Serviço: dicas para economizar combustível

Compartilhe!

Com o preço dos combustíveis beirando o absurdo, em níveis estratosféricos, poupar o precioso líquido é mais do que uma necessidade. O preço dos combustíveis nunca esteve tão alto como agora, e a subida de preços parece estar longe de acabar, o que torna abastecer o carro algo muito caro. Num país onde ser ganha em real, a inflação é alta e o salário mínimo ridículo, alinhar o preço dos combustíveis com o dólar é uma covardia, que só beneficia os acionistas da Petrobras.

Da Redação

Ver a imagem de origem

Se não há nada que possamos fazer em relação ao preço dos combustíveis, resta-nos apenas rentabilizar ao máximo o combustível que temos no depósito do tanque dos nossos carros. Por isso, AUTO&TÉCNICA traz uma série de dicas que esperamos que ajudem a reduzir o consumo e, com isso, as despesas com combustível.

A economia de combustível começa antes de colocar o carro na rua. Nada de andar por aí sem destino. Uso o carro somente o necessário e faça roteiros bem pensados para não andar à toa. Uma forma de poupar combustível passa por planejar os percursos antecipadamente. Permite evitar trajetos que possam estar mais congestionados, com mais semáforos e até com mais subidas, situações onde os consumo mais se ressente. Usar aplicativos pode ajudar nessa hora.

Necessário evitar também os percursos muito curtos, pois o motor e o catalisador não conseguem aquecer até atingir a temperatura ideal de funcionamento, fazendo com que o consumo dispare. Isto porque se o motor não aquece devidamente, a lubrificação do mesmo será insuficiente (o óleo também precisa de tempo para aquecer) contribuindo para o maior desgaste, e poderá levar à substituição precoce do catalisador. Depois disso, trocar filtros, velas e manter a regulagem do motor em dia passa a ser algo mandatário.

O passo é verificar a pressão dos pneus. Sempre que circulamos com os pneus abaixo da pressão indicada pelo fabricante, o atrito gerado entre a superfície do pneu e o asfalto é maior, o que aumenta consumo. Isso acontece porque é necessário mais energia para percorrer um determinado percurso, o que exige mais combustível. Acrescentar umas quatro ou cinco libras na calibragem pode até gerar algum desconforto ao rodar, mas ajuda a economizar combustível.

Outro conselho é reduzir o peso em ordem de marcha. Não estamos propondo abdicar do macaco ou banco traseiro, mas é comum andarmos com peso inútil espalhado pelo carro, desnecessário numa situação de economia: abra o porta-malas e elimine tudo que não pertence ao carro. Muitas coisas podem ficar guardadas na garagem. em casa ou na garagem? Cada quilo a mais a bordo exige mais esforço o motor para vencer a inércia do veículo, o que prejudica a redução do consumo.

Nada de racks, bagageiros e apêndices aerodinâmicos desnecessários, que aumentam o arrasto e, por consequência, o consumo. Vidros abertos também estão vetados, bem como pneus muito largos. A velocidades mais altas, a resistência aerodinâmica acrescida por andar de janelas abertas tem impacto direto e negativo nos níveis de consumo.

Também a manutenção do veículo é crucial. Muitos podem achar que o valor de uma revisão possa ser revertido como “dinheiro para combustível”, não esqueçam que um carro em excelentes de funcionamento é também mais econômico. Alinhar a suspensão e trocar o óleo do motor -conforme as especificações e intervalos recomendados pelo fabricante)- são muito importantes. Tudo isto contribuirá para poupar combustível.

Se o seu carro tiver, use, use o sistema “Start/Stop” e esqueça as notícias infundados de que esse recurso possa danificar o carro. Presente na maioria dos automóveis modernos, o sistema permite redução efetiva dos consumos em trânsito urbano, desligando o motor quando paramos num semáforo ou estamos num congestionamentopo.

Como parece óbvio, não é parado que o automóvel mais gasta. O principal foco na hora de poupar vem atrelado com a prática de uma condução eficiente, aproveitando ao máximo cada gota de combustível. Para tal, há alguns conselhos que podem seguir. Para começar, acelere sempre com suavidade. Seja nas arrancadas, seja em movimento, não precisamos colar o acelerador no assoalho atingir uma determinada velocidade. O consumo e a carteira agradecem quando aceleramos de forma mais suave e progressiva.

Reduzir a velocidade em 20% com a qual estamos costumados a rodar também tem impacto direto nos consumos. Não significa, porém, que você possa se arrastar pelo trânsito. Mas se naquele trajeto em estrada que você costuma a rodar a 100 km/h, reduzir para 80 km/h, o consumo de combustível será uma surpresa; os benefícios são imediatos.

O “cruise control” (ou “piloto-automático”), caso o seu veículo tenha, pode também ser um importante auxiliar nesta missão de poupar combustível, ao manter a velocidade de deslocação estabilizada. Cada vez que há movimento no pedal do acelerador, a variação do consumo é grande

Também interessante é conseguir “antecipar”, olhando lá na frente a reagindo com calma às frenagens. Afinal, é o ato de acelerar e frear que mais contribui para elevar o consumo. Se fizermos uma correta leitura do tráfego na rua ou estrada (por exemplo, na aproximação a semáforos), de modo a conseguir manter a velocidade de deslocação a mais estável possível, não usando tanto o acelerador ou o freio, vai contribuir para uma redução dos consumos.

Por fim, é importante manter o motor no regime ideal de rotações e usar a marcha certa (nas caixas de câmbio manuais, é claro). Afinal de contas, nessa luta contra o consumo, a caixa de câmbio e o conta-giros são grandes aliados.

Nos carros a gasolina, a faixa ideal de utilização estará em média entre as 2500 e 3000 rpm —um pouco menos nos motores a gasolina com turbo—, e nos Diesel entre as 2000 e 2500 rpm.

É neste intervalo de rotações que a relação entre rendimento mecânico e consumo é mais favorável `economia.

Apesar de o ar condicionado permitir viagens muito confortáveis, a verdade é que este influencia o consumo, aumentando em cerca de 3 a 4%. Essa influência é bem menor do que nos carros mais antigos, mas ainda assim está presente, como é possível de comprovar no computador de bordo de alguns modelos. Ainda assim, em velocidades mais elevadas continua a ser uma opção melhor do que circular de janelas abertas.

Mesmo que os seus cuidados ao volante melhore substancialmente, ajudando a poupar muito combustível, você terá sempre que parar para abastecer o seu veículo. Mas até nesse momento podemos conseguir poupar. Optar pelos combustíveis simples e não os aditivados, reduz a conta do combustível. Pode-se ainda optar pelos postos de bandeiras pouco conhecidas, de combustível maios barato, ou ainda recorrer aos vários cartões e aplicativos existentes, que permitem obter descontos na hora de abastecer.

Quanto ao uso de gasolina ou etanol, esqueça a viabilidade do etanol custando 70% do preço da gasolina. O etanol realmente fica interessante quando custa 50% do preço da gasolina. Por fim, combustíveis de baixa qualidade, adulterados ou mesmo falsificados (sim, eles existem) prejudicam muito o consumo e trazem riscos para o motor de seu carro.


Compartilhe!
简体中文 简体中文 English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano 日本語 日本語 Português Português Español Español