Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

TOYOTA MOVIDO A HIDROGÊNIO CHEGA EM 2015

Compartilhe!

a1
Enquanto o Brasil acredita que os motores flex são a solução milagrosa e caseira para reduzir consumo de combustível fóssil e conter a emissão de poluentes (na verdade esses motores só servem para enriquecer os usineiros), o mundo busca soluções cada vez mais avançadas no terreno da propulsão alternativa, como carros elétricos, híbridos ou com célula de combustível ocupando cada vez mais espaço no mercado internacional.
a2
Está mais próxima a chegada ao mercado do primeiro Toyota de produção em série movido a célula de combustível (hidrogênio). Com estreia mundial prevista para o Salão de Tóquio, dia 20 de novembro, o FCV representa o passo final para o lançamento de um veículo movido a célula de combustível da Toyota, que estará no mercado até 2015.
a3O FCV Concept tem quatro lugares, mede 4,87 metros de comprimento e utiliza uma versão modificada do sistema híbrido do Prius, com o motor a gasolina substituído por uma célula de combustível, e os depósitos de alta pressão contendo hidrogênio no lugar do tanque de gasolina convencional. A pilha de células de combustível, com um tanque de hidrogênio de 70 MPa de alta pressão, tem rendimento de 3 kW por litro de hidrogênio -mais que o dobro do sistema utilizado no concept FCHV- e potência de pelo menos 100 kW (136 cv).

Em termos práticos, isto significa autonomia, entre reabastecimentos, de 500 quilômetros com um tanque de hidrogênio. O reabastecimento demora cerca de 3 minutos. O funcionamento do sistema é muito simples. Um conjunto de células de combustível converte a energia química gerada pelo hidrogênio e oxigênio diretamente em eletricidade, por sua vez responsável por fazer funcionar os motores elétricos do carro; o excedente desta operação é a produção de vapor de água liberado na atmosfera.

As desvantagens serão, praticamente, as mesmas dos automóveis 100% elétricos, começando pela falta de infraestrutura de abastecimento preparada para este tipo de carro. Além disso, os preços dos primeiros modelos a chegar ao mercado poderão não ser muito convidativos. Mas tudo é questão de tempo.

No início dos anos 1900 existiam cerca de 300 marcas de carros elétricos no mundo, fulminadas com a descoberta de petróleo no Texas nos anos 1920. Houve assim um hiato de quase 100 anos no desenvolvimento dos carros elétricos e da infra-estrutura necessária, o que começa a ser corrigido em alguns países, como o próprio Estados Unidos. Tudo deve ser melhorado nos próximos 20 anos. Até lá usineiros de cana de açúcar, montadoras que não querem investir e companhias de petróleo ficarão um pouco mais ricas.

WRC: Thierry Neuville troca Ford pela Hyundai

Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español