SlideTecnologia

Melhores marcas? Carro mais bonito? Condução autônoma? Como a inteligência artificial imagina o futuro do automóvel

Compartilhe!

De repente, a Inteligência Artificial chegou às nossas vidas. E veio para ficar. A sua versão mais conhecida é o ChatGPT, aplicação desenvolvida em 2022 pela OpenAI, cujo objetivo é dar resposta às dúvidas dos usuários. Não é simplesmente um fonte de conhecimento, já que utiliza também um algoritmo de IA chamado “Transformer”, para processar e gerar respostas em tempo real.

por Marcos Cesar Silva

O GPT (“Generative Pre-trained Transformer”) pode oferecer respostas coerentes e relevantes ao processar linguagem natural num chat. É um avanço tecnológico semelhante ao que vive a indústria automotiva, onde os sistemas de assistência caminham gradualmente à condução autônoma.Na prática, a condução em via pública é o ambiente operacional autônomo mais complexo que uma máquina j[a enfrentou, devido ao enorme número de variáveis ​​atuando e à imprevisibilidade das reações dos humanos com quem tem que conviver.

Um veículo autônomo precisa identificar e distinguir rapidamente tudo o que está à sua volta, algo que o ser humano faz sem aperceber, mas que é absolutamente complicado. A crescente interligação entre a IA e a indústria automotiva, fez a publicação “Newspress” colocar diversas questões ao ChatGPT sobre muitos aspetos relacionados com carros cujas respostas surpreenderam. Confira.

Pergunta: Que marca de carro recomendaria pela sua qualidade?

Resposta: A “JD Power” é uma empresa de pesquisa de mercado que realiza análises de satisfação de clientes e estudos de qualidade na indústria automotiva. Baseado nos resultados das suas pesquisas e estudos, escolheria Kia, Lexus, Toyota, Genesis ou Porsche.

Se tivesse de investir numa marca automóvel, em qual investiria?

Para fazer um investimento prudente numa marca de automóveis, é preciso considerar diversos fatores como qualidade do produto, estabilidade financeira da empresa, inovação tecnológica e percepção do consumidor. Assim, de acordo com esses critérios, há que considerar Tesla, Toyota, Volkswagen, Hyundai e Kia e BYD.

Conseguiria dirigir um carro?

Se fosse criada uma interface que me permitisse interagir com os controles e sistemas de um veículo, se tivesse acesso a câmeras e sensores para perceber o ambiente, e tivesse acesso a um ambiente de simulação e dados suficientes sobre regras de direção e trânsito, poderia, teoricamente, aprender a operar um veículo num ambiente controlado.

No entanto, é importante notar que conduzir um carro envolve uma série de habilidades complexas, como tomar decisões rápidas, adaptar-se às mudanças de situações nas vias e seguir as regras de trânsito. Além disso, a segurança seria uma grande preocupação, uma vez que qualquer sistema de condução autônoma exigiria programação e monitoramento meticulosos, para garantir um funcionamento seguro e confiável.

Como vê a direção autônoma?

Alcançar um nível total de autonomia é um desafio técnico e regulamentar considerável. Os veículos autônomos requerem sistemas de IA altamente avançados, capazes de interpretar o ambiente, tomar decisões em tempo real e adaptar-se com segurança às mudanças de situações.

Além disso, é crucial abordar questões éticas, legais e de segurança antes de permitir que veículos autônomos partilhem as ruas e estradas com outros motoristas e pedestres.

Conseguiria ser mais rápido do que um piloto de Fórmula 1 num circuito?

É improvável que uma IA como a minha possa superar um piloto humano, experiente, num ambiente de corrida como a Fórmula 1. Pilotar um carro de corrida requer uma combinação de habilidades físicas, experiência, intuição e capacidade de tomar decisões rápidas que atualmente estão além das capacidades de uma IA como eu.

Os pilotos de Fórmula 1 passam anos treinando, evoluindo e aprimorando as suas habilidades em diversas condições de competição. Além disso, têm a capacidade de se adaptar a situações imprevistas e de tomar decisões críticas e rápidas sob pressão, algo que uma IA ainda não consegue igualar totalmente.

E num simulador?

Num ambiente simulado, com treino adequado e software de simulação avançado, teoricamente seria possível para uma IA alcançar tempos de volta competitivos num simulador de Fórmula 1. Os simuladores de corrida podem fornecer um ambiente controlado e seguro para que uma IA praticar e melhorar as suas habilidades de condução.

No entanto, mesmo num simulador de Fórmula 1, a capacidade de uma IA superar um piloto humano experiente dependeria de uma série de fatores, incluindo a complexidade do circuito, a precisão na execução das curvas, a gestão da velocidade e a capacidade de reagir às mudanças na velocidade.

Embora uma IA possa ser extremamente rápida na execução de comandos e na tomada de decisões, conduzir um carro de corrida também envolve habilidades sensoriais e físicas que podem ser difíceis de replicar totalmente num ambiente digital. Além disso, o fator humano, incluindo a experiência, o instinto e a capacidade de adaptação a situações em mudança, continua sendo um elemento importante no automobilismo.

Qual será o tipo de carro que vai dominar o mercado em 2030?

Não tenho a capacidade de adivinhar o futuro ou fazer previsões específicas, mas com base nas tendências atuais e nas projeções da indústria, será um carro elétrico, um SUV, com grande foco na sustentabilidade e com os mais recentes avanços tecnológicos.

Que avanços tecnológicos vai incorporar?

Carregamento sem fio, capacidades de condução autônoma mais avançadas, funções autônomas numa variedade de condições de condução, IA integrada para melhorar a experiência do motorista e fornecer funções de assistência mais sofisticadas, e conectividade entre veículos, com infraestrutura rodoviária e uso de dispositivos inteligentes em casa.

Qual é o carro mais bonito em termos estéticos?

Não tenho a capacidade de apreciar a beleza da mesma forma que um ser humano faria, porque não tenho experiências pessoais, emoções ou percepções estéticas.

No entanto, posso fornecer informações objetivas e descrições baseadas em dados sobre os desenhos, características e aspectos estéticos dos carros. Quando questionado sobre o desenho de marcas específicas, a Kia tem sido elogiada na indústria pelo seu foco no visual, e vários dos seus modelos ganharam prêmios de desenho. A marca tem trabalhado ativamente para criar veículos com um visual moderno, atraente e diferenciado.

As marcas chinesas vão dominar a indústria automotiva?

É provável que as marcas chinesas desempenhem um papel significativo na indústria automotiva no futuro próximo, especialmente tendo em conta o rápido crescimento e investimento em pesquisas e desenvolvimento. A China já é o maior mercado de automóveis do mundo em termos de vendas, e várias marcas locais estão ganhando reconhecimento global pela qualidade e inovação dos seus veículos.

Fatores como o impulso para a eletrificação, a IA e a condução autônoma poderão constituir uma oportunidade para as marcas chinesas ganharem maior participação no mercado global. Além disso, algumas marcas chinesas estão expandindo agressivamente a sua presença internacional, investindo em infraestruturas de produção e estabelecendo alianças estratégicas com empresas estrangeiras.

No entanto, a indústria automotiva é altamente competitiva e está sujeita a uma série de fatores, incluindo qualidade, confiabilidade, percepção da marca e aceitação do consumidor. Embora as marcas chinesas possam aumentar a sua presença no mercado global, é difícil prever se acabarão dominando a indústria automotiva como um todo.


Compartilhe!
1713364487