Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Luto na Fórmula 1: morreu o tri-campeão Jack Brabham

Compartilhe!

i

Jack Brabham, o primeiro e único piloto a vencer o Campeonato Mundial de Fórmula 1 ao volante de um carro com o seu nome, faleceu com 88 anos. Brabham foi um dos maiores pilotos da história da Fórmula 1, três vezes campeão mundial. Nascido em 2 de abril de 1926 em Hurstville, na Austrália, John Arthur Brabham desde pequeno ganhou o apelido de Jack. O campeão faleceu hoje (19/05), na sua casa na Gold Coast, Austrália.

O jovem Jack Brabham desde cedo esteve ligado aos automóveis e às competições, tendo abandonado a escola com 15 anos de idade para trabalhar numa oficina mecânica. Depois, decidiu regressar para os estudos e se formou em estudou engenharia mecânica.

sl

Após passar pela Força Aérea Australiana –onde foi mecânico- Jack Brabham começou a sua carreira no automobilismo em 1948, conduzindo um Midget que ele próprio havia construído para um amigo. O seu talento se revelou de imediato, e após conquistar vários títulos na Austrália e Nova Zelândia, foi para o Reino Unido em 1955, tentar a sorte e dar continuidade à sua carreira.

Ficou amigo de John Cooper, o responsável pela Cooper Cars, e passou a trabalhar para o britânico, construindo carros de competição. Acabou estreando na Fórmula 1 ao volante de um Cooper T40, no GP de Inglaterra, mas abandonou com problemas de motor.

p50666372-3

Foi em 1958 que conseguiu fazer uma temporada completa como piloto de Fórmula 1 com um Cooper, chegando a vitória em 1959, no GP de Mônaco. Seguiu-se nova vitória no GP de Inglaterra, disputado em Aintree. Conquistou o seu primeiro título de forma incrível, quando o seu carro ficou sem gasolina na última volta do GP dos Estados Unidos, tendo empurrado o carro até à linha de chegada. Terminou a prova extenuado, mas garantiu o quarto lugar, suficiente para vencer e se sagrar campeão do mundo.

O segundo título veio em 1960, com cinco vitórias, mas no ano seguinte o Cooper e o novo motor de 1.500 cm3 não se mostraram competitivos ,e Jack Brabham despencou de bi-campeão do Mundo para um dos últimos classificados na temporada, com apenas três pontos.

Abalado com a situação, Jack Brabham decidiu criar a sua própria equipe. Porém, essa foi uma tarefa difçil, que consumiu tempo e muito dinheiro, o que levou o australiano a pensar em deixar o volante e focalizar na direção da equipe. A primeira vitória da Brabham foi em 1964, com Dan Gurney.

Dois anos depois dessa primeira vitória da equipe, Ron Tauranac desenhou o Brabham BT19, equipado com o potente motor Repco V8, tendo criado um vencedor, Jack Brabham tornou-se o primeiro piloto a vencer uma prova de Fórmula 1 ao volante de um carro com o seu nome, o GP de França de 1966. Mais três vitórias deram a ele o terceiro título Mundial de Fórmula 1, o primeiro de um piloto ao volante de um carro com o seu nome.

Em 1967, Jack Brabham esteve em luta pelo título, mas ficou em segundo lugar, ajudando a sua equipe a conquistar uma bela dobradinha, pois Denny Hulme foi o campeão daquele ano. A carreira de Jack Brabham entrou em declínio, e a última vitória sua foi alcançada no GP da África do Sul de 1970. Retirou-se no final dessa temporada, com  44 anos.

Jack Brabham e a sua família decidiram voltar para a Austrália, vendendo a Brabham a Ron Tauranac. Porém, não perdeu a ligação com a mecânica, envolvendo-se em negócios ligados à engenharia e aviação. Por tudo isto, Jack Brabham foi o primeiro piloto a se tornar cavaleiro do império britânico, passando a ser chamado Sir Jack Brabham.

Depois de uma semi-aposentadoria, continuou a ser apaixonado pelos carros, em especial os clássicos, competindo em alguns dos mais importantes eventos para esse tipo de automóvel, como o “Goodwood Revival”, até ao ano 2000. A saúde debilitada, terminou com esta segunda fase de sua carreira.

Os seus três filhos –Geoff, Gary e David– seguiram os passos e também eles conheceram o sucesso, embora longe daquilo que Sir Jack Brabham conseguiu, particularmente, na Fórmula 1. Curiosamente, a terceira geração de Brabham –os netos Matthew e Sam– já estão envolvidos nas corridas.

Sobre a morte do patriarca da família, David Brabham emitiu um comunicado: “É um dia muito triste para todos nós. O meu pai faleceu de forma tranquila, em casa, com 88 anos. Viveu uma vida incrível, alcançando mais sucessos do que aquilo que ele alguma vez tinha sonhado. A sua memória continuará viva por meio do enorme e fabuloso legado que deixa atrás de si.”


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español