Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

VW: uma chave que abre 100 milhões de carros…

Compartilhe!

Mais uma enorme dor de cabeça para a Volkswagen, mas não só para ela. Desta vez o problema tem a ver com uma falha na segurança, que pode permitir aos ladrões mais engenhosos abrir as portas dos carros equipados com um sistema de chave por controle remoto. A questão é que isso se aplica a praticamente todos os veículos construídos pelo grupo alemão, ou seja, das marcas Volkswagen, Audi, Skoda e Seat, nos últimos 20 anos, cerca de cem milhões de veículos.

98_99_00_01_vw_beetle_golf_jetta_passat_flip_key_1j0959753t

A descoberta foi feita por uma equipa de cientistas da Universidade de Birmingham, na Inglaterra, e põe em risco a segurança de pelo menos 100 milhões de automóveis fabricados desde 1995, que podem ter suas portas destrancadas por meio do controle-remoto da chave “canivete”.

A versão digital da revista “Wired:, especializada em tecnologia, relata que há dois tipos de ataques possíveis: um afeta milhões de carros fabricados pelo Grupo Volkswagen; o outro envolve mais alguns milhões de automóveis de marcas como Alfa Romeo, Citröen, Fiat, Mitsubishi, Nissan, Opel e Peugeot.

Em comum entre os Vw e os demais está um pequeno dispositivo de rádio que capta os sinais do sistema de autenticação do controle remoto. Depois, basta associar a um software ligado a um laptop ou mesmo uma pequena placa Arduíno, que custa US$ 40.

“É possível construir um dispositivo que copia o controle remoto original”, afirmou um dos cientistas da Universidade à revista britânica. No caso dos carros do Grupo Volkswagen, é necessária alguma engenharia e encontrar um componente instalado na rede interna destes carros. A partir daí basta criar o código da chave comum a milhões de veículos. Depois disso, basta o rádio captar um outro sinal para combinar os dois números secretos num clone do sistema de autenticação. “A partir disso, podemos criar um controle remoto que tranca e destranca os carros quantas vezes quiser”, disse outro especialista da Universidade de Birmingham.

A única exceção encontrada em todo o grupo Volkswagen são os modelos que utilizam a plataforma MQB, ou seja, os novos Audi A3, TT e Volkswagen Golf e Tiguan. A Volkswagen emitiu um comunicado afirmando que os atuais modelos Golf, Tiguan, Touran e Passat são seguros e não estão em risco, mas não se manifestou sobre os modelos mais antigos.

As falhas vão ser reveladas ainda esta semana na Usenix (Associação de Sistemas Avançados de Computadores) em Austin, no Texas (Estados Unidos).

Lista de modelos VW afetados:
Audi: A1, Q3, R8, S3, TT
Volkswagen: Amarok, (New Beetle, Bora, Caddy, Crafter, e-Up, Eos, Fox, Golf 4, 5 e 6, Golf Plus, Jetta, Lupo, Passat, Polo, T4, T5, Scirocco, Sharan, Tiguan, Touran e Up
Seat: Alhambra, Altea, Arosa, Cordoba, Ibiza, Leon, Mii e Toledo
Skoda: City Go, Roomster, Fabia 1, Fabia 2, Octavia, SuperB e Yeti

Outras marcas:
Alfa Romeo Giulietta (2010); Citröen Nemo (2009); Dacia Logan II (2012); Fiat Punto (2016); Ford Ka (2009 e 2016); Lancia Delta (2009); Mitsubishi Colt (2004); Nissan Micra (2006); Opel Astra (2008), Corsa (2009), Vectra (2008) e Combo (2016); Peugeot 207 (2010), Boxer (2016); Renault Clio (2011) e Master (2011).


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español