Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

LANÇAMENTO: CHEVROLET NOVO CRUZE 1.4 TURBO

Compartilhe!

O preço aumentou, mas o Novo Cruze justifica isso: chegou totalmente remodelado, com novo motor e maior nível de tecnologia. O visual mistura estilo conhecido dos japoneses e coreanos da categoria, o que é necessário para a marca entrar nesse segmento.

O Novo Cruze praticamente traz de volta o conceito de “carro mundial”, trazido para cá pela GM com os veteranos Chevette e Monza: o projeto de um modelo para ser comercializado em vários mercados, com intercâmbio de componentes e adaptações a cada país.

014 (640x427)

O Novo Cruze acabou de ser apresentado, e traz algumas boas surpresas. Ficou maior, mais leve e mais equipado, com ganhos na dirigibilidade, conforto, esportividade e desempenho. O carro é feito na Argentina e chegou com motor 1.4 turbo Flex com injeção direta e sistema Stop/Start, o que garante boa potência específica e baixo consumo de combustível no nível dos compactos populares.

016 (640x427)

Modelo traz ainda sistemas de auxílio à condução em manobras de estacionamento e em casos de troca involuntária de faixa; a lista de itens de segurança agora inclui alerta de colisão e de ponto cego .

A segunda geração do Cruze foi apresentada no início deste ano no Salão de Detroit. Tudo nele mudou. O estilo é cupê de quatro portas –que praticamente elimina o volume traseiro- e mesmo lembrando concorrentes orientais, traz linhas elegantes e ficou ligeiramente maior.

NOVIDADES

Com isso há ganhos no espaço interno. O interior ficou mais sofisticado e traz uma extensa lista de equipamentos de conforto, conveniência e segurança, como o sistema de estacionamento automático e o assistente de permanência na faixa; caso o carro detecte que está saindo da pista involuntariamente, um sinal é emitido e a trajetória pode ser corrigida automaticamente pelo veículo.

 Outra boa novidade é o inédito motor com tecnologia Ecotec turbo com Stop/Start e injeção direta de combustível. Ele agrega o melhor dos dois mundos: elevada potência específica, típica de esportivos com cilindrada superior, e consumo similar ao de compactos 1.0.

Assim como o propulsor, a transmissão automática de seis velocidades também é a mesma utilizada no recém-lançado Novo Cruze norte-americano. Para o mercado brasileiro, no entanto, o conjunto foi ajustado para poder rodar com gasolina e/ou etanol, o que resultou ainda em um ganho de potência e torque.

A potência máxima não é de causar espanto –em especial por conta do uso de turbocompressor- mas é adequada à proposta do carro. São 153 cv (com etanol) e 24,5 mkgf de torque. Com isso, o sedã está muito mais ágil, tanto em acelerações como em retomadas de velocidade. O turbo auxilia e muito nesta tarefa.

CONECTADO

Em relação à conectividade, que está se tornando ponto forte dos modelos Chevrolet, o Novo Cruze é uma boa vitrine tecnológica da marca. O multimídia é de última geração e traz Android Auto e Apple CarPlay, tela de 8 polegadas de alta definição, navegador e comando de voz.

O computador de bordo é colorido e fica no centro do quadro de instrumentos. Permite configurar e monitorar as mais variadas funções do veículo, como a pressão de cada um dos pneus, níveis de uso do óleo e da bateria, forma de dirigir mais econômica, -mostrando inclusive a evolução recente neste quesito- e outros detalhe.

Para a versão 2017 do Cruze, o OnStar soma aos serviços já em uso (de emergência, segurança, proteção patrimonial, concierge e conectividade) a nova versão do aplicativo, com o alerta de valet (o dono recebe uma mensagem caso o manobrista se distancie mais de 500 metros com o carro). Outra exclusividade que estreia no OnStar do sedã é a orientação de navegação feita por meio de setas na tela do computador de bordo e comando de voz.

O Novo Cruze chega em duas configurações de acabamento: LT LTZ; há a possibilidade de uma versão RS, esportiva, para breve. São seis opções de cores, todas muito conservadoras: Branco Abalone, Vermelho Edible Berries, Cinza Satin Steel, Preto Ouro Negro, Branco Summit e Prata Switchblade. As vendas começam em julho.

CARRO GLOBAL  

 O conceito de “carro mundial” hoje se chama “modelo global”, e o Cruze é um exemplo de sucesso da Chevrolet, com mais de quatro milhões de unidades vendidas.

 A silhueta do veículo é marcada pela caída mais acentuada do teto em direção ao porta-malas, que tem tampa curta e alta, com spoiler incorporado. As rodas de alumínio de 17 polegadas e as linhas bem definidas na lateral reforçam o caráter esportivo.

Influenciado pelos novos Chevrolet Impala e Malibu, o Cruze traz a mais nova identidade global da marca, um releitura da cansada grade bipartida, com os faróis e a grade superior integrados.

No para-choque dianteiro, destacam-se os apêndices aerodinâmicos, incluindo o spoiler integrado à base e as “asas” que ressaltam os faróis auxiliares. Por todo conjunto ser caracterizado por linhas horizontais, a impressão é que o carro é mais largo e baixo.

A traseira alta reforça o visual imponente do sedã, e as lanternas -agora horizontais- lembram as do Camaro, pela disposição das lâmpadas e pela “assinatura” luminosa que cria à noite. O para-choque é marcado por vincos e por defletores nas extremidades. No teto chama a atenção um discreto defletor que integra a terceira luz de freio.

O desenho da segunda geração do Cruze é resultado do trabalho dos projetistas e do resultado dos testes de otimização aerodinâmica feitos em túneis de vento. Com isso, chegou-se ao coeficiente de penetração aerodinâmica de Cx 0.30, bom para o porte do carro.

Em relação às proporções da carroceria, o Novo Cruze ficou 62 mm mais comprido, 9 mm mais alto e seu entre-eixos é 15 mm maior que o antecessor. Estas novas proporções e dimensões possibilitam interior com mais espaco e conforto aos ocupantes.

POR DENTRO

O interior mantem o conceito “dual-cokpit” que separa bem a área do painel destinada ao motorista e ao passageiro, mas com um novo design.

A direção é elétrica com regulagem de altura e profundidade. Multifuncional, o volante agora agrupa teclas na parte dianteira e traseira, permitindo um maior número de integrações com o veículo. Sentimos falta dos “shift pads” junto ao volante, para as trocas de marchas. Num carro desse preço, o recurso é quase obrigatório.

O quadro de instrumentos de fácil leitura traz os principais dados do veículo e pode vir com um computador de bordo de última geração. Conta com tela colorida de 4,2 polegadas e cinco modos de visualização: informações gerais do veículo, como pressão dos pneus, vida útil do óleo e distância do carro da frente; informações do sistema de áudio; informações do sistema de telefonia; informações sobre o sistema de navegação e um menu configurável que permite, por exemplo, exibir a velocidade de maneira digital.

O computador de bordo ainda possui a função ECO que auxilia o motorista a dirigir de maneira a privilegiar o menor consumo de combustível. É possível inclusive consultar o desempenho do carro neste tema nos últimos 50 km percorridos.

Na parte superior central do painel está a mais nova geração do sistema multimídia da Chevrolet, o MyLink 2, com tela de 8 polegadas de alta definição, além de Android Auto e Apple CarPlay, que permitem maior integração com o smartphone do usuário. Comando de voz e navegação embarcada estão disponíveis.

O novo painel é também caracterizado pelo acabamento mais refinado, com materiais suaves ao toque e cromados. O revestimento premium dos bancos e dos painéis das portas é igualmente inédito. Na versão LT a cor predominante é o preto, já na LTZ, o cinza impera.

Nos dois, um guia de LED azul agora emoldura os comandos do multimídia e do ar-condicionado digital, facilitando a localização das teclas principalmente à noite.

BEM EQUIPADO

Herança da geração anterior, o Novo Cruze vem completo desde a versão mais acessível. Além dos itens comuns a modelos de sua categoria, o Chevrolet traz controle eletrônico de tração e de estabilidade, freios ABS com EBD (distribuição da força de frenagem) e PBA (frenagem de emergência), direção elétrica, luz de condução diurna, cruise control, abertura e fechamento dos vidros por controle remoto, tomada de 12V também para os ocupantes traseiros, revestimento premium dos bancos, OnStar e sistema isofix de fixação de cadeirinha infantil.

O assistente de partida em rampas, o sistema de monitoramento da pressão dos pneus, a câmera de ré, o sensor de estacionamento, o sistema de áudio de alta definição e o multimídia MyLink também passam a ser equipamentos de série a partir de então.

Já a versão top de linha (LTZ) acrescenta, entre outros, airbags laterais e de cortina, faróis com regulagem de altura e luz de condução diurna em LED, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, sensor de chuva, sensor crepuscular, abertura das portas por sensor de aproximação na chave e partida por botão no painel, acionamento da ignição por controle remoto, retrovisores externos com rebatimento elétrico e aquecimento, retrovisor interno eletrocrômico, multimídia MyLink com GPS integrado, acabamento da grade e das maçanetas externas em cromo e rodas com pintura escurecida.

A novidade para a versão LTZ do Novo Cruze é um “pacote” Hi-Tech inédito em veículos do segmento –a Chevrolet destacou como concorrentes principais o Toyota Corolla e o Audi A3- e que coloca o sedã médio da Chevrolet no mesmo patamar tecnológico de modelos premium importados de preço e categoria superiores.

Esse conjunto se destaca pelos seguintes itens: assistente de permanência na faixa; alerta de colisão frontal; alerta de ponto cego; sistema de estacionamento automático; farol alto inteligente; carregador de celular sem fio e banco do motorista com ajustes elétricos.

O assistente de permanência na faixa possui uma câmera na parte superior do para-brisas que “lê” as faixas da via e faz eventuais correção na trajetória do veículo ao perceber que ele está saindo involuntariamente da pista.

O alerta de colisão frontal é um equipamento de segurança bastante útil no dia a dia. Por meio dele, o motorista estabelece eletronicamente a distância mínima em relação ao veículo à frente, podendo, por exemplo, ser alertado caso o outro automóvel sofra uma redução de velocidade repentina. Além de luzes vermelhas piscarem na base do parabrisa, um alarme soa pelos alto-falantes do carro.

O alerta de ponto cego auxilia o motorista em mudanças de faixa. Uma luz acende no retrovisor externo avisando da presença ou da aproximação de outro automóvel ou de motocicleta em tráfego lateral.

O sistema de estacionamento automático ajuda o motorista a estacionar em vagas paralelas e perpendiculares. Radares e sensores espalhados pela carroceria identificam os obstáculos em volta e o volante esterça sozinho. Ao condutor, basta seguir as instruções no computador de bordo de quando acelerar e frear o veículo, por exemplo.

Já o sistema de iluminação inova com os faróis altos inteligentes, sistema que alteram o facho de acordo com o tráfego para não ofuscar, por exemplo, a visão do motorista do veículo que vem em sentido contrário.

Outra inovação que chega com o Novo Cruze um compartimento no console com tecnologia capaz de carregar o smartphone via indução eletromagnética. Basta colocar o telefone compatível com essa tecnologia neste espaço para que sua bateria seja recarregada sem a necessidade de cabos.

MAIS LEVE, MAIS RÍGIDO

O Novo Cruze adota uma arquitetura inédita, 25% mais rígida em torção e 21% leve que a do seu antecessor, com evoluções em segurança estrutural e dinâmica veicular.

Para isso, o sedã da Chevrolet ampliou a adoção de materiais mais nobres, como o alumínio e ligas de aço mais resistentes. Ao todo, a versão 2017 “emagreceu” quase 100 quilos.

001 (640x427)

De acordo com o engenheiro-chefe global do projeto, Ron Arnesen, a leveza da carroceria explica o excelente comportamento dinâmico do modelo. Além do baixo peso, a plataforma do sedã da Chevrolet foi criteriosamente acertada para o gosto do consumidor brasileiro e condições das vias locais, oferecendo boa dirigibilidade sem comprometer o conforto a bordo. A maior distância entre-eixos e reposicionamento do eixo traseiro, contribuíram para a melhor dirigibilidade e balanço.

MOTOR

O Cruze 2017 estreia o novo motor Ecotec 1.4 Turbo Flex. Apesar da boa potência e torque, seu grande trunfo é o baixo consumo de combustível, similar ao de veículos 1.0.

O Novo Cruze percorre, de acordo com dados do Inmetro, com gasolina, 11,2 km/litro na cidade e 14 km/l na estrada; com etanol, 7,6 km/l e 9,6 km/l, respectivamente. Na média, é cerca de 30% mais econômico que o modelo da geração anterior. A aceleração de zero a 100 km/h é feita em 9 segundos, e a velocidade máxima não foi divulgada.

Várias tecnologias contribuem para esses números. No motor, o turbocompressor, a injeção direta de combustível, o cabeçote com coletor de escapamento integrado, bloco e cárter de alumínio, o comando variável de válvulas e o sistema Stop/Start, que desliga momentaneamente o motor enquanto o veículo para num semáforo, por exemplo. Já a carroceria contribui com menor massa, melhor aerodinâmica e tecnologias para redução do arrasto.

Isso se reflete em boa agilidade no trânsito, tanto em arrancadas como em retomadas de velocidade e manobras de ultrapassagem, pois o motor turbo disponibiliza 90% do seu torque numa faixa plana entre 1.500 rpm e 5.000 rpm. Já a potência máxima ocorre entre 5.600 rpm e 6.000 rpm.

A transmissão automática de seis velocidades é de terceira geração, a mesma utilizada no Cruze norte-americano. Ela caracteriza-se pela suavidade e agilidade das trocas de marcha e é capaz de se adaptar ao modo de condução do motorista. Possui paralelamente sistema Active Select, que permite a troca manual por meio da alavanca do câmbio. Como dissemos antes, falta o shift pad.

E OS PREÇOS? 

Preço é sempre um tema delicado. A versão LTZ completa sai por R$ 107.450, o que não é barato, mas que precisa ser analisada dentro levando-se em conta a inflação de 10% no ano passado. A desvalorização cambial também trouxe impacto nos custos, e seria maior se o modelo não viesse da Argentina, sem impostos. A nova tecnologia e motor turbo são a forma de atrair compradores desse segmento.

A diferença de preços em relação ao Cruze “antigo”, vai de R$ 5 mil na versão LT a R$ 14 mil na LTZ.

Conheça as três configurações do Novo Cruze:

 LT – R$ 89.990

Traz de série airbags frontais e laterais; controle de tração e estabilidade; freios ABS com EBD (distribuidor da força de frenagem); assistente de partida em rampas; start-stop (sistema que desliga e religa o motor em paradas rápidas); rodas de liga leve aro 17; faróis de neblina; ar-condicionado com display digital; coluna de direção ajustável em altura e profundidade; piloto automático; direção com assistência elétrica; computador de bordo; volante multifuncional; sistema de monitoramento de pressão dos pneus; OnStar; sistema multimídia com tela de sete polegadas e MyLink 2 e sensor de estacionamento traseiro.

 LTZ – R$ 96.990 

Acrescenta itens como luz diurna de LED (DHR); mais dois airbags de cortina; sensor crepuscular; espelho interno com função eletrocrômica; retrovisores externos elétricos com rebatimento; partida por botão (sem chave); sensor de chuva; regulagem de altura dos faróis; detalhes internos e externos cromados; sensor de estacionamento dianteiro; rodas de liga leve aro 17 escurecidas; computador de bordo com display digital no quadro de instrumentos; MyLink com tela de oito polegadas e GPS 3D no painel e comandos do OnStar no sistema multimídia.

LTZ – R$ 107.450 

A versão top de linha adiciona equipamentos como alerta de colisão frontal e de ponto cego; assistente de permanência na faixa; indicador de distância do veículo à frente; sistema de estacionamento automático; banco do motorista com regulagem elétrica, carregador de celular por indução e farol alto adaptativo.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español