Carros

911 Dakar, o Porsche lento e que não gosta de asfalto

Compartilhe!

Série limitada a 2500 unidades, o Porsche 911 Dakar é o 911 mais lento desde os anos 1980, ao mesmo tempo em que é um dos mais ágeis de todos os tempos. O 911 Dakar é um tributo à primeira vitória da Porsche no Rali Dakar, e pelo que foi divulgado pela marca, tem potencial para repetir o feito. 

por Marcos Cesar Silva

Começando pelo motor, temos um 3.0 flat-six biturbo de 480 cv e 57 mkgf, que trabalha com uma transmissão PDK (de dupla embraiagem) de oito marchas e tração integral. Com esse powertrain, o 911 Dakar é capaz de acelerar de zero a 100 km/h em 3,5s, mas tem a velocidade máxima limitada a “míseros” 240 km/h; é o 911 mais lento desde a década de 1880, e os culpados disso são os pneus para todo-terreno.

Quanto ao peso, é de 1605 kg, ou seja, apenas 10 kg acima 911 Carrera 4 GTS com caixa de câmbio PDK.

Se a mecânica do 911 Dakar é compartilhada com outros 911, o mesmo não se pode dizer da suspensão, que é 50 mm mais alta que a do 911 Carrera. E se ainda assim essa altura ao solo não for suficiente, o 911 Dakar pode ficar ainda 30 mm mais alto graças a um sistema de elevação das suspensões.

O modo mais alto da suspensão não foi pensado apenas para enfrentar obstáculos a baixa velocidade. É parte integrante de uma nova calibragem e pode estar ativo até os 170 km/h. A partir dessa velocidade a suspensão regressa à altura normal.

Ainda no projeto do Porsche 911 Dakar encontramos o eixo traseiro direcional e os apoios de motor do 911 GT3. Contudo, são os dois novos modos de condução que merecem maior destaque. O modo “Rallye” foi desenvolvido para quando o 911 Dakar enfrenta superfícies com pedras soltas e irregulares e dá prioridade ao envio do torque para as rodas traseiras. Já o modo “Off Road” foi pensado para circular em pisos como areia, maximizando a tração e ativando automaticamente o sistema de elevação das suspensões.

O carro pode ser adquirido sem a decoração da Rothmans.

Ambos os modos de condução integram o novo sistema “Rallye Launch Control”; este foi pensado para melhorar as acelerações em superfícies de pouca aderência.

Seria esse o verdadeiro sport utility vehicle?

Como dissemos no início deste texto, o 911 Dakar é uma homenagem ao 953 que venceu o Rali Dakar em 1984. Para reforçar essa ligação, a Porsche disponibiliza o “Pacote Rallye Design”,que recupera as cores dos 953 patrocinados pela tabacaria Rothmans, apresenta um número entre 0 e 999 nas portas e tem acabamentos em couro e Race-Tex no interior. São reproduzidas as faixas e cores, não a marca do cigarro.

Para garantir que o 911 Dakar está apto para se aventurar no fora de estrada, a marca alemã equipou-o ainda com ganchos de reboque, alargadores dos paralamas e proteções de aço inoxidável na zona inferior dos para-choques dianteiro, traseiro e nas saias laterais. A entradas de ar também foram redesenhadas e receberam uma grade de proteção em aço.

Há ainda a destacar a tomada de 12 V no teto para ligar luzes auxiliares e a possibilidade de equipar o 911 Dakar com uma grade de teto para transportar qualquer coisa, de galões a pás ou pranchas de resgate.

O original 911 953 do Paris-Dakar de 1984.

O 911 Dakar estará limitado a 2500 unidades e ainda não sabemos quantas dessas unidades serão destinadas ao mercado brasileiro. Na Europa seu preço está na casa dos US$ 260 mil.


Compartilhe!
1716115481