Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Radford revive a Lotus Type 62-2

Compartilhe!

Renascida pelas mãos de nomes como Jenson Button e Ant Anstead, a britânica Radford (1948-1977) tem no Type 62-2 o primeiro resultado da colaboração com a Lotus Engineering.

por Marcos Cesar Silva

Radford Type 62-2

Fundada em 1948 no Reino Unido como uma encarroçadora (encerrou as atividades em 1977), a Radford volta à vida com este maravilhoso Type 62-2, homenagem ao Lotus Type 62 de competição.

O renascimento da Radford, agora sediada na Califórnia, aconteceu graças a uma equipe composta por nomes como Jenson Button e Ant Anstead (conhecido de programas de televisão como o “Wheeler Dealers” ou o “For the Love of Cars”).

A sua primeira criação será limitada a 62 unidades e, fruto de um acordo entre a Lotus Engineering e a Radford, recorre ao ferramental proveniente da antológica marca fundada por Colin Chapman.

Lotus 62 '1969
Raio X da Lotus 62 original, de 1969.

O chassis em alumínio é da Lotus e o motor, 3.5V6 sobrealimentado por compressor da Toyota, é o mesmo que encontramos no novo Lotus Emira. No quesito transmissão, esta usa uma caixa de câmbio manual de seis velocidades ou automática de dupla embreagem de sete.

Disponível em duas versões —“Classic” e “Gold Leaf”— em cada uma delas o Radford Type 62-2 apresenta-se também com dois níveis de potência distintos.

Na versão “Classic” o V6 tem 436 cv, o que conjugado com deu baixo peso —a Radford anuncia menos de 1000 kg— permite relação peso-potência comparável à de muitos superesportivos contemporâneos.

Radford 62-2
O Radford Type 62-2, na versão “Gold Leaf”, não esconde a inspiração na famosa decoração usada pelos carros de competição da Lotus, inclusive os carros de Fórmula 1 do início da carreira de Emerson Fittipaldi..

Já na versão “Gold Leaf”, o carro vermelho e branco que podemos ver nas imagens, graças ao recurso de novos pistões e bielas, assim como um novo virabrequim, complementadas por algumas “mexidas” na eletrônica, a potência do 3.5 V6 Supercharger sobe para pouco mais de 500 cv, sem que isso signifique mais peso do que em relação ao “Classic”.

A denominação “Gold Leaf” é uma referência à decoração histórica dos Lotus do final dos anos 1960 e início dos anos 1970, replicada neste Type 62-2 e diretamente inspirada na usada pelo Lotus Type 62 original. Esta versão destaca-se ainda pela presença de dois “spoilers” tipo “duck tail” (rabo de pato), referência direta ao Lotus Type 62 de competição.

Radford 62-2
Os dois spoilers “duck tail” (rabo de pato) são exclusivas da versão “Gold Leaf”.

No aspecto técnico, o Type 62-2 “Gold Leaf” conta ainda com sistema de freios ABS mais avançado, controle de tração e, caso se opte pela caixa automática, pode ser equipado com diferencial autoblocante. Já as ligações ao solo são asseguradas por rodas aro 18 na frente e 19 atrás (aros 17 e 18 no “Classic”).

“Criar um carro que seja, simultaneamente, luxuoso, confortável e dinamicamente competente, é um desafio difícil, mas o primeiro Radford da era moderna cumpre. O Type 62-2 está pensado para os motoristas. Quando o vemos, parece um carro de Le Mans dos anos 1970”. Jenson Button

Radford 62-2

Comum a todos os Radford Type 62-2 são as suspensões com amortecedores ajustáveis e a possibilidade de serem equipados com um sistema hidráulico que eleva a dianteira. Este revela-se particularmente útil quando temos em conta que, segundo os seus criadores, o Type 62-2 pode ser usado como carro do dia a dia!

A Radford ainda não revelou qual será o preço do Type 62-2, explicando apenas que a produção começará ainda no final de 2021, e que a entrega das primeiras unidades está prevista para o início de 2022.

A versão Classic: qual você escolheria?

Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español