Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

SUV raíz: Jeep Grand Cherokee L, maior e com três fileiras de bancos

Compartilhe!

O novo Jeep Grand Cherokee é mais confortável, mais luxuoso e, em especial, maior. A quinta geração começa a mostrar a cara com o inédito Grand Cherokee L, com três filas de bancos e duas opções de entre-eixos..

Jeep Grand Cherokee L

O Jeep Grand Cherokee é um SUV raiz, dos mais famosos do mundo. Sempre que um novo modelo chega, a atenção do mundo do automóvel se direciona para Detroit, no Estado de Michigan, para mais do que apenas alguns minutos apreciando a nova geração.

E desta vez, pela primeira vez na sua história —o primeiro Grand Chrokee foi lançado em 1992— o Jeep Grand estará disponível em duas carrocerias, com distâncias entre-eixos diferentes.

O inédito Grand Cherokee L, o maior dos dois, chega nas lojas no segundo trimestre deste ano. Com distância entre-eixos de 3,09 metros, está disponível com três filas de bancos, com seis ou sete lugares. Assim, ataca não só a concorrência de luxo no mercado americano — onde cerca de 75% das vendas no segmento correspondem a versões com três fileiras de bancos— , mas também da Europa e Ásia.

A quinta geração do Grand Cherokee continuará sendo produzida na Jefferson North Assembly Plant, onde sempre foi feito, mas será também produzida no novo complexo da Mack Avenue —tanto na versão de duas filas de bancos, como na inédita 4xe, eletrificada—, com ambas as fábricas a localizadas em Detroit.

O desenho do novo Grand Cherokee é tipicamente Jeep e tipicamente Grand Cherokee —notando-se a influência do novo e ainda maior Grand Wagoneer— com formas e proporções corretas, de personalidade e bem conhecidas, especialmente nesta inédita versão anabolizada L.

O Jeep Grand Cherokee não só mudou significativamente por fora, mas também por dentro: o SUV americano surge num nível completamente diferente dos anteriores. Como é típico no segmento, existem instrumentos exibidos nuam tela de 10,3 polegadas, uma tela central de até 10,1 polegadas e um número surpreendentemente grande de botões e interruptores acima e abaixo da tela central, para controlar funções individuais.

Um pouco mais abaixo, ainda no console central, podemos não só selecionar a relação da transmissão automática por meio de um comando rotativo, mas também os vários modos de condução, ou regular a opcional suspensão pneumática.

Foram anunciados quatro níveis de acabamento (para o mercado dos Estados Unido): Laredo, Limited, Overland e Summit. Nos níveis top de linha, destaque para os bancos que, além de serem revestidos de couro, são eletricamente regulados, oferecem massagens e são tanto aquecidos como ventilados. Há ainda sistema de som McIntosh com 19 alto-falantes e câmera térmica para auxílio à visão noturna.

Três filas de bancos

O Grand Cherokee L Summit presenteia adicionalmente os passageiros traseiros não só com a sua longa distância entre- eixos e portas de abertura particularmente ampla, como também com assentos individuais (as chamadas “captain chairs”, ou cadeiras do capitão) e um console entre eles, com várias funcionalidades.



Provavelmente um destaque referencial do Grand Cherokee é a distribuição pelo habitáculo de uma dúzia de tomadas USB (tipo A e C). Há também ar condicionado automático de quatro zonas com ajustes individuais para os passageiros da primeira e segunda fileiras. As saídas de ar na segunda e terceira filas são integradas no revestimento das colunas B e C.

Os pais de crianças pequenas, em particular, ficarão maravilhados com o sistema de multimídia, que pode exibir a imagem da câmera voltada para o banco traseiro, se necessário; esqueça os pequenos espelhinhos voltados para trás, estamos falando de um SUV de Primeiro Mundo.

E mais. A tela também pode ser dividido em duas, voltadas para os bancos individuais para crianças. Podemos contar ainda com luzes infravermelhas (que circundam a câmara) entre a segunda e terceira fila, capazes de iluminar o habitáculo, alternando automaticamente entre os modos diurno e noturno.

“Se desejamos redesenhar um veículo off road popular como o Jeep Grand Cherokee, devemos orientar cada decisão no legado de quase 30 anos como uma grande base. O carro usa uma arquitetura completamente nova e mostra um novo desenho, de tirar o fôlego, que honra a tradição do visual icônico da Jeep e, ao mesmo tempo, responde aos desejos dos nossos clientes por uma terceira fila de assentos. O Grand Cherokee L destaca-se tradicionalmente no seu segmento e define o padrão em termos de eficiência, desempenho e luxo. Ao mesmo tempo, inova em termos de versatilidade e funcionalidade”. Christian Meunier, chefão global da Jeep

Espaço? Isso não falta. As dimensões generosas do Grand Cherokee L —mais de cinco metros de comprimento— garantem um habitáculo obviamente amplo, tanto para passageiros como para bagagens. O volume de carga é de 1328 litros atrás da segunda fila de bancos; a terceira fileira de bancos é dividida 50/50 e é possível rebatê-la. Se rebatermos os bancos na segunda fila, criamos uma área de carga plana com volume de 2396 l.

Em comparação com a maioria dos seus concorrentes, o Jeep Grand Cherokee L dá grande importância às suas capacidades “off road”, não querendo apenas impressionar nas ruas. Apesar de derivar da Giorgio, a mesma plataforma dos Alfa Romeo Stelvio e Giulia —o que garante maior competência no asfalto—, a nova geração do Grand Cherokee disponibiliza três diferentes sistemas de tração às quatro rodas, dependendo das versões ou opções selecionadas:

  • Quadra-Trac I — sistema AWD (all wheel drive) que envia força para o eixo dianteiro de forma automática quando detecta falta de tração;
  • Quadra-Trac II — sistema 4WD (four wheel drive) com caixa de transferência de duas velocidades;
  • Quadra-Drive II — sistema 4WD com diferencial traseiro eletr^nico autoblocante.

Pela primeira vez, ambos os sistemas 4WD conseguem desconectar o eixo dianteiro quando não há necessidade de dois eixos motrizes, contribuindo para a redução do consumo de combustível. No mesmo sentido, há maior uso de alumínio (capô e tampa do portamalas, por exemplo) e aços de alta resistência, para manter a massa deste imenso SUV em valores razoáveis.

Conta ainda com suspensão pneumática opcional, que consegue variar a distância ao solo em mais de 10 centímetros, dependendo da necessidade. Seja para ultrapassar algum obstáculo no fora de estrada, elevando-a, seja para uma menor resistência aerodinâmica em estradas, baixando-a.

Por enquanto não sabemos quando e se o Grand Cherokee L chegará ao Brasil; a versão de cinco lugares, que será apresentada no segundo semestre desse ano, tem alguma chance de desembarcar por aqui.

Nos Estados Unidos, o novo Grand Cherokee L chegará aos concessionários no segundo trimestre do ano, com dois motores a gasolina, já aplicados no Grand Cherokee atual: o 3.6V6 Pentastar de 294 cv e o 5.7V8 Hemi de 362 cv, capaz de desativar uma das duas bancadas de cilindros. Para a Europa, o foco estará na prometida versão híbrida 4xe.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español