Ultima HoraVídeos

Com este vídeo, a Ford se despede do Fiesta

Compartilhe!

Desde 1976, o Ford Fiesta vem rodando pelas ruas e estradas do mundo -no Brasil desde 1995- e, depois de sete gerações, chegou a hora de dar adeus. Isso mesmo, a marca do oval azul vai encerrar a trajetória de 47 anos do eficiente carrinho.

por Marcos Cesar Silva

Depois de terminar com o Escort, Ka, Taurus, Mondeo, Fusion e tantos outros, o Fiesta será o próximo a ir para a guilhotina da marca. As baixas vendas do modelo e a demanda histérica por SUVs, mais as rigorosas regulamentações de emissões, fizeram com que as marcas abandonassem determinados segmentos em busca de outros que, mesmo com menor demanda, trazem maior rentabilidade. Resumindo, estão abandonando os carros populares, ou quase, e fazendo carros para ricos.

Curiosamente, em março de 2017 o Ford Fiesta foi o carro mais vendido na Europa e agora, cinco anos depois, o modelo é simplesmente retirado do mercado.

Ford Fiesta substituto puma EV

Agora, a Ford confirmou oficialmente que o Fiesta deixará de ser produzido em junho de 2023. Um dos modelos mais antigos do portfólio da empresa será substituído por uma versão totalmente elétrica do Puma, que será fabricado na Alemanha, a partir do próximo ano.

À venda há 47 anos e após sete gerações, o Ford Fiesta, lançado em 1976 e dos quais mais de 18 milhões de unidades foram vendidas em todo o mundo e que foi fabricado em pelo menos 13 países, entrará para a história.

Confira o vídeo emocional deste anúncio:

NO BRASIL

A história do Fiesta no Brasil começou em 1994. A marca não passava por um bom momento, com o fim da Autolatina. Estava com uma linha desatualizada de produtos e para começar voltar à vida trouxe o Fiesta espanhol, que estava em sua terceira geração e que foi apresentado para o público durante o Salão de São Paulo daquele ano; começou a ser vendido em 1995.

Foi apenas para aliviar o estoque na Europa, pois a marca já trabalhava na quarta geração para aquele mercado, ao mesmo tempo em que o governo brasileiro elevou a alíquota de importação de 32% para 70%, e isso inviabilizou de vez sua importação -e de todos os outros carros- por mais tempo. Assim, em 1996, a produção da quarta geração foi iniciada em São Bernardo do Campo (SP), que teve até uma picape, a Courier, lançada em 1998.

A quinta geração foi apresentada em nível mundial em 2002 e chegou ao Brasil em 2003, passando a ser produzida em Camaçari (BA). Foi acompanhada do Fiesta Sedan em 2004. A sexta geração desembarcou no Brasil em 2010, importado do México e batizada de New Fiesta. Chegou primeiro com a carroceria sedã, enquanto o hatch foi lançado em 2011 e nacionalizado em 2013, quando começou a ser montado em São Bernardo, só no modelo hatch; o sedã seguiu importado do México.

O mercado mudou, a Ford divulgou mal seu carro e o Fiesta perdeu espaço. O auge foi em 2013, quando vendeu 166 mil unidades. As reclamações sobre a trágica transmissão Powershift e a chegada da terceira geração do Ka em 2014 decretaram brutal queda nas vendas do modelo, que só vendeu 16 mil unidades em 2018.

Sua trajetória no Brasil, iniciada em 1994, acabou sendo encerrada em 2019, quando a Ford decretou que que fecharia a fábrica de São Bernardo.


Compartilhe!
1702086513