TEST DRIVE: ACELERAMOS O CAMARO 2014

 FGD_5245 (640x425)

A Chevrolet apresentou a linha 2014 do Camaro, que chegou com retoques no desenho. O esportivo é equipado com motor 6.2V8 e transmissão de seis velocidades GR6, que compõem um conjunto de muita performance, normal para os norte-americanos, mas que até hoje causa espanto no Brasil. O esportivo começará a ser vendido aqui no final novembro, exclusivamente na versão SS.

FGD_5254 (640x425)

O Camaro 2014 apresenta uma evolução do desenho, sem perder o conceito original que retrata a herança de sua primeira geração, produzida de 1967 a 1969. Ele apresenta nova e maior grade frontal, que favorece o fluxo de ar, e saída de ar no capô, que melhora a exaustão de calor. A frente ficou mais baixa e estreita, com outro farol e novo pára-choque, que garantem o impacto visual do Camaro. Novo difusor de ar e spoiler foram otimizados em túnel de vento, e junto com a nova lanterna –menos trabalhada que a anterior- finalizam o estilo da traseira do esportivo. As lanternas são inspiradas no modelo de 1969, e semelhantes às que foram mostradas no concept antes do lançamento. Pelo nosso gosto, as usadas até agora tinham mais personalidade.

FGD_5293 (640x425)

Por dentro, o Camaro manteve sua identidade, que é atual e ao mesmo tempo remete aos carros dos anos 1960/1970: os bancos tem regulagem elétrica e as laterais das portas contam com iluminação em leds na cor “ice blue”. Os mostradores do painel, inspirados nos primeiros Camaro, a projeção de dados no pára-brisa e o conjunto de mostradores no console central (também herança dos primeiros Camaro), garantem o visual retrô-sofisticado.

 MECÂNICA

Na parte mecânica não foi preciso fazer muitas mudanças. Além da elevada potência e torque, o motor do Camaro já nasceu com muita tecnologia. Ele é equipado com o sistema AFM (Active Fuel Management), que faz o desligamento automático dos cilindros. Em velocidades de cruzeiro, como em uma viagem tranquila por alguma estrada, o sistema de gerenciamento do motor comanda o desligamento de quatro cilindros (os de número 1, 4, 6 e 7), da injeção de combustível e o fechamento das válvulas de admissão e escapamento dos cilindros desativados, utilizando uma válvula eletrônica, que atua sobre o comando hidráulico dos tuchos.  Aí o V8 passa a ser um V4, economizando combustível na faixa de 4,5 a 7,5%.

6H4A0883 (640x427)

A tecnologia do motor Chevrolet Small Block 6.2V8 –que pela cilindrada seria um big block, mas que a GM rotula de small block- não para por aí. O motor tem comando de válvulas continuamente variável, que aumenta o torque e potência dentro da faixa de rotação. As válvulas de admissão e escapamento contam com massa reduzida em função da haste ser oca, favorecendo o aumento da rotação do motor. O módulo de gerenciamento, desenvolvido e calibrado pela Chevrolet (sistema “S2”), permite controle preciso e maior integração com o veículo, garantindo assim uma melhor experiência ao dirigir.

6H4A0849 (640x477)

FGD_5334 (640x425)

Em conjunto com os 406 cv de potência máxima do motor e 56,7 mkgf de torque máximo, trabalha a transmissão sequencial/automática de seis velocidades GR6, exclusiva da versão SS. Com ela, o motorista pode desfrutar do conforto das trocas de marchas no modo automático, que são extremamente rápidas, e também pode fazer trocas manuais por meio de “borboletas” –ou Paddle Shift- junto ao volante.

6H4A0790 (640x446)

Utilizando o Paddle Shift, é possível fazer trocas de marchas mais rápidas, sem a necessidade de tirar as mãos do volante. O sistema utilizado no Camaro, desenvolvido pela Chevrolet, tem calibração que permite fazer uso do recursos com o seletor do câmbio na posição “D”.

COMO ANDA

Para quem gosta de carros americanos, em especial os antigos muscle cars, acelerar o Camaro é uma experiência divertida, desde o momento que se a aciona a partida e ouvimos o ronronar grave característico dos V8, no caso uma versão L99 da Chevrolet. O painel de instrumentos e os diversos mostradores do console “viajam” direto para os primeiros Camaro.

FGD_5286 (640x425)

Diferente dos muscle cars originais, toda a potência e torque está sob controle. O Camaro tem controle eletrônico de tração e de estabilidade, que atua sobre os freios, e auxilia o motorista numa pilotagem mais segura. Para quem gosta de emoções mais fortes, e não apenas desfilar com o carro, é possível desativar ambos os sistemas. Pressionando um botão uma vez, ele desabilita o controle de tração, e pressionando novamente, o controle de estabilidade entra no modo “Dinâmico”, permitindo menos intervenções do sistema. Trabalhando em conjunto com o sistema de tração o Camaro conta também com controle de tração mecânico, que utiliza diferencial traseiro de escorregamento limitado (LSD).

FGD_5297 (640x425)

A direção elétrica é progressiva, o que significa maior segurança em altas velocidades e menor esforço em manobras a baixa velocidade, tornando o carro mais confortável para o uso no dia-a-dia. O Camaro vem equipado com suspensões independentes nas quatro rodas. Tanto na dianteira quanto na traseira o Camaro utiliza suspensão tipo Multilink, com barras estabilizadoras.

NO CHÃO

Para garantir estabilidade –a falta de era característica dos antigos V8 americanos- o esportivo vem equipado com rodas de alumínio 8×20 na dianteira e 9×20 na traseira. Calçando as rodas estão pneus de medida 245/45 na frente e 275/40 atrás, ambos com classificação ZR. Apesar da “cavalaria” disponível, grudam o carro ao chão de maneira irrepreensível.

6H4A0863 (640x427)

O conjunto de rodas e pneus deixa à mostra os enormes e necessários discos de freios (com 35,5 cm de diâmetro e 3,2 cm de espessura na dianteira e 36,5cm x 2,8 cm na traseira) e as pinças Brembo -marca italiana reconhecida mundialmente pela qualidade de seus conjuntos de frenagem- de seis pistões na dianteira e quatro na traseira.

6H4A0812 (640x427)

O Camaro a partir do ano modelo 2014 recebe o sistema multimídia Chevrolet MyLink, que permite ao usuário trazer suas músicas, fotos, vídeos e aplicativos do celular para dentro do veículo, além de fazer ligações telefônicas via Bluetooth por meio da tecnologia HFT (Hands Free Telephone), e possibilita configurar algumas funções do veículo de acordo com as suas preferências.

ELETRÔNICA

O sistema de som é premium, de 245 watts, da Boston Acoustics, com nove alto-falantes. Excelente para ouvir “Beach Boys”, por exemplo. O Camaro também oferece travas elétricas das portas e vidros com acionamento do tipo “one touch” tanto para o motorista quanto para o passageiro. Um outro item muito importante e interessante é o Heads-Up Display (HUD), que projeta algumas informações no pára-brisa do veículo. Isso evita que o motorista desvie a atenção da estrada. O HUD nasceu em projetos militares que a GM desenvolveu para as forças armadas norte-americanas. O motorista pode visualizar a velocidade, rotação do motor e temperatura externa, entre outros. O condutor ainda pode personalizar a altura e a intensidade das imagens.

FGD_5224 (425x640)

O Camaro será comercializado nas cores amarelo (Lemon Peel), vermelho (Pull me Over), preto e branco (Summit) com os seguintes acessórios disponíveis: adesivos de capô, película escurecedora nos vidros, capa protetora e rede para objetos no porta malas.

FGD_5388 (634x640)

O Camaro 2014 chega aos 250 km/h, limitado de maneira eletrônica (o que é fácil contornar e levar o carro aos 280 km/h…) e acelera de zero a 100 km/h em excelentes 4,8 segundos. O preço para ter tudo isso na garagem é de R$ 210 mil.

 

A HISTÓRIA

imagesCAHF89CI

A primeira geração do Camaro foi apresentada em 1966, já como modelo 1967, tentativa da GM rivalizar com o Ford Mustang. Começou a ser vendido nos Estados unidos em 29 de setembro de 1966, com oito diferentes opções de motor. Duas delas, de seis cilindros em linha e as outras seis todas V8, partiam do 3.8 até os 7.0, sendo este último o COPO, oferecido pela rede de concessionários.  

Era comercializado em três diferentes versões: Sport Coupe, RS e SS, além da edição especial Z28, mais esportiva ainda. Em seu primeiro ano, o Camaro vendeu 220.906 carros. A primeira geração do Camaro foi vendida até 1969, totalizando quase 700.000 pony cars (espécie de “carro-popular-versão-americana”) comercializados em apenas três anos. Um sucesso. 

A segunda geração chegou em fevereiro de 1970 e foi produzida até o 1981. Apresentou novo visual, com influência européia, ainda mais marcante para a época. Foram feitas mais três alterações estéticas nesta geração. O carro ainda era vendido em três diferentes versões, a RS, SS e Z28. Esta última foi descontinuada com a crise do petróleo, no final de 1974, mas voltou em 1977, passado o susto. A segunda geração do Camaro estreou, em 1980, um novo motor: o 3.8V6, em substituição ao seis em linha. 

Em 1982, a Chevrolet apresentou a terceira geração do Camaro. Totalmente remodelada, inaugurava também a era dos motores com injeção eletrônica de combustível. Na quarta geração, de 1993, o Camaro recebeu novo exterior, interior e o motor V8 LT1 de 279 cv. Novas transmissões manual e automática de seis velocidades, duplo air bag e controle de tração, entre outros marcaram a essa geração. 

Então uma mente brilhante resolveu tirar o carro de linha, que assim desapareceu em 2002. Mas sete anos depois, uma outra mente, desta vez realmente iluminada, resolveu trazer o carro de volta. Em sua quinta geração, o Camaro foi relançado em 2009, fazendo um apaixonante trio retrô na companhia do Ford Mustang e Dodge Challenger.

Confira o primeiro anúncio do Chevrolet Camaro:

Tags:

 

Sobre o Autor

Mais posts por | Visite o site de RICARDO CARUSO