Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

HB20 MOTORSPORT: será que os bons tempos voltaram?

Compartilhe!

O automobilismo brasileiro, após sua quase falência múltipla, onde apenas duas categorias se mantém no topo do sucesso e as demais afundam pelos mais diversos fatores, volta a respirar sem ajuda de aparelhos a partir de 2019, com a chegada mais do que bem-vinda da nova categoria de Turismo, a HB20 Motorsport!

por Renato Pereira, especial para AUTO&TÉCNICA

A multinacional sul-coreana Hyundai (modernidade, em coreano) fundada em 1967 em Seul, ocupa hoje a 4ª colocação no ranking das maiores montadoras do mundo. No Brasil, suas operações foram iniciadas nos anos 1990 pelas mãos do Grupo Garavelo, que importou diversos carros da marca e fez o possível e o impossível para destruir a imagem da empresa, com sua péssima assistência técnica, pós-vendas precário e carros na época ruins, imagem que só foi elevada e consolidada posteriormente pelo Grupo CAOA; hoje a montadora caminha aqui pelas próprias pernas, sob comando da matriz sul-coreana.

Com visão bastante voltada para o consumidor -entendendo o óbvio que apenas os mais tacanhos não percebem- o departamento de marketing da Hyundai buscou um lugar ao sol no mercado mundial para seus produtos na área certa para isso: as competições automobilísticas. Em 1998 criou a divisão Hyundai Motorsports, com apoio da britânica MSD (Motor Sports Development) e lançou o modelo Accent WRC para o World Rally Championship, parceria que se encerrou em 2003. Em 2012, o anúncio do retorno da montadora sul-coreana por meio da Hyundai Motors, subsidiária estabelecida em Alzenau, Alemanha, para cuidar dos interesses esportivos da marca, foi muito bem recebido mundialmente, novamente no WRC, com o modelo i20.

Com o foco continuado nos esportes a motor como grande divulgador das virtudes de seus modelos, a Hyundai Motorsport estreou 2016 com a versão R5 do i20 dentro do regulamento de vários campeonatos nacionais e regionais no mundo, para além do World Rally Championship-2, o European Rally Championship e o Tour European Rally. O sucesso obtido não cegou o marketing da montadora, pelo contrário. De olho no cenário mundial como um todo, a Hyundai Motorsport criou o modelo i30 N, destinado às competições de carros de Turismo, dentro dos regulamentos do TCR (Touring Cars Racing) International Series.

O TCR International Series é, como diz o nome, um campeonato internacional de carros de Turismo –denominação para carros de pista iguais ou similares aos que se vê nas ruas– criado como uma variação mais barata do FIA WTCC –World Touring Car Championship–, com modelos hatch médios de 2 litros turbo. O “internacional” do campeonato vem do fato de que praticamente todos os países imagináveis –e alguns inimagináveis…– aderiram ao formato técnico/esportivo proposto e criaram seus TCRs, entre eles Coréia do Sul, China, Singapura, Tailândia, Bahrein, Austrália, Portugal, Bélgica, Itália, Alemanha, Espanha, Rússia, Suécia, Lituânia, Polônia, Inglaterra, Suíça, Malásia e Japão, além do novo FIA WTCR, que reúne os carros do World Touring Car Champiosnhip, do TCR European Touring Car Cup e o TCR International Series num mesmo campeonato.

O i30 N 2018 é o primeiro passo da Hyundai Motorsport nas corridas de circuito, cujo carro é baseado no modelo i30 “de rua”, alimentado por motor turbo de dois litros e transmissão sequencial de seis velocidades. O italiano Gabriele Tarquini (BRC) lidera, empatado com o francês Yvan Muller (M Racing-YMR), a tabela de classificação de pilotos. A equipe BRC Racing Team lidera a classificação de construtores. Em comum, são as duas equipes que, com quatro Hyundai i30N, disputam o campeonato pela montadora sul-coreana, além de que, em sua primeira participação na “24 Horas de Nürburgring”, na Alemanha, terem conquistado o 2º e 4º lugares, respectivamente.

Ah, mas e o Brasil, porque não entrou nessa do TCR International Series? Porque no Brasil, se existem cabeças pensantes no mundo da velocidade, ou estão hibernando ou “forças ocultas” não as permitem usar da coerência e sensatez. Existem diversos campeonatos regionais de Turismo no Brasil. Cada um com um regulamento, cada um mais “dono da verdade” do que o outro e, o mais próximo de um campeonato nacional existente, é o Brasileiro de Turismo 1600. Como o nome sugere, seus carros usam motor de 1,6 litros. Modelos produzidos de 1997 a 2016 disputam a Categoria 2, e os modelos produzidos a partir de 2016 disputam a Categoria 1, em um campeonato com seis etapas. A Hyundai entendeu tudo isso. E se preparou, como você poderá ver na sequência desta matéria.

Muito bem, mas se no Brasil não temos o TCR International Series, porque expliquei tudo isso até agora? Simples!

Com aquela mesma visão apontada para o consumidor, entendendo o óbvio de que apenas os mais  limitados não percebem, o marketing da Hyundai buscou as competições para divulgar seus produtos!

Seguindo os passos mais do que bem sucedidos da Fiat quando Luiz Antônio Greco criou a Fórmula Uno nos anos 1990, e sabendo ser pouco inteligente alterar seu modelo para se adequar a regulamentos canibalistas que favorecem esse ou aquele modelo, sofrendo as restrições inerentes a seus carros tecnologicamente mais avançados, a montadora sul-coreana optou por criar sua própria categoria, a “HB20 Motorsport”, nos mesmos moldes bem-sucedidos de “Don” Greco, onde os motores serão preparados pela própria Hyundai Motorsport por meio da divisão H-Garage e sorteados a cada etapa para os 30 carros idênticos inscritos (podendo aumentar o grid com o desenrolar das 16 provas em rodadas duplas).

A HB20 Motorsport estreia em março de 2019, em evento conjunto durante toda a temporada com a Copa Truck e Mercedes-Benz Challenge, contando com transmissão ao vivo pela BandSports e livestreaming nas redes sociais; a temporada terá custo anual de R$200.000,00 para cada carro, em torno de R$17.000,00 por etapa, com direito aos treinos livres, qualificação e duas corridas; pneus e combustível inclusos. Mais em conta do que isso, não existe. Melhor plataforma de evolução como piloto, não existe. Maior retorno com o menor investimento, não existe.

O nome do campeonato já deixa claro que o carro da competição será o HB20 (HB, de Hyundai Brasil, plataforma i20), na versão RSpec, com alterações mecânicas essenciais para uso em pista, como nova configuração das suspensões, sistema de telemetria e estrutura de segurança interna. O motor 1,6 litros teve alguma preparação no cabeçote, e utiliza injeção Pro Tune PR4, gerando cerca de 160 cv de potência, com velocidade máxima na casa dos 200 km/h. O câmbio é mecânico de seis velocidades. 

Então, dentro destas especificações, a Hyundai Motorsport não só criou o HB20 RSpec para sua própria categoria como também o disponibiliza para quando, um dia, o Campeonato Brasileiro de Turismo 1600 estiver finalmente estruturado e organizado como merece ser e estar. 

Após longos anos de penúria automobilística, onde categorias boas afundaram e outras tentam tirar a cabeça do fundo do poço financeiro, mantidas rigorosamente sob o domínio do monopólio, regulamentos estapafúrdios e custos obscenamente impraticáveis, os bons tempos podem estar de volta com a chegada do HB20 Motorsport! Com todo o apoio da montadora, em conjunto com Pirelli, Sparco e Mobis, além da organização mais do que competente da turma da + Brasil Esportes, cuidando de tudo para que cada etapa seja um sucesso, é certo afirmar que esse grid inicial de 30 carros será, rapidamente, “engordado”, e vai ficar difícil alinhar tantos carros até o final da primeira temporada… 


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *