Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Fim da linha: Mercedes vai encerrar a produção da picape Classe X

Compartilhe!

Quer ter uma Mercedes-Benz rara na garagem? Então corra. Cerca de três anos depois de ter sido lançada, a marca alemã se prepara para dar adeus à picape Classe X. A despedida está marcado para maio.

Mercedes-Benz Classe X

Isso mesmo. Já há algum tempo se discutia a possibilidade da picape Mercedes-Benz Classe X desaparecer da lista de ofertas da marca e, pelo visto, os boatos sobre essa possibilidade tinham fundamento.

Segundo a imprensa alemã, a partir de maio a Mercedes-Benz vai deixar de produzir a Classe Xcolocando um ponto final na breve carreira comercial que durou cerca de três anos. O modelo estava previsto para ser produzido na Argentina e vendido no mercado brasileiro.

A decisão de deixar de produzir a Classe X surgiu depois que a marca fez uma reavaliação do seu portfólio de modelos, onde verificou que a Classe X é “um modelo de nicho”, que fez sucesso apenas em mercados como “a Austrália e a África do Sul”.

Mercedes-Benz Classe X

Já em 2019, a Mercedes-Benz tinha desistido da intenção de produzir a Classe X na Argentina. Na época, a justificação dada foi o fato de que o preço alto da Classe X não atenderia as expectativas dos mercados sul-americanos. Algo como: “não é um veículo para pobres”…

Baseada na Nissan Navara/Frontier e Renault Alaskan, a Mercedes-Benz Classe X não teve tido vida fácil no mercado. Com um posicionamento premium, a Mercedes-Benz Classe X foi se revelando demasiado cara para uma clientela que, basicamente, procura a melhor relação custo/beneficio em um veículo comercial acessível e prático.

As estatísticas de vendas vieram comprovar isso. Em 2019, a “irmã” Nissan Frontier vendeu 66 mil unidades em nível global, enquanto a Mercedes-Benz Classe X ficou nas 15.300 unidades comercializadas.

Mercedes-Benz Classe X

Diante destes números, a Mercedes-Benz decidiu que era o momento de aposentar mais um produto feito em conjunto com a hoje conturbada Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi.

Para quem não lembra, o primeiro “divórcio” entre a Daimler e Aliança Renault-Nissan-Mitusbishi ocorreu quando a marca alemã confirmou que a próxima geração dos Smart ia ser desenvolvida e produzida em conjunto com a Geely, e não mais com a Renault.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *