Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

E o Boeing 747 (Jumbo) fez seu último vôo nos Estados Unidos

Compartilhe!

Desde o último dia 3 de janeiro de 2018, o Boeing 747 -o Jumbo- não é mais visto no céu dos Estados Unidos. Com o código de voo 9771, o Boeing 747-400 número 6314 da Delta Airlines realizou a sua última viagem em espaço aéreo norte-americano, ao voar de Atlanta até Pinal Air Park, em Marana, Arizona, transportando no seu interior 48 funcionários da companhia aérea e jornalistas convidados.

Apresentado em 6 de fevereiro de 1969, fez seu primeiro voo comercial em 22 de janeiro de 1970, pela Pan Am. O Boeing 747 foi, durante anos, a maior aeronave de transporte de passageiros, mas de lá para cá a indústria mudou bastante, com a introdução de aeronaves não só maiores -como o Airbus A380- como ainda de modelos menores e significativamente mais eficientes, no caso o Airbus A350-900, que vem substituindo os Boeing 747-400 na frota da Delta.

 

Desde o seu lançamento, foram produzidos mais de 1500 aeronaves na gigantesca fábrica da Boeing em Everett, com um total de bilhões de quilômetros voados, bem como de passageiros transportados. Porém, nem tudo foi tranquilidade na vida do Jumbo, e existiram alguns acidentes, alguns causados por atos terroristas, como as aeronaves que foram destruídas por bombas a bordo, como o 747 da Air India em 1985 e o 747 da Pan Am em 1988.

Exatos 1540 Boeing 747 foram construídos até o final de 2017, e ainda existem 14 encomendas a serem entregues. Apenas 61 não conseguiram cumprir a tarefa de chegar ao destino, mas mesmo nessas aeronaves, mais de metade dos incidentes não contribuíram para a perda de vidas humanas, o que é impressionante para a marca de mais de 3,5 bilhões de pessoas transportadas. No total foram 3722 mortes causadas por acidentes com o 747.

O preço do 747-100 era de US$ 24 milhões (definido em 1967, três anos antes de começar a voar); 747-200, US$ 39 milhões (1976) e 747-300, US$ 83 milhões (1982).

Atualmente, para poder voar num 747, você terá que usar uma companhia aérea europeia (como British Airways, Air France, KLM ou Lufthansa) ou asiática (Air China, China Airlines, Korean Air ou Singapure Airlines).

OS JUMBO DA VARIG

Os B747-400 começaram a voar com as cores da VARIG em dezembro de 1991, inicialmente na rota São Paulo-Roma. O de prefixo PP-VPI foi o primeiro B747-400 a ser incorporado à frota. Essas aeronaves usavam eletrônica de última geração, eliminando a necessidade de engenheiro de voo. Era equipado com “winglets” nas extremidades das asas, o que reduz o atrito aerodinâmico e, consequentemente, o consumo de combustível.

O segundo, PP-VPG, foi entregue em 1º de junho de 1992 e o terceiro, PP-VPH, em 20 de abril de 1993. Com os Boeing 747-400, a VARIG iniciou o seu voo para Hong Kong e Bangkok, com escala em Johanesburgo. Eles também operaram na rota para Frankfurt, Buenos Aires e Nagoya.

Tudo isso é história e boas lembranças. Os Boeing 747-400 da Varig foram devolvidos em pouco tempo, devido ao alto custo do leasing. Os três exemplares foram devolvidos no segundo semestre de 1994.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *