Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

COMO FOI O SALÃO DO AUTOMÓVEL

Compartilhe!

 O 27º Salão do Automóvel de São Paulo acabou, mas foi um sucesso, exibindo novidades de 49 marcas. São 500 carros expostos, um pouco a mais que a edição anterior, de 2010. Maior evento desse tipo em toda América Latina, o Salão de São Paulo aconteceu numa atmosfera mais otimista que os recentes Salões do Japão, Estados Unidos e Europa, que foram realizados em clima de velório e fim de festa. O público foi de cerca de 750 mil pessoas, praticamente o mesmo de 2010.

Das 29 marcas estrangeiras associadas à Abeiva, 22 participaram do salão em 2012. As maiores ausências foram da Ferrari, Maserati, Lamborghini e Rolls-Royce, cuja importadora, decidiu não estar no evento.

Confira a cobertura ao vivo realizada por AUTO&TÉCNICA e SUPER CHEVY.

 FIAT

Sem grandes novidades para mostrar, a Fiat apresentou o modelo cabriolet do Cinquecento –o 500C- um dos seus destaques no evento, junto com o 500 Gucci. Apesar de a versão fechada boas vendas acumuladas em 2012, o 500C chega em um momento complicado. Por ser importado do México, a Fiat tem uma cota anual para trazer, o que impede a marca de vender carros de acordo com a demanda do nosso mercado.

O 500C vai estar disponível apenas na versão top de linha aqui, com motor 1.4 Multiair de 105 cv e transmissão automática de cinco velocidades. O modelo chega por R$ 55.900, o que o coloca como concorrente direto do Smart Cabrio, um conversíveis mais baratos do mercado. A capota é de tecido e pode ser completamente rebaixada, mas o 500C não tem a construção típica dos conversíveis, pois mantém as colunas centrais e a borda do teto.

Por outro lado, uma das opções da Fiat para chamar atenção para seu estande foi trazer a Ferrari 458 Spider, que já está à venda no Brasil por R$ 1,9 milhão. Será a única Ferrari no Salão, já que a Via Italia, importadora oficial da marca, fugiu da raia.

 A 458 Spider tem motor 4.5V8 e acelera de zero a 100 km/h em 3,4 segundos e atinge 320 km/h de velocidade máxima.

BMW

A maior atração da BMW no Salão do Automóvel não era nenhum carro, e sim o anúncio oficial da marca de construir uma fábrica no Brasil. A confirmação da instalação –perto de Joinville, SC, foi feita pelo presidente da BMW do Brasil, Jorg Henning. Sem data prevista, a unidade terá capacidade para produzir 30 mil carros/ano e receberá investimento de 300 milhões de Euro.

Henning não adiantou qual modelo será produzido, mas comentários indicam que o grupo alemão produziria a nova geração do Mini Cooper e o primeiro modelo da marca com tração dianteira.

Em termos de carros, a BMW lançou novidades em praticamente todo o seu portfolio: chegaram os 135iM, 750Li Sport, 335i, Série 6 GranCoupé e o esportivos M5 e M6, equipados com motor V8 biturbo de 560 cv.

 AUDI

Recém apresentado em Paris, o novo Audi A3 Sportback foi uma das principais novidades da marca de luxo da Volkswagen no Anhembi. A terceira geração do hatch está prevista para chegar ao Brasil em janeiro com motor 1.8 turbo e sistema de injeção direta/indireta.

Outro hatch destaque da Audi foi o A1 quattro, série limitada de 333 unidades equipada com um motor 2.0 de 256 cv e tração integral. Com preço de R$ 165 mil, já teve as duas unidades destinadas ao nosso mercado vendidas.

A marca alemã completou suas apresentações com a atualização da linha S (sedãs S4, S5, S6 e S8 V8 biturbo de 520 cv). O top de linha R8 aguarda sua primeira reestilização, mas ganhou mais uma versão, a GT Spyder, que é mais leve, mais potente e mais cara; seu preço no Brasil passa R$ 1 milhão

 

PORSCHE

A Porsche aproveitou o Salão do Automóvel para apresentar uma série de novidades, com destaque para o novo Boxster, que está mais leve e mais potente, e tem preço a partir de R$ 349 mil.

O novo 911 ganhou outras versões, entre elas as 4S e 4S conversível, equipadas com sistema de tração integral e câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas. A opção manual de sete velocidades, esteve presente no estande da marca, mas apenas para ser vista pelos jornalistas, pois terá o lugar ocupado por outra, automática.

O SUV Cayenne e o estranhíssimo Panamera ganharam versão intermediária -GTS-  posicionada entre a S e a as top de linha Turbo e Turbo S.

NISSAN

Enquanto a Renault, parte francesa do grupo, trabalha com uma linha de carros mais simples e antiguada, a Nissan, lado japonês da empresa continua trazendo novos e mais atuais modelos para aumentar seu portfólio no Brasil, e isso inclui o retorno do Altima ao mercado.

Com preço em torno dos R$ 100 mil, o sedã volta para brigar na mesma fatia de mercado liderada pelo atualizado Ford Fusion. A nova geração do Sentra, que era esperada, ficou para 2013.

O concept Extrem, que foi desenvolvido pela marca nos Estados Unidos, é um SUV compacto que antecipa a tendencia de estilo dos próximos modelos da marca e pode inspirar o novo Juke.

A pickup Frontier prossegue sem mudanças visuais, mas passou a usar –finalmente- controle de estabilidade e de tração; a Frontier é uma das mais potentes do setor e era a única sem esse importante item de segurança. A estréia do equipamento vai ser na série especial de 10 anos do utilitário. Já March e Versa estão sem novidades, mas por pouco tempo, pois em 2013 a marca começará a fabricar no Brasil (no Rio de Janeiro) os dois carros hoje mexicanos, com novos motores e câmbio automático.

JAGUAR – LAND ROVER

 A Jaguar e a Land Rover fizeram apresentação coletiva no Salão, e isto tem um objetivo. Agora as duas marcas serão controladas pela matriz, pois até o momento a Land Rover respondia direto para a Inglaterra, cabendo importação e venda dos seus carros no Brasil a importador particular. Segundo Flávio Padovan, presidente da agora Jaguar Land Rover do Brasil, esta mudança vai permitir crescimento das marcas no País. Acontecerão mudanças em nível administrativo e as duas marcas revelaram as próximas novidades para o mercado.

A primeira atração é a nova linha Range Rover Vogue, recém apresentada no Salão de Paris. O SUV ficou mais atual, inspirado no Evoque, sem deixar de lado o visual de linhas retas típico do modelo, top de linha da marca. Com início das vendas previstas para o primeiro semestre de 2013, o Vogue ainda não teve preço definido. Se a Land Rover mostrou seu carro mais caro, a Jaguar veio com um barato, o também novo F-Type. Inspirado no E-Type, o esportivo vai disputar espaço num segmento inferior, e o valor deve começar em R$ 300 mil no Brasil.

JAC

Perto do local que alguns jornalistas apelidaram de “Galeria dos Horrores”, repleto de carros chineses, a JAC até que se diferenciou, pelo tamanho do estande e por ter optado em não fazer entrevista coletivo. Ao contrário, o executivo Sérgio Habib atendia uma interminável lista de profissionais, de maneira individual ou em pequenos grupos. Habib explicou centenas de vezes que agora, com o programa InovaAuto definido, o interesse em investimentos voltou para a construção da fábrica em Camaçari (BA), iniciando ainda esta semana o serviço de terraplanagem.

Com a regulamentação do mercado, a JAC passou a ter cota de 25 mil carros/ano e, segundo Habib, a expectativa é de fechar 2012 com 20 mil unidades emplacadas. A marca apresentou o pequeno J2, que é equipado com o mesmo motor 1.4 do J3. O visual é agradável para um chinês e vem com cinco anos de garantia e com airbags, freios ABS, ar-condicionado e direção hidráulica, entre outros. O carrinho chinês custará R$ 33.900 e a JAc espera vender 700 unidades/mês. Outra novidade é o J3S, versão com pretensões mais esportivas do médio da marca, equipado com o motor 1.5 e preço estimado de R$ 40 mil.

 RENAULT

A Renault deixa claro que quer se atualizar, e a presença do Fluence GT e do elétrico Twizy deixam isso claro. Por outro lado, mostrou o velho Clio reestilizado, o que indica que nos segmentos mais populares a presença de modelos antigos será mantida.

O Clio foi modificado para receber a nova identidade visual da marca na Europa, e é produzido na Argentina, onde a nova geração passou por uma reformulação completa. No Clio nacional, laterais e traseira são as mesmas do modelo lançado aqui em 1999, duas gerações defasado diante do europeu.

A ideia da marca é voltar a ter fôlego entre os carros populares no Brasil, e para isso o hatch conta com ampla linha de acessórios e faixas adesivas para agradar o público mais jovem, e preço inicial em torno de R$ 22 mil.

Sandero e Logan, que também mudaram na Europa, continuam com o mesmo visual, mas agora ganharam GPS com tela touch screen, opcional que custará em torno de R$ 500. O Symbol (alguém lembra dele?) também está exposto no estande da Renault, totalmente ofuscado pelo Fluence, que ganhou versão GT com motor 2.0 turbo de 180 cv. Uma versão elétrica, a ZE, também foi apresentada, mas sem nenhuma previsão de vendas no Brasil.

VOLVO

Discreta, a Volvo exibiu no Anhembi sua principal arma para brigar no crescente segmento pequeno-médio premium. O V40 foi lançado pensando em disputar espaço com Audi A3 e BMW Série 1. Sem preço definido, o modelo tem um acessório incomum: airbag para pedestres. Trata-se de uma bolsa de ar acionada em caso de atropelamento, que se ergue da base do capô e protege do choque contra as “colunas A”.

Este acessório vai estar presente nas versões mais caras do modelo, que desembarca aqui no primeiro semestre de 2013 com preço partindo de estimados R$ 120 mil. O valor é bem maior que o do C30, cuja produção foi encerrada. Outra atração foi uma versão personalizada da wagon V60 T6. O modelo foi decorado no estilo de um carro de pista, e sua pintura faz homenagem à wagon Volvo que competiu no BTCC (campeonato britânico de turismo) nos anos 1990.

TOYOTA

Sem nenhuma surpresa, a Toyota fez sua apresentação no Salão de São Paulo, com a marca mostrando os modelos já conhecidos da imprensa especializada. Os maiores destaques foram o estranho Etios, que começa a ser vendido na próxima semana (a marca garante ter 40.000 encomendas), e o híbrido Prius, que desembarcará aqui em janeiro de 2013, com preço em torno de R$ 120 mil. O hatch apresentado junto com a versão esportiva GS.

Lançado no mês passado, o Etios vai usar o Salão para ser apresentado ao público. Outras atrações da Toyota são o esportivo FT86 (que não será vendido no Brasil) e o híbrido de competição TS030, desenvolvido pela marca para a “24 Horas de Le Mans”. Conceitos elétricos e híbridos também foram levados ao Anhembi, como o concept NS4.

A linha Hilux e os sedàs Corolla seguem sem novidades, pois aguardam as suas novas gerações, previstas para 2014. Até lá, a marca vai apostar muitas de suas fichas no Etios, mesmo sendo ele um carro criado para mercados de Terceiro Mundo e projetado para a Índia.

 MERCEDES-BENZ E SMART

A Mercedes-Benz –que pretende voltar a produzir no Brasil, em associação com a Nissan- contou com um lançamento mundial. Mostrou uma edição especial do SLS AMG, a “45th Anniversary”. Serão 45 unidades produzidas e apenas cinco destinadas ao Brasil (uma delas já foi vendida).

O novo Classe B também foi mostrado, e com destaque. A segunda geração do monovolume ganhou visual mais esportivo e será vendida por aqui com apenas uma opção de motor, 1.6 turbo de 156 cv e câmbio automatizado com dupla embreagem e sete marchas. O modelo garante a Mercedes-Benz no segmento de entrada dos carros de luxo e prepara  chegada da nova Classe A, que desembarca em 2013.

Além da SLS dos 45 anos, a AMG fez mais dois lançamentos no Salão: o ML63 e o SL63. Equipado com um V8 biturbo de 564 cv, o roadster chega junto com sua versão menos esportiva. Outra atração foi a nova Classe C180 Sport (que usa o mesmo motor do Classe B), e o reestilizado jipão GLK.

Já a Smart levou para o Anhembi a sua linha 2013, incluindo a bicicleta elétrica desenvolvida pela marca, que conta com conexão para iPhone.

VOLKSWAGEN

A Volkswagen começou sua apresentação com o jogador Neymar, mas não mostrou a sétima geração do golf, recém apresentada na Europa, muito menos o comentado Gol GTI. Mas não fez feio, pelo contrário, e levou para o Anhembi o Gol duas portas, que estava pronto desde 2008, iniciando o processo que vai tirar de produção a geração anterior do modelo.

Outro modelo que chamou muita atenção foi o concept Taigun, que antecipa o futuro mini SUV que a marca vai vender no Brasil para enfrentar o Ford EcoSport. O modelo lembra um Tiguan em miniatura, usando detalhes de outros modelos.

Quer ver a wagon Parati? Não adianta procurar, pois ela não estava exposta, o que já havia acontecido em 2010. A wagon saiu de linha. Mas a veterana Kombi, que participa provavelmente de seu último Salão do Automóvel, estava lá.

O Fusca também estava por lá, mas não se anime. A nova geração do Beetle foi lançada oficialmente no Brasil, e vai se chamar Fusca (cada mercado vai poder usar o nome tradicional do carrinho). O sedãzinho terá motor 2.0 turbo de 200 cv e preço consumidor na faixa dos R$ 90 mil. Preço alto, mas barato se comparado com o novo CC, que custa o dobro e perdeu o nome Passat. Tem preço estimado em R$ 180 mil, tração nas quatro rodas e motor V6 de 300 cv de potência máxima. O Jetta teve exibida uma versão híbrida, mas sem previsão de comercialização no Brasil.

Sem maiores novidades, as linhas Polo e Polo não chamaram a atenção de ninguém, da mesma forma que o jurássico Golf, que foi ao Anhembi tendo como base o modelo lançado há mais de 10 anos aqui no Brasil.

CHEVROLET

Antes mesmo da abertura oficial, a Chevrolet já teve motivos para comemorar a sua participação no 27º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo. Depois dos dois dias dedicados exclusivamente para a imprensa, o estande da montadora foi escolhido como o melhor da mostra.

O prêmio foi conferido após eleição entre jornalistas especializados de todas as regiões do país, associados da ABIAUTO – Associação Brasileira da Imprensa Automotiva. O anúncio foi feito na noite do dia 23 de outubro, nas próprias instalações da Chevrolet no Salão.

“A indústria busca surpreender o público apresentando produtos que atendam as aspirações do consumidor em design, tecnologia, conforto e custo/benefício, e os jornalistas observam também as ferramentas aplicadas para que o ambiente seja o mais adequado para a exposição dessas novidades”, explicou a jornalista Célia Murgel, presidente da Associação Brasileira de Imprensa Automotiva.

Os jornalistas da Abiauto justificaram que a Chevrolet está oferecendo ao público o melhor estande em criatividade, interatividade e disposição de seus produtos. O estande tem projeto moderno e sofisticado, com boa distribuição dos produtos, facilidade de circulação em amplo espaço, com muita interatividade e entretenimento. O público poderá conferir todas as boas atrações e shows até o dia até o dia 4 de novembro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

“Para nós da Chevrolet é importantíssimo receber o reconhecimento do resultado deste trabalho incansável de 12 meses. Agradecemos a iniciativa e caprichamos para merecer esta premiação”, observa Santiago Chamorro, Diretor Geral Marketing, Vendas e Pós Venda da General Motors do Brasil.

Quem também vibrou bastante foi o ex-piloto Emerson Fittipaldi, que está comemorando os 40 anos do seu primeiro título de campeão mundial de Fórmula 1. “Somos bicampeões”, brincou o ídolo e embaixador da marca no Brasil, ao lado de Grace Lieblein e Marcos Munhoz, respectivamente presidente e vice-presidente da GM do Brasil.

A ABIAUTO – Associação Brasileira da Imprensa Automotiva é uma sociedade com caráter associativo de classe, cultural, social e recreativa, constituída por profissionais de imprensa automotiva em atividade na mídia escrita e eletrônica dos meios de comunicação de massa – jornais, revistas, rádios, tvs e sites especializados -, assessorias de imprensa ligadas ao setor, departamentos de imprensa das montadoras e importadores de veículos.

Fundada em 1998 por jornalistas especializados da indústria automobilística, a ABIAUTO tem por finalidade a preservação da liberdade de imprensa; orientação, defesa, assistência social, assistência cultural e união de seus associados; incentivar o estudo dos assuntos automotivos; organizar, promover e patrocinar eventos; manter intercâmbio e cooperação com entidades semelhantes de outros países; promover e organizar concursos.

Em seu quadro de associados à ABIAUTO tem mais de 100 jornalistas de quase todos os Estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Sergipe, Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí, Pará), e que representam os órgãos de comunicação mais importantes do País.

Em termos de carros, o Camaro, que foi a atração da marca há dois anos, ficou em segundo plano no estande da Chevrolet, mesmo na versão ZL1 de 588 cv. Quem roubou a festa foram as recentes novidades da marca, o Onix e a nova Trailblazer (já havíamos antecipado que esse seria o nome).

Posicionado no mercado basicamente na mesma faixa de preço do falecido Corsa, o hatch foi mostrado ao público e vai agradar, pois desde 2002 a marca não tinha novidades no segmento. Com plataforma baseada na do Cobalt e conjunto mecânico mais atual, o Onix chega às lojas no mês que vem com motores 1.0 e 1.4, transmissão automática de seis marchas e preço que vai de R$ 29.990 a R$ 41.990. Desde a versão de entrada, o Onix conta com airbag duplo na dianteira, ABS e direção hidráulica como itens de série.

A Chevrolet exibiu a Trailblazer, SUV de sete lugares baseada na nova S10. Pode ser equipada com motores 3.6V6 de 239 cv ou 2.8 Turbodiesel CTDI de 180 cv. O interior do modelo é praticamente idêntico ao da pickup, com capacidade máxima do porta-malas de 1.830 litros com os bancos rebatidos. O carro chega em novembro. Já o Prisma não compareceu, o que indica que saiu de linha.

HYUNDAI

A Hyundai fez a primeira exibição para o público do novo HB20, que ainda por cima ganhaou mais uma versão, a HB20x, com estilo aventureiro, novas rodas e pneus, e pára-choques redesenhados. Uma boa surpresa.

O carro usa a mesma mecânica do HB20 1.6 de 128 cv, e as maiores diferenças entre os modelos estão na maior altura livre do solo e detalhes aplicados na carroceria. A marca mostrou ainda sua linha de importados, com destaque para o novo i30.

FORD

Isso acontece há anos, e mais uma vez a Ford está expondo no Salão de São Paulo um Mustang, desta vez um 302 Boss. Mas não se anime, pois ele não está –de novo- nos planos da empresa. Por outro lado, a Ford aproveitou seu espaço para fazer três lançamentos. O primeiro é o novo Fusion. O sedã ficou mais luxuoso e atual, com preço de R$ 119.990. Vai ter uma versão equipada com o mesmo motor 2.5 Flex da Ranger, além da versão Hybrid.

Recém-lançado no Salão de Paris, o Fiesta também estava lá, com versão ST e a novidade que, a partir do ano que vem, será fabricado no Brasil, em São Bernardo (SP), nas versões sedã e hatch; o hatch, com sua carroceria reestilizada, teve sua estréia mundial no Anhembi. A nova Ranger, na versão Sport, e o conceito Evos –que antecipa o novo Mustang- estavam por lá.

A presidente Dilma Rousseff participou da abertura oficial do Salão do Automóvel de São Paulo, junto com outras autoridades. A presidenta esteve no estande de várias montadoras, inclusive da Ford, onde foi recebida pelo vice-presidente da empresa, Rogelio Golfarb, que apresentou o Novo EcoSport com seus novos lançamentos: as versões 4WD e PowerShift Automática. Também viu o Novo Fusion Hybrid, primeiro carro híbrido vendido oficialmente no Brasil, além de propostas de customização da Ford, como as bicicletas elétricas e feitas a partir de garrafas PET recicladas.

O Novo EcoSport é o primeiro carro global desenvolvido no Brasil, o que impressionou a presidenta Dilma pela relevância da engenharia nacional e pelo fato de o projeto ter se estendido para outras regiões, como a China, Índia e Europa. O Fusion foi outro ponto de atenção da presidenta devido a sua tecnologia híbrida, com funcionamento de motores elétrico e convencional, como um produto voltado para a eficiência energética, uma das metas do novo regime automotivo.

HONDA

A eterna sorumbática Honda desta vez surpreendeu. Mostrou novos modelos e versões, e até uma marca alternativa, a Acurea. A reação mostrada pela Honda no Salão é uma retumbante resposta ao crescimento de outras marcas asiáticas no Brasil. Para manter seu espaço no mercado, a montadora atacou por todos os lados, de estranho Fit aventureiro a modelos de luxo.

Adotando a tradicional receita de visual enfeitado e suspensão mais alta, o Fit Twist é uma alternativa para a marca tentar disputar, mesmo que timidamente, o segmento do EcoSport. O Civic finalmente ganhou motor 2.0 para enfrentar o eterno rival Corolla. É o mesmo excelente motor do antigo Si, mas amansado e com sistema de partida a frio que dispensa o tanquinho de gasolina. Esse motor será disponível nas novas versões LXR e EXR.

O maior da linha Civic é o novo Si, equipado com motor 2.4 de 201 cv, que será vendido no Brasil em 2014.

A Acura, divisão de luxo da Honda, chegou para enfrentar as marcas premium alemãs e a Lexus, da Toyota. Gostou? Então não se anime. As vendas dos Acura só começam em 2015.

CITROËN

Quem esperava que entre os lançamentos feitos pela Citroën no Salão do Automóvel estivesse a nova geração do C4, se decepcionou, pois a marca optou por apresentar o modelo apenas em 2013. Até lá os consumidores terão que comprar as últimas unidades do modelo atual.

A linha DS será uma espécie de divisão de luxo da marca francesa, hoje composta apenas do DS3, mas vai receber a companhia dos DS4 e DS5, construídos sobre a mesma plataforma dos novos C4 e Peugeot 308. Os dois hatchs chegam com luxo e desempenho, e o mesmo motor 1.6 de 165 cv do DS3, sempre com visual diferenciado.

O DS4 é menor que o DS5, mas o preço de ambos deve ser em torno de R$ 100 mil. O DS5, maior, teve sua versão híbrida exposta, mas nao será vendida no Brasil pois é movida a diesel, o que é proibido. A linha receberá em 2013 outra opção, que vai chegar para ficar no lugar do velho C6.

 O restante da linha não teve novidades, a não ser os novos C3 e C3 Picasso e Aircross equipados com o novo motor 1.6 flex não precisa do tanquinho de gasolina para partida a frio.

 PEUGEOT

No estande da Peugeot no Salão de dois anos atrás, estavam expostos o 207 nacional, o 307 argentino e o 3008, esse sim uma novidade na época. Agora, apenas dois anos depois, tudo mudou, a pesar da crise que a marca enfrenta na Europa. O 3008 foi fuscado pelos mais novos 408, 308 e pelo novo 208. Todo renovado em relação ao 207, o hatch chega com visual e tecnologia para tentar enfrentar as marcas mais tradicionais do mercado.

Com produção prevista para dezembro e vendas no primeiro trimestre de 2013, o modelo terá motores flex 1.5 e 1.6, GPS com tela touch screen e vidro dianteiro panorâmico, como o oferecido no C3.

O velhinho 207 vai continuar algum tempo em produção, e por isso também está exposto, mas isso nào vai ocorrer com os outros modelos (pickup, sedà e wagon), que vão desaparecer logo. Substituto do descabido Passion, o 301 ainda não tem data para desembarcar aquí, diferente dos 3008 e RCZ novos, que chegam no próximo ano reestilizados. A linha Peugeot é complementada pelo 508, que não atraiu muitos compradores até agora.

CHANGMAN E HAIMA

As marcas chinesas Changnam (ex-Chana) e Haima, que no Brasil tem o mesmo representante, abriram o segundo dia de trabalhos dos jornalistas especializados no Salão do Automóvel de São Paulo. As duas marcas participaram do evento apresentando os modelos que serão comercializados no Brasil ainda este ano.

Fora os utilitários leves que já vende no Brasil, a Changnam promete lançar três carros por aqui: o interessante compacto Mini Benni (por R$ 24,9 mil), o sedã Alsvin (R$ 34,9 mil) e o hatch com estilo fora de estrada CX20 (R$ 34,9 mil). Segundo o grupo Districar -que representa ainda a SsangYong- a venda dos modelos vai começar assim que seja encerrado o longo processo de homologação.

Segundo a importadora, os modelos são desenvolvidos pela Mazda (o emblema da Haima é praticamen

te o mesmo da japonesa), a empresa também mostrou seus carros nacionais: hatch H2 (R$ 32,8 mil), sedã H3 (R$ 49,8 mil) e SUV H7 (59,8 mil). As vendas começam em 2013, por meio de rede de 30 concessionárias.

Durante a entrevista coletiva, a empresa também deixou clara a intenção de construir uma fábrica no Brasil, em Linhares (ES), para produzir modelos das três fabricantes no Brasil. A idéia é inaugurar a instalação em 2014, mas a empresa prefere aguardar a divulgação das novas regras para o setor automobilístico antes de anunciar qualquer investimento.

 CHRYSLER/JEEP/DODGE/RAM/SRT
A Chrysler ainda tem no Brail uma legião de fãs, por conta dos Dodge Dart e Charger fabricados aqui nos anos 1970 e 1980. e por isso sempre chama muita atenção. A marca apresentou no Anhembi modelos da Jeep, Ram, Dodge, Chrysler e SRT. A SRT foi representada pelo seu primeiro veículo, o novo Viper, pois deixou de ser uma divisão de preparação para ter vida própria dentro da empresa.
O Viper, superesportivo de 640 cv de potência máxima, não será vendido no Brasil, a exemplo dos Viper anteriores. Da mesma forma o novo Dodge Charger, que não têm previsão de vendas no Brasil. Mas nem tudo está perdido para outros modelos, como Jeep Cherokee SRT8 e 300C SRT8, versões esportivas que voltam ao mercado brasileiro com novos motores e bem mais rápidas. Equipado com motor V8 de 478 cv, o Cherokee SRT8 acelera de zero a 100 km/h em pouco mais de quatro segundos, chegando à velocidade máxima de 260 km/h. O mesmo está presente no sedã 300C, top de linha que enfrenta modelos da Mercedes-Benz, Audi e BMW. A Chrysler aproveitou para lançar o novo Dodge Durango, e a Cherokee diesel, equipada com motor V6 biturbo de 337 cv.
KIA
Este ano, a Kia não repetiu a lista de lançamentos do último evento, mas teve uma atração importante para a marca no nosso mercado. A empresa fez a primeira exibição da nova geração do Cerato, que desembarca no primeiro trimestre de 2012. O carro é equipado com motor 1.6 flex de 128 cv, basicamente o mesmo do Hyundai HB20 e Kia Soul.O Cerato chegará às lojas junto com o Quoris, top de linha da marca coreana. feito para ter a mesma qualidade de modelos como BMW Série 5 e Mercedes-Benz Classe E. E credenciais para isso ele tem, pois usa usa a mesma plataforma dos luxuosos Hyundai Genesis e Equus.
BATMÓVEL
A Shell expôs em seu estande uma réplica do Batmóvel de 1966, mais ou menos bem feita, com rodas absolutamente erradas, mas mesmo assim curiosa. Chamou muita atenção do público na faixa dos 50 anos.
SERVIÇO

Para ir ao Salão do Automóvel deste ano é melhor se programar, pois dependendo do dia, o preço do ingresso pode dobrar. Os valores foram inflacionados em até 235%, e os promotores irão disponibilizar meia-entrada para estudantes, idosos e professores da rede estadual paulista. O benefício não era obrigatório, pois o Salão não era considerando evento cultural, e sim comercial.

Quem comprar pela internet vai pagar mais barato, e haverá descontos para grupos (mais de 30 pessoas) e redes sociais. Quem quiser poderá adquirir kits de até R$ 500, que inclui camisetas e estacionamento.

Confira a tabela de preços:

Compra antecipada

Tipo de ingresso\Dias 24/12 (a partir das 12h) Dias de semana Fim de semana e feriado
Adulto R$ 40,00 R$ 50,00 R$ 70,00
Crianças/meia-entrada R$ 20,00 R$ 25,00 R$ 35,00
Redes Sociais (mediante código promocional R$ 32,00 R$ 40,00 R$ 56,00
Grupos/Caravanas (mín. 30 pessoas) R$ 40,00 R$ 40,00 R$ 56,00
Kit Fã R$ 150,00 R$ 150,00 R$ 150,00
Kit Vip R$ 500,00 R$ 500,00 R$ 500,00

Na bilheteria

Tipo de ingresso\Dias 24/12 (a partir das 12h) Dias de semana Fim de semana e feriado
Adulto R$ 45,00 R$ 55,00 R$ 80,00
Crianças/meia-entrada R$ 22,50 R$ 27,50 R$ 40,00

 

 


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español