Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Plymouth Belmont 1954, aquele que seria o “Corvette” da Chrysler

Compartilhe!

 

O Plymouth Belmont foi apresentado no New York Auto Show de 1954. O conversível foi montado pela  Briggs Manufacturing, logo após a Chrysler assumir a empresa, após a morte de Walter Briggs em 1952 e da lenta e dolorosa agonia dessa marca norte-americana. 

O Belmont era um “dream car” (hoje seria um conceito) que foi construído com carroceria de fibra de vidro sobre um chassi Plymouth padrão, equipado com o motor V8 que foi desenvolvido para os modelos de 1955. Tinha 160 cv de potência e trabalhava em conjunto uma transmissão automática de três marchas. Resumindo, era um conversível de sonho para a época. Poderia ter sido o rival da Chrysler para o Chevrolet Corvette, lançado em 1953.

 

Agora, este exemplar será vendido pela  Barrett Jackson no leilão que acontecerá este mês em Scottsdale, no Arizona. No interior, dois bancos confortáveis ​​para acomodar motorista e passageiro e volante de grande diâmetro e formato clássico, no mais puro estilo dos anos 1950. No painel, muitos instrumentos, como convinha a um esportivo
 
 
Este modelo foi considerado como um banco de testes para o primeiro V8 da Plymouth, o “Polyspheric” (por causa do desenho de sua câmara de combustão), que finalmente chegaria ao mercado com o modelo de 1955. Foi também uma novidade a sua carroceria de fibra de vidro reforçado, que garantiu boa relação peso/potência para o veículo .
 

Infelizmente por algum motivo estranho que não se conhece, a Chrysler descartou a fabricação do Belmont antes dele chegar à linha de produção. Mais tarde, esse carro foi visto em dois filmes: “Bundle of Joy ” e “Mister Corey” .

Agora, deverá ser vendido por cerca de US $ 1,3 milhões.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español