Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Genovation GXE, o Corvette que trocou o V8 pela eletricidade

Compartilhe!

No Consumer Electronic Show, em Las Vegas, houve espaço para tudo nessa versão 2018. TVs fantásticas, smartphones de sonho e até a apresentação do Genovation GXE, um Chevrolet Corvette que trocou o V8 por motores elétricos. Isso se chama “sinal dos tempos”.

O Chevrolet Corvette dispensa apresentações e é o sonho de muita gente desde 1953, quando foi colocado no mercado. Ainda recentemente foi mostrado o Corvette ZR1, o mais rápido e potente de todos os tempos, com 765 cv de potência e quase 100 mkgf de torque.

Mas surge agora um novo candidato ao trono de “Corvette mais rápido”. Na mostra de tecnologia foi exibido o Genovation GXE, que chegou a Las Vegas com números de respeito: 811 cv, 94 mkgf (a partir de zero rpm), menos de 3 segundos no 0-100 km/h e 354 km/h de velocidade máxima.

Não é um Corvette preparado (isso é para o SEMA), mas podemos afirmar que se tratar de um Corvette reinventado. Fica de fora fica o tradicional motor V8, que é a imagem de marca do Corvette, e no seu lugar o Genovation GXE vem com dois motores elétricos, mantendo a tração traseira do modelo.

 

O mais curioso é que os motores elétricos não se encontram junto ao eixo traseiro, e sim debaixo do capô, no lugar do V8 na dianteira, com a transmissão para as rodas traseiras sendo feita de forma idêntica ao que acontece no Corvette “comum”, ou seja, por meio de uma das duas transmissões disponíveis no modelo: caixa de câmbio automática de oito velocidades ou, melhor ainda, manual de sete velocidades.

Isso é muito diferente dos outros elétricos que, em geral, não trazem caixa de câmbio. Ao invés disso, apresentam apenas uma marcha, pois com a disponibilidade constante de torque permitida pelos motores elétricos, a caixa de câmbio torna-se desnecessária.

Os responsáveis pela Genovation, quando questionados pelas razões pela manutenção do mesmo sistema de transmissão do Corvette, responderam que a decisão prendeu-se ao fato de garantir ao máximo as características de condução do Corvette C7, apreciadas pelos seus proprietários.

O Genovation GXE traz cinco conjunto de baterias, com capacidade máxima de 61,6 kWh, distribuídos pelo carro de modo a otimizar o equilíbrio e distribuição de peso.

Se nos países civilizados o valor mais significativo num carro a combustão é cada vez mais suas emissões, num carro elétrico esse valor ainda é o da autonomia. Tratando-se de um esportivo de alto desempenho, temos a impressão de que os 281 km de autonomia anunciados sejam possíveis quando extraímos todo o potencial do GXE. Para rodar tudo isso, você precisará dirigir com uma freira.

O peso continua sendo um dos principais problemas a ser contornado nos carros elétricos. Apesar da Genovation garantir distribuição de peso próxima da ideal 50/50, o GXE atinge 1859 kg. Como comparação, o Corvette ZR1 fica nos 1614, exatos 235 kg a menos.

Apesar dos quilos a mais, isso não deverá ser impedimento para se tornar o carro elétrico de produção com a maior velocidade máxima, recorde que já pertencia à Genovation com um Corvette C6 elétrico, que atingiu os 336 km/h. 

Genovation GXE

O Corvette é conhecido por ser um dos esportivos mais acessíveis, com uma relação imbatível custo/desempenho. Mesmo o ZR1 custa, nos Estados unidos, “apenas” US$ 120 mil, uma pechincha considerando o que anda, capaz de rivalizar com a exótica aristocracia europeia da categoroa, que custa duas, três ou até 10 vezes mais.

Em relação ao Genovation GXE, dificilmente o podemos definir como pechincha. Será feito em apenas 75 unidades, cada uma por US$ 750 mil. Independente do que justifique esse preço, é um valor assustador. Com um ZR1 eu já estaria feliz da vida… 

 

Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español