Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Chefão da Fiat pede: “não comprem o 500 E”

Compartilhe!

2013 Fiat 500e

Normalmente, se alguém dissesse que  o CEO de uma marca de automóvel está pedindo para que ninguém compre um carro da sua marca, todos teriam certeza de que este homem estava prestes a ser demitido ou que tinha chegado ao limite de sua sanidade mental. Mas, apesar de normalmente os chefões das marcas procurarem vender sempre mais, o CEO da Fiat acaba de fazer exatamente o contrário, pois pediu aos clientes para não comprem o modelo híbrido 500 E. E com razão, afinal cada unidade vendida representa prejuízo de quase R$ 28 mil para o grupo.

Fiat-500e-interior-instrument-cluster-closeup

“Se você está pensando em comprar um Fiat 500 E, espero que não chegue a realizar a aquisição, pois cada vez que vendo um, isso me custa mais de US$ 14.000 (aproximadamente R$ 28 mil)”, afirmou Sergio Marchionne. O todo poderoso da Fiat Chrysler Automotive (FCA) afirmou também que a única marca que está tendo lucro com os veículos elétricos é a Tesla, e apenas devido ao elevado preço de venda dos seus modelos.

lead6-2014-fiat-500e-fd

Desde 2011 era de conhecimento público que o Fiat 500 E se tratava de um péssimo negócio para o grupo, embora na época os valores negativos que cada unidade representava para a marca estivessem avaliados em US$ 10 mil, valor que mostrou estar errado em cerca de US$ 4 mil. Marchionne apenas não explicou se o prejuízo se deve aos elevados custos de produção ou ao baixo preço do automóvel (o que seria resolvido com o fim de produção do modelo), ou ainda se pelo enorme custo de desenvolvimento (que poderia ser absorvido com um aumento da produção).

 


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español