Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Será? Fiat e Volkswagen negam fusão

Compartilhe!

i

A notícia surgiu num site alemão e, citando fontes não identificadas, afirmava que a Volkswagen iria comprar a Fiat. Esse assunto ganhou proporções quase incontroláveis mundo afora, o que forçou os dois grupos a publicarem desmentidos. Prossegue a luta entre Piech e Marchionne…

Dizia o site que a Volkswagen havia abordado a Fiat no sentido de uma possível fusão, com o presidente do grupo VW, Ferdinand Piech, iniciado conversações com vários sócios e membros da família Agnelli, que controla a Fiat.

Depois desta notícia estourar na internet, o Grupo VW foi obrigado a vir a público e desmentir tudo, afirmando o porta-voz da empresa que não estão previstas, para já, aquisições, estando o gigante germânico concentrado em melhorar a eficiência do grupo, repleto de problemas.

Por outro lado, um porta-voz do grupo Fiat,afirmou que a Fiat não manteve nenhuma conversa com a Volkswagen sobre uma potencial fusão, sendo que até a Exor, holding que possui 30% do capital social da Fiat, garantiu que não existem conversações com a VW para uma fusão, venda ou outra operação desse tipo.

Segundo a Manager Magazin, que publicou a notícia, tudo teria começado no fato da família Agnelli querer concentrar-se apenas na Ferrari, abandonando praticamente o negócio de automóveis, sendo que a Chrysler iria ajudar nisso apoiando a VW em mais uma tentativa de ganhar o mercado norte-americano. Por esse aspecto, tudo faz sentido!

A verdade é que esta notícia surgida na internet influiu no valor das ações dos dois grupos. Os títulos da FCA (Fiat Chrysler Automobiles) valorizaram 5,2%, enquant os da VW caíram 2,4%.. “Demos importância à notícia, pois tudo fazia sentido e era plausível” explicou Gabriele Gambarova, analista do Banco Akros, de Milão. Recordamos que o grupo VW está avaliado em cerca de USA$ 117 bi, enquanto o grupo Fiat vale hoje em torno de US$ 13 bi.

Jurgen Pieper, analista do Bankhaus Metzler de Frankfurt, também consultado, explicou que “a VW tem pressa em chegar ao número 1 na indústria, e uma aquisição deste porte transformaria o grupo alemão, imediatamente, no número 1 mundial. Porém, o interesse em todo o grupo Fiat é irreal e traria múltiplos problemas”. Entre eles, a luta  do grupo italiano na Europa em busca de mercado e, depois, os rumores da ameaça de processo por cartel na América do Sul.

Depois da movimentação que gerou a matéria, o Wall Street Journal, citando duas fontes familiares de ambas as partes, explicou que não existiu nenhuma conversa sobre este assunto.

É quase certeza que, enquanto Sérgio Marchionne e Ferdinand Piech estiverem nos seus postos, nunca haverá negociação entre ambos, pois o italiano não perdoa os comentários feitos pelo alemão, e a cobiça que Piech tem pela Alfa Romeo que, garante Marchionne, jamais sairá do Grupo Fiat, muito menos para a Volkswagen…


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español