Última hora

Segurança: airbag assassino para vários Dodge e Chrysler

Compartilhe!

Os airbags defeituosos da Takata ainda estão matando pessoas, mesmo passada quase uma década depois da descoberta inicial do problema e recalls seguidos. Três pessoas foram mortas recentemente em acidentes individuais, elevando o número mundial de mortos dos airbags defeituosos para 32, dos quais 23 ocorreram nos Estados Unidos, de acordo com notícia divulgada pela Associated Press.

por Marcos Cesar Silva

A última sequência de mortes atingiu veículos da Stellantis, o que levou a montadora a anunciar que os proprietários de alguns modelos da Dodge e Chrysler devem parar imediatamente de dirigir seus veículos até que os airbags defeituosos sejam substituídos, serviço que a Stellantis está oferecendo gratuitamente na América do Norte.

Os veículos listados no alerta dado pela Stellantis incluem Dodge Challenger, Charger e Magnum dos anos modelo 2005-2010, e Chrysler 300 da mesma safra. Aproximadamente 276.000 veículos estão afetados nos Estados Unidos. Alguns desses carros rodam no Brasil, e o Grupo deve se manifestar em breve.

Os avisos de recall para os veículos foram emitidos pela primeira vez em 2015, mas a Stellantis disse que muitos proprietários não conseguiram levar seus carros para o serviço. Por isso, planeja continuar incentivando esses usuários a fazer o serviço, por meio de notificações via correio, email, mensagens de texto, telefonemas ou até visitas domiciliares.

Desde que a investigação do airbag Takata começou em 2014, a empresa japonesa pediu falência e acabou absorvida pela rival chinesa Key Safety Systems. Três ex-executivos da Takata também foram condenados por falsificar dados que levaram ao airbag defeituoso. No seu auge, acredita-se que Takata teve participação de 20% do mercado de airbags. Restou à irresponsável empresa amargar a pecha de criadora do “airbag assassino”.

O problema todo foi causado pelo uso de nitrato de amônio para inflar o airbag. O produto químico pode se tornar mais explosivo com o tempo, quando exposto ao ar úmido e altas temperaturas. O aumento da volatilidade pode romper o cilindro de metal contido dentro do airbag, criando estilhaços mortais.

Quem procurar mais informações pode verificar seus números de Identificação veicular (VIN) em mopar.com/recalls.checktoprotect.org ou nhtsa.gov/recalls. Depois, é aguardar a posição do Grupo para os carros que circulam no Brasil, desde que importados de maneira oficial.


Compartilhe!
1717074807