Blog dos Caruso

A Alfa Romeo e sua estranha mania de não fazer carros feios

Compartilhe!

A Alfa Romeo é uma das marcas italianas de maior simbolismo. Foi fundada em 1910 por Alexandre Darracq, inicialmente como A.L.F.A. (que significava Società Anonima Lombarda Fabbrica Automobili). Desde o início de sua história, já em 1911, a Alfa se envolveu com as competições, o que criou desde cedo sua vocação esportiva, a ponto de mais adiante ter dado origem à Ferrari.

Em 1920, sob comando de Nicola Romeo, a marca passou a ser conhecida como Alfa Romeo, e desde então produzido carros realmente belíssimos, que são listados entre os mais bonitos da história do automóvel. Seus desenhos são realmente arrojados, mas nenhum deles esconde uma dose maior ou menor de esportividade. Mostramos 10 modelos bastante bonitos da marca, cada um em sua época. Impossível listar todos, pois isso iria gerar um texto praticamente sem fim. Afinal, é muito difícil apontar uma Alfa Romeo feio ou sem personalidade.

por Ricardo Caruso

GTV (1995)

Olhe bem esse desenho! Quando se fala de grandes carros, a lista vinda da Itália parece não ter fim. A Alfa Romeo GTV de 1995 quebrou os parâmetros de beleza e ganhou 10 prêmios em 1995 como o carro mais bem projetado e desenhado de sua época. Ela também teve o polêmico jornalista Jeremy Clarkson proclamando a GTV como o melhor carro esportivo em 1998.

Produzido na fábrica da Alfa Romeo em Milão, a GTV foi lançado oficialmente no Salão de Genebra de 1995. As GTV iniciais eram equipados com um motor 2.0 de duas velas por cilindro de faísca dupla, com 150 cv. Versões posteriores também tinham um V6 turbo como opcional.

Originalmente projetada pela Pininfarina e tendo a base inicial de seu desenho em 1988, o estilo GTV foi finalizado em 1993 pelo então chefe de desenho da Alfa Romeo, Walter De Silva.

RL Targa Florio (1923)


 
Como disse no início, desde cedo a Alfa Romeo desenvolveu automóveis para competição e, três anos após a mudança de nome para Alfa Romeo, a marca criou este modelo, que apesar da aerodinâmica não ser muito apurada (na época isso não era algo que exigia muita atenção), aquele imenso trevo de quatro folhas (“Quadrifoglio“) estampado na dianteira se impõe e transmite a sensação de beleza e de sorte, pois foi com esse símbolo que o RL venceu a “Targa Florio” de 1923. As Alfa Romeo RL foram os primeiros automóveis esportivos produzidos após a Primeira Guerra Mundial. A Alfa Romeo RL TF era a versão de competição, com várias alterações. como o peso, que era quase metade das versões de rua,o motor, com virabrequim sete rolamentos, e ainda dois carburadores. Ao longo dos anos, a RL TF foi tendo diferentes motores. Em 1923 estava equipada com um motor 3.2 de 96 cv; em 1924 passou para 3.0 e 90cv e, por fim, 3.6 de 125 cv.

8C 2900B Lungo Touring Berlinetta (1938)


 
Desde cedo a Alfa Romeo começou-se a destacar no cenário automobilístico pelo seu desenho, e este modelo de 1938 não é excepção, com uma carroceria da Touring Superleggera. O nome vem do motor de oito cilindros em linha que servia para equipar uma série de automóveis da marca, desde os de luxo até modelos que competiram na “24 Horas de Le Mans”. Desenhado por Vittorio Jano, este motor serviu para equipar várias Alfa Romeo de competição, e aqui nesta configuração tinha 180 cv.

1900 C52 Disco Volante (1952)


 
Este carro foi desenvolvido para ter a aerodinâmica apurada, e foi dos primeiros modelos da história testados em túnel de vento, trazendo para a época um desenho bastante fluído. Foram produzidos alguns exemplares para testes de 1952 a 1953 em colaboração com a Carrozzeria Touring. Três exemplares conversíveis foram em 1952, com o motor 2.0 de quatro cilindros em linha, construído em alumínio, produzindo 158 cv.

Giulia (1962)


 
O Alfa Romeo Giulia é um dos modelos mais marcantes da Alfa Romeo e apesar de ter linhas bastante retas, típicas da época, é um modelo bastante diferente do tradicional. Foi dos primeiros carros do mundo a utilizar motor potente num sedã de quatro portas produzida em massa. O motor de quatro cilindros em linha, construído em alumínio, tinha duplo comando de válvulas no cabeçote, com 1.3 ou 1.6 litros de cilindrada. A versão mais especial era a Giulia TI Super, construído em número limitado para efeitos de homologação, com somente 501 exemplares produzidos. Estava equipado com motor 1.6, com dois carburadores Weber 45 e produzia 129 cv, garantia de fortes emoções por conta do seu baixo peso de 910 kg.

Carabo Concept (1968)


 
A Alfa Romeo Carabo foi apresentada no Salão de Paris de 1968 e tinha o desenho assinado por Marcello Gandini, que então trabalhava na Bertone e seis anos depois assinou o desenho da Lamborghini Countach (por isso algumas semelhanças entre ambas). Apesar de nunca ser colocado em produção, é um protótipo totalmente funcional. Este modelo foi construído no chassi da Alfa Romeo 33 Stradale, com o motor 2.0V8 de 233 cv, acoplado a uma caixa de câmbio Colotti de seis velocidades.

Alfetta Spider Prototype (1972)


 
A Alfa Romeo Alfetta Spider é o que resultou de quando a Pininfarina recebeu o chassi de uma Alfetta normal e o transformou num automóvel esportivo. A inspiração foram os modelos americanos e, por esse motivo, resulta em linhas mais retas, mas no geral -e para a época- é um modelo bastante agradável. Era a proposta da Pininfarina para substituir a Alfa Romeo Spider Duetto, mas sem verba para o desenvolvimento, o projeto não avançou.

SE048 SP (1990)


 
Este carro foi desenvolvido para competir na Esporte Protótipos, na categoria de Grupo C, mas isso nunca aconteceu, devido a vários problemas. No entanto, este modelo -equipado com um motor de Fórmula 1-, tem desenho muito bonito, mesmo quando comparado com os rivais da época. O seu objetivo dentro do Grupo Fiat era substituir o Lancia LC2, num momento em que os regulamentos tiveram várias mudanças. O chassi foi desenvolvido pela Abarth e nunca foi além da fase de desenvolvimento. O motor 3.5V10 original, o mesmo utilizado pela equipe Ligier na Fórmula 1, foi substituído durante o desenvolvimento, por um V12 de origem Ferrari.

155 V6 TI DTM (1996)


 
A pequena Alfa Romeo 155 tem desenho arrojado. O modelo que competiu na DTM e posteriormente na ITC, principalmente com a decoração da Martini, é simplesmente maravilhoso. Apesar de bastante alargado e com vários apêndices aerodinâmicos, todas as linhas são bastante limpas. Foi desenvolvido pela Alfa Corse, competindo de 1993 a 1996, utilizando o motor 2.5V6 de 426 cv. Em 1996 o motor foi modificado e passou a ter 490 cv a 11.900 rpm!

8C Competizione (2007)


 
A Alfa Romeo 8C Competizione é um carroa muito exclusivo, produzido em 2007, após o primeiro protótipo ter sido mostrado em 2003. Somente 500 exemplares foram produzidos, mais 500 do 8C Spider. Montado tendo como base a Maserati GranTurismo, usava motor de origem Ferrari, 4.7V8 de 4.7 450 cv.

“São muitas as marcas automóveis e, entre elas está a Alfa Romeo, que ocupa um lugar à parte. É uma espécie de doença o entusiasmo por este meio de transporte, é um modo muito particular de se conceber um automóvel” . Orazio Satta Puliga, engenheiro e diretor de projetos e da área experimental da Alfa Romeo de 1946 a 1973.


Compartilhe!
1716320100