Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

VW Voyage foi lançado há 35 anos, mas só tem 23 de mercado

Compartilhe!

Há 35 anos, em julho de 1981, as concessionárias Volkswagen no Brasil começavam a receber as primeiras unidades do Voyage. Derivado do Gol, o sedã já acumula mais de 1 milhão de unidades vendidas ao longo de sua história. Oferecido inicialmente apenas com carroceria de duas portas, o Voyage foi lançado nas versões S e LS, com opção de motores movidos a álcool ou a gasolina, ambos de 1.5 e arrefecidos a água. O câmbio era de quatro marchas. Errado imaginar que o carro tenha 35 anos de mercado. na verdade ele tem 23, pois deixou de ser produzido durante 12 anos (saiu de linha em 1996 e voltou em 2008).

voyage35-9
Como o Gol, o Voyage foi totalmente projetado e desenvolvido no Brasil e, ao longo de sua história, já teve mais de 410 mil unidades exportadas para 61 países. Quinto modelo Volkswagen mais vendido do mercado brasileiro, o Voyage registrou 14.102 unidades comercializadas no mercado nacional no acumulado do primeiro semestre de 2016.

Uma curiosidade: o Voyage não deriva tanto do Gol em sua origem como parece, apesar da semelhança óbvia. Explicamos. O primeiro Gol, de 1980, era arrefecido a ar, e com essa configuração mecânica deu origem, dois anos depois à pickup Saveiro. Os motores “a água” chegaram ao Gol só em 1985. Por outro lado, o Voyage, nascido em 1981, já chegou com motor arrefecido a água, e deu origem no ano seginte à Parati, também “a água”. Assim, apesar do mesmo embrião, Gol e Saveiro nasceram de uma forma, e Voyage e Parati de outra.

A produção do Voyage teve início na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, que fabricou 340.891 unidades do carro em dois períodos: entre 1981 e 1987 e entre 1990 e 1996. Nos anos de 1988 e 1989 o carro foi produzido na fábrica de Taubaté, no Interior do Estado de São Paulo. Desde 2008, o modelo é produzido exclusivamente na unidade de Taubaté, na mesma linha em que é fabricado também o Novo Gol.

O nome Voyage significa “viagem” em francês e foi escolhido para o carro pela conotação de qualidades como charme e beleza. O Voyage apresenta desenho agradável, com formas, linhas e proporções harmônicas, combinando imagem clássica com modernidade.

Pelo mundo

Uma curiosidade sobre as exportações do Voyage é que o sedã somente é comercializado com este nome na Argentina, onde também foi vendido com o nome Gacel (gazela, em espanhol, o que não daria muito certo por aqui). Nos demais países da América do Sul, América Central e México, o Voyage é conhecido como Gol Sedan.

Já nos Estados Unidos e no Canadá, onde foi vendido durante sete anos (de 1987 a 1993), foi chamado de Fox (o atual modelo com este nome ainda não existia) e somou mais 202 mil unidades comercializadas. Na ocasião, o Voyage exportado já contava com uma novidade para a época: o inédito sistema de injeção de combustível. Em relação às versões comercializadas no Brasil, os modelos Fox receberam aproximadamente 2.000 modificações, incluindo suspensão e câmbio de quatro marchas com “overdrive” (longo), e adequações às normas de segurança locais.

Atualmente, o Voyage é exportado para oito países: Argentina, México, Bolívia, Chile, Colômbia, Peru, Paraguai e Uruguai. Entre os 61 países onde o Voyage já foi comercializado estão Egito, Haiti, Libéria, Bahamas, Angola e Jordânia.

Evolução constante

A versão inicial do Voyage passou por inúmeras atualizações ao longo de sua história, marcada também por várias séries especiais, a começar pelo Voyage Plus, de 1983, e o Voyage Los Angeles, caracterizado pela cor azul metálica, que homenageava os Jogos Olímpicos realizados na cidade norte-americana. Sua produção se estendeu até 1996, quando o modelo foi substituído no portfólio da Volkswagen pelo recém-chegado Polo Classic.

Em 2008, com plataforma totalmente nova e desenvolvido simultaneamente com a quinta geração do Gol, o Voyage retornou ao mercado, trazendo motor transversal, maior espaço interno e tecnologia e conforto condizentes com os novos níveis de exigência do mercado brasileiro do século 21. Oferecido com motores TotalFlex 1.0 e 1.6, a partir do ano seguinte ele também passou a contar com a opção da transmissão automatizada I-Motion.

De lá para cá, ano a ano, o sedã vem se modernizando e inovando sua categoria. Seja em estilo ou em equipamentos de série. No início de 2016, o sedã recebeu na linha 2017, entre outras novidades, a evolução de design, um interior completamente novo e passou a contar com a tecnologia Volkswagen App-Connect, a mais inovadora em sistemas de mukltimídia no mercado, tornando-se o sedã mais “conectado” no mercado brasileiro, segundo a marca.

Cronologia

1981 – Lançamento do sedã, com duas portas, motor de 1,5 litro refrigerado a água (o mesmo usado no VW Passat) a álcool ou gasolina, nas versões S (Super) e LS (Luxo Super)

1982 – Eleito “Carro do Ano” pela revista Autoesporte. Início da fabricação também na Argentina, onde foi comercializado primeiro com o nome Gacel, e da exportação para países da América do Sul com os nomes Senda e Amazon

1983 – Primeira série especial, o Voyage Plus. Motor passa a ser 1.6

1984 – Lançamento da versão com quatro portas. Série especial Los Angeles, homenagem aos Jogos Olímpicos realizados nos Estados Unidos, na cor azul metálico e equipamento diferenciado como bancos Recaro e aerofólio traseiro (limitada a duas mil unidades). Câmbio de cinco marchas passa a ser oferecido como opcional

1985 – Passa a utilizar os motores AP (alta performance) 1.6 e 1.8

1986 – Série especial “GLS Super” com motor 1.8

1987 – Início das exportações para os Estados Unidos (Projeto 99), juntamente com a Parati. Durante sete anos, rebatizado de Fox, o Voyage, teve 202.062 unidades exportadas para os EUA. Para atender às exigências legais e do mercado americano, as versões CL (Comfort Luxo), GL (Gran Luxo) e GLS (Gran Luxo Super) passaram por aproximadamente 2.000 modificações, incluindo mudanças na suspensão, câmbio de quatro marchas com overdrive, novos faróis, lanternas e para-choques

1990 – Comemoração da produção de 600.000 unidades do Voyage no Brasil.

1991 – Nova dianteira: mudanças nos faróis, lanternas, grades, capô e para-lamas. O Voyage atinge a marca de 700.000 unidades produzidas, dessas mais de 400.000 foram destinadas ao mercado interno e o restante para o externo, principalmente para os Estados Unidos, e Argentina (onde recebeu o nome de Gacel e Senda), além de outros países da América Latina, África e Europa. Até 1991 a VW já havia exportado mais de 170 mil unidades para os EUA.

1993 – Série especial Sport, com motor 1.8

1994 a 1995 – Novas cores e revestimentos. Novos rádio e toca-fitas, como itens opcionais

1996 – A produção do Voyage é encerrada após 465.176 unidades fabricadas, dando lugar ao Polo Classic

2008 – Volta do Voyage após 12 anos de ausência do mercado. Desenvolvido juntamente com o Gol, o carro tem motor transversal 1.0 ou 1.6 e linhas completamente novas.

2009 – Versão I-Motion, com câmbio automatizado ASG e motor 1.6

2010 – Novos equipamentos de série: temporizador do limpador do para-brisa, Módulo Alto-falantes e o Módulo Preparação, nas versões 1.0 e 1.6

2012 – Alcança o marco de 1 milhão de unidades produzidas no Brasil. Sedã passa a contar com design global e equipamentos inéditos. Novo Voyage traz a nova geração de motores 1.0l, da família EA111. O novo propulsor traz a nova denominação TEC (Tecnologia para Economia de Combustível).

2014 – passam a utilizar nomenclatura global para diferenciar suas respectivas versões: Trendline, Comfortline e Highline. E mais: com a linha 2015, a Volkswagen lança o Voyage Evidence, posicionado acima da versão Highline

2016 – Modelo recebe evolução de design, interior completamente novo e a tecnologia Volkswagen App-Connect, a mais inovadora em sistemas de multimídia no mercado. Estreia do motor 1.0 de três cilindros Total Flex (82 cv) na linha Voyage.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español