Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Coronavírus: como está a situação de cada marca

Compartilhe!

Depois do que aconteceu com o Salão do Automóvel de Genebra, a indústria automotiva enfrenta agora a situação imposta pelo coronavírus com outra preocupação, a dos seus funcionários nas fábricas. Por isso, praticamente todos fabricantes, em todos os cantos do planeta, pararam temporariamente, as suas fábricas, para evitar a propagação do vírus entre os seus funcionários, embora já tenham sido relatados casos de trabalhadores infectados na Europa.No Brasil, GM, Honda, Fiat Chrysler, Toyota e BMW já pararam. As demais ainda não se posicionara a respeito.

Na Europa e Estados Unidos, tudo está praticamente parado. Conheça agora a lista de fabricantes que estão com a produção suspensa:

BMW – A BMW anunciou que iria parar todas as suas fábricas europeias (quatro no Reino Unido, oito na Alemanha e uma na Áustria), bem como a fábrica de Rosslyn, na África do Sul, e a fábrica de Spartanburg, nos Estados Unidos. A do Brasil já parou.

Daimler – O Grupo Daimler decidiu parar todas as fábricas europeias, afetando assim a produção de marcas como a Mercedes-Benz, Mercedes-AMG e Smart, bem como de veículos comerciais. As divisões profissionais (Mercedes-Benz Trucks, FUSO e Daimler Buses) continuarão operando, para garantir o fornecimento de veículos, peças e assistência a todas indústrias e serviços de distribuição que continuam trabalhando.

Ferrari – Sendo a Itália um dos países mais afetados pela crise do Covid-19, não causa nenhum espanto a Ferrari ter parado as suas duas fábricas, em Maranello e Modena.

Ford – A Ford parou todas as suas fábricas de veículos e motores na Europa, incluindo as fábricas de Colonia e Saarlouis na Alemanha, Valência na Espanha e Craiova na Romênia. Já nos Estados Unidos, deverão ser paradas todas as fábricas, incluindo as do Canadá e México.

General Motors – Embora já não tenha ligação com a Europa, a General Motors continua a ser um dos maiores fabricantes automóveis do mundo, tendo decidido parar todas as suas 11 fábricas nos Estados Unidos e as do Brasil.

Grupo FCA – O Grupo FCA decidiu suspender os trabalhos em todas as suas fábricas na Europa, inclusive a fábrica da Maserati, em Modena. Ao todo, estão paradas as fábricas de Cassino, Grugliasco, Melfi, G. Vico e Mirafiori Carrozzerie, na Itália, bem como a fábrica de Kragujevac, na Sérvia, e a fábrica de Tychy, na Polônia. Já nos Estados Unidos, foram paradas todas as suas seis fábricas, e no Brasil as unidades da Fiat e Jeep.

Grupo PSA – O Grupo PSA, que detém marcas como a Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall, decidiu parar todas as suas fábricas europeias, um total de 15. Ao todo fecharam temporariamente as fábricas de Mulhouse, Poissy, Rennes, Sochaux e Hordain na França; Madri, Saragoça e Vigo, na Espanha; Ellesmere Port e Luton, no Reino Unido; Eisenach e Rüsselsheim, na Alemanha; Gliwice, na Polônia; Trnava, na Eslováquia e a de Mangualde, em Portugal.

Grupo Volkswagen – O Grupo Volkswagen, o maior grupo automotivo do mundo, é dos mais afetados, já que reúne inúmeras fábricas de todas as suas marcas no seu portfólio, como a Audi, Bugatti, Ducati, Lamborghini, Porsche, Seat, Skoda e a própria Volkswagen. Com um total de 124 fábricas, só na Europa existem 72, das quais 28 na Alemanha. Começando pela Audi, foram paradas as suas fábricas na Bélgica, Alemanha, Hungria, Eslováquia e México. A fábrica da Bugatti, em Molsheim, França, também parou. A histórica Ducati também trancou as portas da sua fábrica italiana, localizada na região mais afetada da Europa, à semelhança do que aconteceu com a fábrica da Lamborghini, em Sant’Agata Bolognese. A Porsche parou em todas as suas instalações na Alemanha, tal como a Seat em Espanha, e a Skoda na República Tcheca. Por fim, a Volkswagen parou apenas parte das suas fábricas, como as de Wolfsburg, Emden, Dresden, Osnabrück, Zwickau, Braunschweig, Chemnitz e Hannover na Alemanha, três fábricas na Polônia, uma na Eslováquia, uma em Pamplona, Espanha, e a Autoeuropa, em Portugal. A fábrica de Chattanooga, nos Estados Unidos, também parou.

Honda – A Honda parou a sua única fábrica europeia, em Swindon, no Reino Unido, mas suspendeu a fabricação igualmente em todas as suas fábricas nos Estados Unidos, incluindo duas fábricas no Canadá e uma no México, e no Brasil.

Hyundai – A fábrica da Hyundai em Nosovice, na República Tcheca, está parada, bem como a sua fábrica no Alabama, Estados Unidos.

Jaguar Land Rover – A Jaguar Land Rover anunciou o encerramento temporário de todas as suas fábricas europeias (cinco no Reino Unido e uma na Eslováquia).

Kia – A Kia parou a sua única fábrica na Europa, Žilina, na Eslováquia, mas as fábricas nos Estados Unidos têm funcionado de forma intermitente, devido a falhas no fornecimento de matérias-primas e componentes.

Nissan – A Nissan parou a fábrica de Sunderland, no Reino Unido, e as duas fábricas em Barcelona, Espanha. No Brasil, continua operando.

Renault – A Renault parou todas as suas fábricas na França, num total de 12 unidades, incluindo duas fábricas em Espanha, Valência e Valladolid.

Tesla – Após alguma insistência, a Gigafactory da Tesla em Fremont, na Califórnia, parou a produção.

Toyota – A Toyota trancou todas as suas fábricas europeias, a de Ovar, duas no Reino Unido, duas na Polônia, uma na França, uma na Turquia e uma na República Tcheca, que funciona em conjunto com o Grupo PSA, para a produção do Toyota Aygo.

Volvo – Na Europa, a Volvo parou todas as suas fábricas, três na Suécia e uma na Bélgica, tendo suspendido igualmente a fábrica na Carolina do Sul, nos Estados Unidos.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *