, oferece 235 cv e 40,8 mkgf de torque, combinados. A bateria é de 8,3 kW, tipo “lâmina”, com função estrutural e fabricada pela própria BYD. Pode ser carregada por meio de tomada externa (com até 3,3 kW em AC), alcançando a carga completa em cerca de 2,5 horas. A regeneração de energia em frenagens e desacelerações também faz o carregamento, aliviando o consumo médio de combustível.

Nos trechos de curvas, comportamento tranquilo e neutro, mesmo perto do limite. Suspensões firmes -tipo McPherson na frente e multibraços na traseira- e bem ajustadas garantem o conforto e segurança necessários, dentro da proposta do carro, que não é a esportividade pura e simples. Esse tipo de SUV é para uso mais tranquilo e familiar, usufruindo do luxo e conforto que ele oferece. O sistema de direção com assistência elétrica é bem calibrado, leve em manobras de baixa velocidade e mais firme em velocidades elevadas.

É possível selecionar três modos de condução: EV, HEV paralelo e HEV série. O modo EV (de Electric Vehicle) é para baixas e médias velocidades onde apenas o motor elétrico está operando, com alcance de até 51 km. No modo HEV paralelo, o motor a combustão e o elétrico juntos impulsionam o veículo. E no modo HEV série, o motor a combustão aciona o gerador, que fornece energia elétrica ao motor elétrico.

Apesar de tanta tecnologia, e excelentes níveis de torque e potência combinados,, o desempenho traz bons números nas acelerações e retomadas, com o zero a 100 km/h em 8,5 segundos, mas a velocidade máxima não ultrapassa os 140 km/h.

O Song Plus DM-i é o primeiro modelo da marca a ser oferecido no Brasil com a mais atual tecnologia híbrida da marca. O motor elétrico desempenha a função principal de levar o veículo na maior parte do tempo, e o motor a combustão atua como um gerador que carrega as baterias. Isso explica-se pelo fato de que o motor elétrico é mais potente (179 cv) que o motor a combustão (110 cv); o mais comum nesse mercado é o motor a combustão ser mais potente que o elétrico. A BYD seguiu outro caminho, e seu híbrido está bastante próximo de um carro elétrico, sem a agonia constante de exigir atenção para a autonomia, como acontece com os elétricos num país sem estrutura para esse tipo de veículo como o nosso.

BYD Song Plus DM-i 2023
BYD Song Plus DM-i 2023
BYD Song Plus DM-i 2023 - retrovisor externo
BYD Song Plus DM-i 2023 - rodas de liga leve

Durante o evento de apresentação, a BYD divulgou uma viagem do SUV do Espírito Santo a São Paulo sem nenhuma parada para recarga. Ao todo, o Song Plus percorreu quase 1.100 km com um único tanque de combustível, o que deixa claro a ótima autonomia combinada (motor a gasolina + motor elétrico). Na estrada, o computador de bordo indicou várias vezes consumo de 21 km/litro.

Ainda durante o lançamento do BYD Song Plus híbrido plug-in, que custa R$ 269.990 como já vimos, a marca chinesa também apresentou o Yuan Plus, SUV um pouco menor que o Song Plus e totalmente elétrico, que será vendido exatamente pelo mesmo preço. Ou seja, a escolha do tipo de propulsão é toda do cliente. 

O Song Plus, é um modelo com preço mais baixo do que os principais concorrentes híbridos plug-in à venda no Brasil e oferece bom nível de tecnologia híbrida, eficiente e com baixo consumo, bom nível de qualidade e conforto. Basta seduzir o comprador e faze-lo conhecer a marca e seus planos para o Brasil


Compartilhe!
1716354828