Tecnologia

Ousadia genial: Oli Concept, o Citroën de papelão

Compartilhe!

Para a Citroën, prever o futuro da mobilidade acessível sempre pareceu ser uma obsessão, e em termos de visual, pode até parecer que a marca perdeu o rumo, mas ela está ousando como nenhuma outra. Sua visão de futuro da mobilidade impressiona, como neste Citroën Oli Concept.

por Marcos Cesar Silva

A fabricante francesa apresentou o Oli Concept, veículo projetado para fazer o mesmo com a mobilidade familiar que o pequeno Ami alcançou com mobilidade urbana pessoal, e que tem tido sucesso na Europa por ser um “objeto de mobilidade muito econômico e que todos possam dirigir como se fosse um quadriciclo elétrico leve”. Na prática, um minicarro que dispensa até mesmo a necessidade de carteira de motorista. E é uma espécie de Gurgel BR800 da nova era, bem feito e bem intencionado…

Conceito Citroën oli
O Oli é o precursor dos conceitos e inovações que estarão disponíveis nos futuros modelos elétricos da Citroën.

Enquanto Ami foi literalmente um pequeno passo, o Oli sinaliza um salto adiante muito maior. Ao invés de ser um inútil SUV de 2500 kg cheio de telas e dispositivos, o Oli demonstra que “mais pode ser alcançado com menos”, e mostra como o uso engenhoso de materiais responsáveis e um processo de produção sustentável podem levar a veículos econômicos, mas interessantes ou pelo menos impressionantes.

Um carro familiar típico dos anos 1970 pesava cerca de 800 kg e media 3,7 metros de comprimento e 1,6 m de largura. Os equivalentes de hoje cresceram para mais de 1200 kg, pelo menos 4,3 m de comprimento e 1,8 m de largura. Alguns até pesam mais de 2500 kg. Os requisitos legais e de segurança fizeram com que os preços e pesos disparassem.

O modelo pesará cerca de 1000 kg, terá 400 km de autonomia e preço de US$ 25 mil.

Usando materiais leves e uma bateria de 40kWh, a Citroën afirma que o Oli pode oferecer até 400km de alcance com uma única carga.

Impressionante é o desenho nada convencional do Oli, que tem 4,20 m de comprimento, 1,65 m de altura e 1,90 m de largura.

Painéis planos no capô, teto e traseira, foram escolhidos para atingir as metas de baixo peso, alta resistência e máxima durabilidade.

Estes painéis foram feitos de papelão reciclado formando uma estrutura de “sanduíche” em forma de colmeia entre painéis de reforço de fibra de vidro, criados em conjunto com a BASF. Eles são revestidos com resina de poliuretano chamada de Elastoflex, coberta com uma camada protetora de Elastocoat de textura resistente, frequentemente usada em plataformas de estacionamento ou rampas de carregamento na Europa, e pintada com a inovadora tinta BASF R-M Agilis à base de água.

Os painéis são muito rígidos, leves e fortes, tão resistentes que um adulto pode andar sobre eles, e o peso é reduzido em 50% em comparação com uma construção equivalente de aço.

As rodas de alumínio e aço de 20 polegadas são mais baratas de produzir do que as de liga leve equivalentes e pesam apenas 6 kg a mais. Elas são calçadas com pneus Goodyear Eagle Go experimentais que devem durar 100.000 km.

A versatilidade do transporte de carga também não está comprometida, pois os trilhos em ambos os lados do painel do teto permitem que os proprietários coloquem acessórios, como racks, suportes para bicicletas ou bagageiros.

O para-brisa é vertical porque assim fica menor a distância entre as suas partes superior e inferior e por isso usa menor quantidade de vidro. Além de reduzir peso e complexidade, é menos caro para produzir ou substituir.

O Oli e o Ami: como a Citroën está vendo o futuro do automóvel.

Para ajudar a eficiência aerodinâmica, o Oli apresenta um sistema experimental “Aero Duct” entre a seção frontal do capô e o painel superior plano que sopra ar em direção ao vidro, criando um efeito de cortina para suavizar o fluxo de ar sobre o teto.

As portas dianteiras seguem o exemplo do Ami e são idênticas em cada lado, embora montadas de forma diferente. Ao reduzir a complexidade e simplificar a construção, a marca economiza 20% em peso por porta em comparação com um hatch familiar. As portas traseiras mais estreitas são articuladas na parte traseira do veículo e usam vidro vertical para dar aos passageiros traseiros mais luz e visibilidade.

Em vez de uma carroceria convencional, o Oli apresenta um exercício inesperado inspirado no desenho de produtos úteis, e vem com uma caçamba de picape; os encostos de cabeça dos bancos traseiros independentes abrem em direção ao teto, o vidro da janela traseira abre para cima e a plataforma de carga, plana de 994 mm de largura, expande-se assim em comprimento de 679 mm para 1050 mm.

A tampa traseira dobra e, com o painel de carga removido, há altura de até 582 mm entre o assoalho do veículo e a janela traseira. Com o painel no lugar, por baixo há 330 mm de espaço útil e seguro no porta-malas.

Como se pode ver, o Citroën Oli Concept foi escolhido para ser o primeiro modelo a carregar o novo logotipo da marca francesa (veja matéria aqui no site).


Compartilhe!
1716083129