SlideTecnologia

Barato: Citroën prepara o novo C3, elétrico, para a Europa

Compartilhe!

O próximo Citroën C3 europeu terá uma versão 100% elétrica, batizada de ë-C3, e a marca promete preço baixo, suficiente para incomodar os chineses. Na faixa dos US$ 25 mil, o novo ë-C3 antecipa-se à Renault e Volkswagen no lançamento de um elétrico para o segmento de carros pequenos com preço competitivo.

por Marcos Cesar Silva

Farol do Citroën Oli

A informação veio de Thierry Koskas, diretor executivo da Citroën, durante uma entrevista a jornalistas especializados. “A Citroën quer tornar a mobilidade elétrica acessível a todos”, explicou. Com esta meta de preço (US$ 25 mil) em mente, a Citroën não esconde quem serão os seus principais rivais. Tanto a Renault como a Volkswagen já estabeleceram que o Renault R5 (para 2024) e o ID.2 (para 2025), respectivamente, também vão ter preços começando em torno dos US$ 25 mil.

Importante não esquecer que a Dacia/Renault já tem na Europa um modelo 100% elétrico no mercado mais acessível, o Spring, que é o Kwid E-Tech vendido aqui. O Citroën ë-C3 vai se posicionar num segmento de mercado acima. Será maior (cerca de 4,0 m de comprimento), enquanto o Spring tem 3,73 m; e promete ser melhor equipado. “Ele terá absolutamente todo o equipamento necessário para um carro do seu segmento”, garantiu Koskas.

A Citroën ainda não divulgou nenhum dos detalhes técnicos do novo ë-C3, mas durante esta entrevista, o executivo da marca francesa confirmou que este elétrico terá autonomia superior a 300 km. O que mais uma vez o distancia da proposta da Dacia, que traz 230 km de autonomia na versão de 45 cv.

Apesar de não confirmado de forma oficial, é seguro afirmar que o Citroën ë-C3 vai ser equipado baterias de fosfato de ferro-lítio (LFP). Estas são mais baratas do que as baterias tradicionais de ions de lítio (NMC, ou níquel, manganês e cobalto), mas que se caracterizam por ter uma densidade energética.

Com uma relação muito próximo do C3 que a Citroën apresentou no ano passado para a Índia e para o Brasil (América do Sul), o novo ë-C3 deverá usar uma versão atualizada da plataforma CMF-B da Stellantis. Será produzido na Eslováquia, na fábrica de Trnava, onde serão feitos os futuros C3 Aircross e Opel Crossland, também em 2024.

O novo ë-C3 vai iniciar uma revolução dentro da Citroën, colocando a marca francesa na rota dos modelos 100% elétricos acessíveis às massas. Mas não é só no preço que este modelo se destacará. Também deverá ser influenciado por muitas das soluções estéticas que a marca francesa apresentou no Oli, protótipo que os jornalistas europeus já experimentaram (abaixo).

Elementos de estilo do Oli devem estar presentes no novo C3 elétrico.

Podemos esperar, com isso, uma imagem jovem e divertida do carro, como sempre foi com os Citroën C3. As formas deverão ser mais retilíneas que no modelo atual e deverá contar com elementos que em geral são encontrados em SUVs, como para-choques e bordas de para-lamas.

O novo Citroën ë-C3 vai ser apresentado ainda este ano, em outubro, mas as primeiras unidades só vão chegar às ruas no início de 2024. Para o Brasil, é uma possibilidade, mas a Stellantis não fala nada a respeito. O país ainda precisa se adaptar aos carros elétricos.


Compartilhe!
1713676561