SlideTecnologia

Top 10: quem domina o mercado de baterias de carros elétricos

Compartilhe!

Nada mais importante na jornada dos carros elétricos (ou C.E.) do que as baterias. Embora existam sempre listas regulares sobre o ritmo de vendas dos C.E. mais comercializados, como se pode ver encontrar em todas as mídias, os relatórios sobre a implantação e desenvolvimento das baterias são muito menos frequentes, apesar de estarem diretamente ligadas à popularização desse tipo de veículo.

As baterias são o elemento crítico na transição para os veículos elétricos e também nas grandes empresas fabricantes. A demanda por baterias de íons de lítio no setor automotivo aumentou cerca de 65% no ano passado, chegando em 2022 a 550 GWh (gigawatts), contra 330 GWh em 2021. Assim, é importante observar quais empresas estão liderando o caminho no fornecimento de baterias para a indústria de veículos elétricos.

por Marcos Cesar Silva, com a Clean Technica

CleanTechnica
CleanTechnica


As baterias para veículos elétricos leves (carros, SUVs e picapes) tiveram taxa de crescimento de produção mais rápida (+57%) do que os próprios C.Es. (+39%) em 2023, já que o mercado teve vários modelos introduzidos com baterias maiores, enquanto outros tiveram suas baterias superdimensionadas.

A CATL continua liderando, mas caiu de participação, de 31% para 29%, devido à sua taxa de crescimento ligeiramente abaixo da média. Talvez com a recente bateria Qilin e as próximas (e promissoras) baterias Shenxing, a fabricante de baterias recupere o espaço perdido.

Quanto à LG, manteve o segundo lugar, mas está vendo a BYD (+101%) ameaçar sua medalha de prata, com a fabricante chinesa de baterias saltando de 13% no primeiro semestre de 2022 para 19% no mesmo período deste ano. É esperado que a BYD ultrapasse a LG em um futuro próximo; se não for este ano, certamente será em 2024.

A Panasonic, que já foi líder nesse negócio na área de veículos elétricos automotivos, continua sua lenta queda na tabela. Agora está em 4º lugar, com 10% de participação, contra 11% no ano passado. Com seu principal cliente, a Tesla, agora recebendo componentes de vários fornecedores quando se trata de baterias, e sem outro grande cliente vindo para preencher esse espaço, a fabricante japonesa de baterias está perdendo a corrida em grande parte devido aos pequenos investimentos em veículos elétricos que as empresas automotivas japonesas ainda estão fazendo.

Em sexto lugar, a Samsung acompanhou o mercado e, depois ven a CALB, de crescimento lento e ficou em 7º lugar, mas os destaques estão vindo na sequência: oitavo lugar para a Farasis Energy (+135%), nono lugar a Envision AESC (+125%) e, em 10o., a Sunwoda (+113%), que estão aceleradas e procurando alcançar os que estão à frente. Elas tiveram taxas de crescimento significativas. Isso graças ao sucesso da GAC e à adição da Mercedes como cliente no caso da Farasis.

Quanto à AESC, a relação comercial em curso com a Nissan é a esperança da empresa, mas o grande reforço deste ano é a adição das operações norte-americanas da Mercedes. Embora não seja significativo no número total de C.Es. vendidos pela Mercedes, quando lembramos que cada SUV EQS tem uma bateria de 108 kWh, aí tudo faz a diferença. Finalmente, a Sunwoda está se beneficiando muito do crescimento da startup Leap Motor, da qual é sua principal fornecedora de baterias.

Com o mercado de veículos elétricos crescendo dois dígitos a dois dígitos em áreas como Europa e China, prevê-se que nos próximos anos não haja nenhum arrefecimento no setor. A única ameaça ao crescimento desta indústria é a capacidade de mineração dos materiais necessários para a sua produção.Como a capacidade média das baterias está aumentando, é esperado que o mercado de baterias continue crescendo ainda mais rápido, com taxas acima de 50% prováveis nos próximos dois anos. E quando chegarem as novas tecnologias de baterias, ficará consolidado de vez o carro elétrico.


Compartilhe!
1716953294