Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Escândalos: depois do “dieselgate”, vem aí o “açogate”…

Compartilhe!

Em outros tempos, seria motivo para harakiris em série, mas o mundo perdeu a vergonha. Como se já não existissem escândalos suficientes em torno da indústria automotiva, o Japão nos brinda com mais um. Acaba de eclodir um novo e de proporções verdadeiramente gigantescas, que não se sabe onde poderá terminar, podendo colocar em risco várias indústrias daquele país, em especia os fabricantes de automóveis!

A Kobe Steel, gigante nipônica do aço, reconheceu que tem fornecido produtos adulterados e de características técnicas fraudadas ao longo dos últimos 10 anos! 

Depois do “Dieselgate” que fez estremecer o poderoso Grupo VW e do caso dos “airbags” defeituosos da Takata, que fornecia para inúmeras marcas e que acabou por levar a gigantesca empresa japonesa à falência, aparece agora esta história incrível da siderurgia oriental, fornecedora não só de praticamente todas as marcas de automóveis locais, mas também da indústria de defesa e de muitos outros sectores, num total de 200 empresas… 

Foram vários os departamentos da Kobe Steel que reconheceram que era prática corrente, há cerca de uma década, a falsificação dos formulários com as características dos produtos de ferro, alumínio e cobre, colocando dados sobre resistência ou flexibilidade do material, entre outros, que não correspondiam à realidade. Mas que eram os necessários para esses materiais serem homologados e satisfazerem as necessidades dos clientes finais… 

Entre esses clientes estão a Toyota, Nissan, Honda, Mitsubishi, Mazda e Subaru. Enquanto as ações da Kobe Steel desabaram (21% no da da denúncia e 20% no dia seguinte), o governo pressionou a empresa a apurar as consequências da sua fraude, até porque estão envolvidos muitos equipamentos de Defesa…

Também do lado das montadoras de automóveis será preciso haver um aprofundado estudo, para ver até que ponto os materiais provenientes da Kobe steel podem colocar em risco os níveis de segurança exigidos pelas próprias marcas.

Agora, imagine que sejam descobertas fragilidades importantes e comprometedoras nos aços fornecidos pela Kobe Steel aos fabricantes japoneses –e aqui estamos falado apenas dos carros construídos nas fábricas japonesas– as consequências que isso teria são incalculáveis. Implicaria recolher todos os automóveis construídos no Japão e substituí-los, pois não se pode reparar uma estrutura se o aço usado na sua construção tiver sido fraudado! Sme a isso ações na justiça e teria custos gigantescos, a ponto de desestabilizar um país.

Quando pensamos que, em termos de automóveis, já presenciamos ao maior escândalo possível, há sempre uma surpresa virando a esquina! Vamos aguardar cenas dos próximos capítulos.

 

 

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español