Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Adeus: a Dodge decreta o fim dos motores HEMI V8 já em 2023. E lá se vão os muscle cars…

Compartilhe!

O mundo do automóvel vai ficar mais sem graça ainda, e por duas razões. Vão desaparecer os antológicos motores HEMI V8 e, com eles, os muscle cars da Chrysler. Isso mesmo. Se você é fã dos muscle cars americanos, essa notícia beira a tragédia: a Dodge decidiu colocar um ponto final em todas as versões Hellcat, equipadas com o motor Hemi V8, e isso á no final de 2023.

por Marcos Cesar Silva

Alvo de boatos que indicavam isso, a verdade é que a confirmação da notícia só surgiu agora, na sequência de uma entrevista do chefão da Dodge, Tim Kuniskis, a um site norte-americano. Falando durante o “Los Angeles Auto Show”, o próprio Kuniskis decretou que “restam apenas mais dois anos para qualquer cliente poder comprar um Hellcat. A partir daí, tornam-se história”!

Dodge Charger SRT Hellcat
Dodge Charger SRT Hellcat

Nestas declarações, o chefão da Dodge explicou que o famoso motor Hemi V8, que hoje em dia anunciar, na versão standard, 500 cv de potência e 64 mkgf de torque, vai ser produzido “até o final de 2023”. Sendo que a sua morte agora anunciada fica creditada, em parte, à legislação de emissões e suas pesadas sanções, que hoje em dia são aplicadas a motores como o que equipa as versões Charger ou o Challenger SRT Hellcat.

De resto, segundo o site MotorTrend, o caso é bem mais preocupante, já que, conforme também afirma o site norte-americano, “a Dodge está jogando fora a água do banho com o bebé lá dentro”. Justifica essa imagem o fato do principal executivo da Dodge assumir que, não serão só as versões Hellcat que vão desaparecer, mas “todos os automóveis Dodge do gênero que conhecemos hoje em dia e que sairão de produção, o mais tardar, quando chegarmos a 2024”.

Quanto ao Charger e ao Challenger, Tim Kuniskis afirmou que acabarão substituídos por “novos modelos, concebidos com base em novas plataformas”. Com o norte-americano se recusando, no entanto, a dizer se estes novos modelos manterão, ou não, seus famosos nomes e siglas.

A imprensa recorda, ainda, que estas decisões decorrem da nova estratégia “Never Lift” que a Dodge está implementando há algum tempo. E que, diga-se de passagem, não descarta o conceito norte-americano de “muscle car”, só que elétrico… Uma heresia para muitos.

Aliás, esta nova proposta está já perto de ser mostradea, com as notícias indicando que algum produto nesse esquema seja lançado no mercado, dentro de quatro ou cinco meses. Isto, depois de já ter sido divulgado, por meio de alguns “teasers”, no início deste ano (imagem abaixo).

O teaser que "anuncia" o futuro muscle car elétrico da Dodge
Este é o “teaser” que começou a anunciar o futuro “muscle car” elétrico da Dodge

Acompanhando este novo “muscle car” de zero emissões, a promessa de apresentação, ainda a curto prazo, de uma versão híbrida, cuja passagem à produção só deverá acontecer mais para o final de 2022.

Finalmente, o chefão da Dodge prometeu, ainda, “um modelo muito, muito importante, já no final deste ano”. Que, no entanto, poderá não ser SUV, mesmo com o Durango ainda sem garantias de continuar em produção.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español