Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Para sobreviver, Volkswagen quer cortar patrocínios do futebol

Compartilhe!

Descobrindo na própria pele o quanto o crime não compensa, a Volkswagen está apertando o cinto. A marca pondera cortar diversos patrocínios de times de futebol da Alemanha. Esta é mais uma dura medida de ajuste financeiro após os sucessivos escândalos de emissões, conforme noticiou o “Automotive News”.

New-Wolfsburg-Trikot-2013

Entre as equipes estão clubes da Primeira Divisão, como Hannover 96, Werder Bremen e Schalke 04, assim como o time da Segunda liga, o 1860 Munich. A marca alemã confessa que o futebol é um dos pilares mais importantes na sua estratégia de marketing e que a mesma deve continuar no futuro, mas que não existem certezas de que esta ação irá efetivamente ter sequência.

De acordo com o site “Bild am Sonntag”, a VW gasta cerca de US$ 1,7 milhões por temporada em cada um dos clubes de futebol que patrocina. Ao mesmo tempo, junta-se à lista também o clube de hóquei no gelo Grizzlys Wolfsburg que representa um gasto de US$ 5,5 milhões por ano.

Já no que diz respeito ao time da cidade-sede da Volkswagen, o Wolfsburg, o clube não deve encerrado seu contrato com a marca, embora os planos para um novo centro de treinamentos tenham sido imediatamente adiados após o escândalo das emissões.

Durante a semana passada, o Grupo Volkswagen anunciou ainda um corte de US$ 1,2 bilhões no seu plano de investimentos de 2016, após uma reunião do Conselho de Administração. O Grupo irá limitar ainda os seus gastos no que diz respeito a propriedades, fábricas e equipamentos na ordem dos US$ 14 bilhões em 2016, o que corresponde a um ajuste de quase 8% a mais em comparação com o plano de corte anterior, conforme garantiu o conselho de supervisão da VW em comunicado.

Especialistas da área dizem que a empresa poderá enfrentar um projeto de lei que alcance quase US$ 40 bilhões em multas, ações judiciais e manuntenção de veículos. Especialistas já questionam se a empresa vai sobreviver a tamanho prejuízo.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *