LANÇAMENTO: Fiat Argo, a partir de R$ 46.800

Compartilhe!

Se a ideia eé buscar de volta a liderança do mercado brasileiro -perdida para a General Motors e seu Onix- ao que tudo indica a Fiat deu o passo certo. Essa é a missão do Argo, hatch pequeno que de uma vez só chegou para assumir o lugar do Palio (a versão 1.0 continua mais um tempo em produção) e do Punto. AUTO&TÉCNICA avaliou a novidade da Fiat.

79034aec-4126-49e4-a6be-c0fb63907246

A linha Argo tem no total sete versões, com três opções de acabamento (Drive, Precision e a esportica HGT), três de motores (Firefly 1.0 e 1.3 e E-Torq 1.8) e três de transmissão (manual de cinco marchas, automatizada GSR Comfort também de cinco marchas e automática de seis), mais uma série limitada de lançamento. Os preços vão de R$ 46.800 e R$ 75.200 (sem opcionais).

Não é só o Onix que está na mira do Argo. Hyundai HB20, e Ford Fiesta também, entre outros menos expressivos. A Fiat desenvolveu aqui o Projeto X6H, que traz alguma semelhança em termos de estilo com o novo Tipo europeu. Na sequência vira um sedã para aposentar o Grand Siena (chamado de Projeto X6S), uma mini SUV e a nova Strada.

BEM RESOLVIDO

Produzido em Betim, MG, o Argo é um carro que impressiona logo de cara, com desenho atual e todos os detalhes bem cuidados, como vincos na carroceria, faróis sofisticados, lanternas dianteiras com leds e frente imponente. De cara ele envelhece todos os concorrente.

GALERIA DE FOTOS ARGO HGT

Por dentro, diferente dos primeiros Fiat nacionais que conhecemos, a sensação de bom acabamento está por todos os lados, exibindo ainda o cuidado com cada detalhe e componente. Há uma faixa horizontal no painel, na cor prata nos Drive e Precision, e vermelho fosco no HGT.

O grupo de instrumentos tem uma tela central com informações de áudio, computador de bordo, velocímetro digital, mensagens, voltímetro, horas de uso do motor e termômetro de óleo. A tela multimídia central de sete polegadas é uma atração a parte no interior do carro, a melhor da categoria.

O espaço interno é bom e os bancos acomodam bem os ocupantes, com apoios lombar e laterais, apoio para o pé esquerdo e, nas versões 1.8, o volante (de belíssimo desenho) é ajustável também em distância (nos demais só regula a altura).

A conectividade vai ganhando cada vez mais espaço nos carros atuais, exigência dos novos costumes do usuário. No mercado atual, pode-se usar multimídia de melhor ou menor qualidade, mas ele tem que estar lá. O sistema é de série a partir da versão Drive 1.3 (opcional na 1.0) tem tela touchscreen de sete polegadas, que parece mais um laptop encaixado no painel.

Tem compatibilidade com Android Auto e Apple Car Play para operar com os aplicativos do smartphone. A tela é utilizada ainda como câmera de ré. Os comandos de áudio ficam atrás do volante, padrão tipicamente norte-americano  que deve ter sido herdado da Chrysler.

Outros mimos são a chave presencial para acesso ao interior e tampa traseira; partida por botão; retrovisor interno fotocrômico e espelhos externos com rebatimento elétrico; controle automático para o condicionador de ar e acionamento por sensores dos faróis e limpador de para-brisa. Os três difusores de ar centrais lembram os Alfa Romeo (saudosistas sonharão com três instrumentos ali…), e há degradê no para-brisa.

MAIS ESPAÇO

Comparado com Onix e HB20, as dimensões do Argo são mais generosas na largura, altura interior e na distância entre o pedal do acelerador e encosto do banco. Nitidamente ele é o mais espaçoso da categoria. O porta-malas tem 300 litros, dentro do esperado nessa classe de carros; o banco traseiro é bipartido nos 1.8. As rodas, de desenho muito bonito, são aro 16 ou 17, enquanto o estepe é aro 15, de uso provisório.

A Fiat garantiu que a plataforma do Argo é nova, a MP1. Mas acreditamos que é baseada na do Punto, que era baseada no Palio de primeira geração. Para melhorar a rigidez estrutural, foram usados aços de alta resistência, enquanto as colunas das portas são estampadas a quente. Em relação ao Punto, a marca afirmou que o aumento da rigidez torcional foi de 7% e em flexão de 8%. Nos testes de impacto realizados, os resultados foram bons, o que deverá ser confirmado pelo Latin NCAP.

MOTORES

Nenhuma novidade em termos de motores. São os conhecidos 1.0 e 1.3 da linha Firefly, com duas válvulas por cilindro, bloco de alumínio, variador do tempo de abertura das válvulas e alternador com funcionamento seletivo (maior capacidade quando o motor desacelera, por exemplo).

O 1.0 tem potência máxima de 72/77 cv e torque máximo de 10,4/10,9 mkgf. O 1.3 gera 101/109 cv e 13,7/14,2 mkgf, (gasolina/etanol). Só o 1.3 pode usar a transmissão automatizada GSR Comfort, a evolução da Dualogic,  apresentada recentemente no Uno 2017.

As duas versões superiores usam o E-Torq, na geração Evo VIS, com variação de tempo de abertura das válvulas e coletor de admissão variável, como acontece no Jeep Renegade 2017 e na picape Toro 2018. Esse motor tem curva de torque melhor que a versão original que era usada no Punto.

Com quatro válvulas por cilindro, tem 135/139 cv e 18,8/19,3 mkgf. Isso é uma boa oferta para o Argo, que tem 1.243 kg (com câmbio manual), que permite acelerar de zero a 100 km/h em 9,2 segundos e atingir velocidade máxima de 192 km/h (com etanol).

Nesse motor maior, há a opção da caixa de câmbio automática. Automática mesmo, nada de automatizadas. Esta tem conversor de torque e seis marchas, sendo a mesma usada na Toro, caixa esta pela primeira vez aplicada num carro Fiat.

Entre várias funções, ele tem o “neutro”, que desacopla a transmissão com o carro imobilizado, para reduzir consumo, e conta com comandos junto ao volante, da mesma forma que acontece com a automatizada. Todos os motores têm acionamento do comando de válvulas por corrente, Start/Stop com possibilidade de desativação e sistema de pre-aquecimento de álcool para partida a frio.

Sofisticado de desenho, o Argo é também muito atual nas suas características técnicas. A direção tem assistência elétrica (antes era hidráulica) e ganhou recursos eletrônicos que eram ausentes de Palio e Punto, como monitoramento da pressão dos pneus (a partir do 1.3), controle de estabilidade e tração e assistente de saída em rampa (no 1.3 automatizado e 1.8).

SEGURANÇA

A segurança segue o padrão nacional, com itens como fixação Isofix para cadeirinha infantil, e cintos de três pontos e apoios de cabeça para os cinco ocupantes. Airbags laterais são opcionais só no 1.8.

Rodamos com o esportivo HGT, e essas primeiras impressões foram muito agradáveis, com motor eficiente (por que não turbo?), rodagem macia, silêncio interno e volante com peso correto.

O motor 1.8 não é exatamente um primor de esportividade, e acaba prejudicado um pouco pelo peso do carro (acima de 1.200 kg), mas é silencioso e, a 120 km/h em sexta marcha, por exemplo, trabalha a apenas 2.400 rpm.

Nas curvas, confirmou o excelente acertou das suspensões. Por falar em suspensões, elas são McPherson na dianteira e com eixo de torção na traseira. O HGT tem calibragens mais esportivas nas molas, amortecedores e barra estabilizadora dianteira. Conta ainda com ajustes específicos do controle de estabilidade e da assistência de direção; freios dianteiros com discos de maior diâmetro e pode receber rodas aro 17.

No geral o Fiat Argo agradou muito. Tem um belo desenho, mecânica conservadora e eficiente, bom acabamento e é agradável de ser dirigido. Todas estas virtudes parecem ser suficientes para a Fiat alcançar sua ambição, que é a liderança do mercado e o carro mais vendido do país. Os concorrentes que se cuidem a partir de hoje.

VERSÕES E PREÇOS

  • Argo Drive 1.0 manual (R$ 46.800) – Ar-condicionado, banco do motorista com ajuste de altura, cintos de três pontos para todos os ocupantes, controle elétrico de vidros dianteiros e travas, direção assistida elétrica, fixação Isofix para cadeirinha infantil, Start/Stop do motor e espelhos retrovisores com luzes de direção. Opcionais: câmera traseira de ré com sensores de estacionamento, controle elétrico de vidros traseiros e retrovisores, rádio, multimídia com tela de 7 polegadas e comandos no volante.
  • Argo Drive 1.3 manual (R$ 53.900) – Acrescenta ao Drive 1.0 monitoramento da pressão dos pneus, sistema multimídia com tela touchscreen de 7 polegadas compatível com os sistemas Apple Car Play e Android Auto, entrada USB na traseira e volante com comandos de áudio e telefone. Opcionais: câmera traseira de ré com sensores, controle elétrico de vidros traseiros e retrovisores, faróis de neblina com rodas de alumínio de 15 polegadas.
  • Argo Drive 1.3 GSR (R$ 58.900) – Acrescenta ao Drive manual assistente de saída em rampa, cruise control, controle elétrico de vidros traseiros e retrovisores, controle eletrônico de estabilidade e tração e transmissão automatizada de cinco marchas com comandos no volante. Opcionais: câmera de ré com sensores, faróis de neblina e rodas de alumínio de 15 polegadas.
  • Argo Precision 1.8 manual (R$ 61.800) – Acrescenta ao Drive manual, mais alarme antifurto, assistente de saída em rampa, banco traseiro bipartido, controle elétrico de vidros traseiros e retrovisores, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis de neblina, luzes de posição de leds e rodas de alumínio aro 15. Opcionais: bancos de couro sintético, airbags laterais, câmera de ré com sensores, rodas de alumínio aro 16, “pacote” com ar-condicionado automático/chave presencial/faróis e limpadores com acionamento automático/retrovisor fotocrômico/tela de 7 polegadas nos instrumentos.
  • Argo Precision 1.8 AT6 (R$ 67.800) – Acrescenta ao Precision manual apoio de braço para o motorista, cruise control, transmissão automática de seis marchas com comandos no volante e volante revestido de couro. Opcionais: os mesmos do manual.
  • Argo HGT 1.8 manual (R$ 64.600) – Acrescenta ao Precision manual detalhes aerodinâmicos, mostrador com tela configurável de 7 polegadas, rodas aro 16 com pneus 195/55 e suspensão esportiva. Opcionais: bancos de couro, airbags laterais, câmera traseira de ré, rodas de alumínio aro 17, “pacote”com ar-condicionado automático/chave presencial/faróis e limpadores automáticos, retrovisor fotocrômico).
  • Argo HGT 1.8 AT6 (R$ 70.600) – Acrescenta ao HGT manual apoio de braço para o motorista, cruise control e transmissão automática de seis marchas com comandos no volante. Opcionais: os mesmos do manual.
  • Argo Opening Edition Mopar 1.8 AT6 (R$ 75.200) – Como o HGT AT6, mais as três primeiras revisões gratuítas, protetor de soleira das portas, rodas de alumínio com pintura escurecida, defletor traseiro, teto e retrovisores externos pintados de preto.

A Mopar oferece para o Argo 53 acessórios, incluindo sistema multimídia com tela de 9 polegadas, rodas de alumínio aro 16, teto adesivado de preto fosco, alto-falantes especiais, iluminação exclusiva interna, engate para reboque, alarme e sensores de estacionamento, entre outros.

imagem (69)


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *