Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

TESTE: Chevrolet Onix Premier 1.0 Turbo

Compartilhe!

AUTO&TÉCNICA avaliou o carro mais vendido do Brasil. Depois de revelar o sedã Novo Onix Plus, no final do ano passado a Chevrolet lançou o esperado modelo hatch. Além do desenho interno e externo todo renovado, o carro traz muitas tecnologias, como seis airbags de série, Wi-Fi a bordo, sensor de ponto cego, assistente de estacionamento, motor 1.0 turbo e excelente acerto dinâmico, entre outros.

O Novo Onix Hatch chega nas versões de acabamento Onix, LT, LTZ e a top de linha Premier, que AUTO&TÉCNICA avaliou. Existe ainda três “pacotes” de acessórios originais: Adventure, Sport e Elegance. O kit Adventure traz rodas diferenciadas, rack no teto e protetores de para-choques; o kit Sport traz spoilers frontal, traseiro e saias laterais, além das rodas escurecidas. Já o Elegance tem itens cromados para deixar o carro com aparência mais sofisticada. Podem ser adquiridos nas concessionárias, ou mesmo em compras avulsas.

Comparado com a versão anterior, que continua em produção, o Novo Onix está maior, mais sofisticado, mais refinado, mais tecnológico e manteve praticamente o mesmo preço; a versão avaliada custa cerca de R$ 75 mil. Quer mais novidades além das que já citamos? Vamos lá. Controle eletrônico de estabilidade, o assistente de partida em rampa e o limitador de velocidade como itens de série em todas as versões. Tudo isso somado à sua estrutura reforçada e outros cuidados, colocam o Onix como referência de segurança em seu segmento.

A GM destaca que todas essas melhorias se devem à utilização de um projeto moderno, que usa arquitetura modular global. Aí você coloca motor 1.0 turbo, direção com assistência elétrica e amortecedores recalibrados, e surge um pesadelo para os concorrentes.

Esta segunda geração do Onix chega como motores inteiramente novos, de três cilindros, da linha Ecotec. Está disponivel em duas configurações: 1.0 aspirado (até 82 cv/10,6 mkgf) e 1.0 com turbo (até 116 cv/16,8 mkgf), como o avaliado. Os problemas com o software, que causaram incêndio em duas unidades, foram solucionados.

O Onix hatch acelera de zero a 100 km/h em até 10,1 segundos tanto no manual quanto no automático. O motor, apesar de pequeno, dá tranquilidade ao motoridta, e nas acelerações, ultrapassagens e retomadas, o turbo ajuda e muito. O câmbio automático de seis marchas com ótima calibragem, funciona suave, sem trancos e com trocas suaves e imperceptíveis.

O motor turbo é moderno, e tem bloco de alumínio, cabeçote com duplo comando de válvulas variável, coletor de escapamento integrado, bomba de óleo de duplo estágio e pressão variável, entre outros cuidados. Com gasolina, o Onix hatch faz 16,5 km/litro na estrada e 13 km/l na cidade. Com etanol, faz 11,5 km/l e 10 km/l, respectivamente.

Direção elétrica bastante precisa, freios eficientes e suspensão com ajuste mais firme deixam o Onix hatch bem tranquilo para quem busca uma condução mais esportiva, apesar dessa não ser sua proposta.

Além de Wi-Fi nativo, que estreou no Cruze, completam a lista de novidades o evoluído multimídia MyLink, carregador sem fio para smartphones, ar condicionado digital, acendimento automático dos faróis, chave eletrônica e lanternas com leds. Um aplicativo para smartphone e smartwatch facilita a vida, pois permite ao motorista consultar informações do computador de bordo, monitorar a movimentação do carro ou climatizar o interior a distância.

A verdade é que, se o Onix já era bom, com tantas novidades e o desenho completamente renovado, se tornou melhor ainda. O carro ganhou personalidade, alinhado com o que há de mais atual no mundo na categoria, e chama atenção por onde passa.

O Onix traz a nova linguagem estética dos veículos globais da Chevrolet, deixando de lado a cansada e surrada grade bipartida, usada à exaustão. Ficou maior, e o hatch tem 4163 mm de comprimento, 1476 mm de altura e 1731 mm de largura, com entre-eixos de 2551 mm.

Na dianteira, destaque para a nova grade, com a parte inferior mais ampla para otimizar o arrefecimento do motor, enquanto a parte superior da grade, bem mais estreita, traz um friso horizontal cromado que une os faróis, com a “gravatinha” dourada ao centro.

Na versão Premier que avaliamos, os faróis são mais bem cuidados, o que ressalta a proposta mais sofisticada deste top de linha. As luzes diurnas estão na parte inferior do para-choque, que ainda tem desenho bem trabalhado, sempre pensando na aerodinâmica; o capô é bem inclinado e tem vincos que se prolongam pelo teto, tudo para favorecer a aerodinâmica.

A lateral tem linha de cintura alta e vincos que realçam a impressão de dinamismo do carro. Um friso cromado na base dos vidros traz sofisticação ao Premier; as rodas de aro 16 se cinco raios tem desenho exclusivo. Na traseira, o Novo Onix hatch tem a tampa traseira bem desenhada e spoiler na parte superior. As lanternas são horizontais. No vidro traseiro existem defletores de ar, como já usados desde a primeira geração do Cruze hatch.

O para-choque conta com refletores catadióptricos (ou “olho-de-gato”) verticais nas extremidades do para-choque. Há um amplo painel escuro na área inferior do para-choque, onde vai a placa, com bom efeito visual.

Por dentro, espaço para quatro ocupantes (o quinto é sempre sacrificado, como na maioria dos carros pequenos e médios). O volante tem novo desenho, boa empunhadura, ajuste de altura e profundidade e botões para diversos comandos.

Os bancos dianteiros com encosto alto. Neste top de linha, é possível escolher entre duas combinações de acabamentos premium para o interior: preto com cinza ou preto com caramelo (na nossa opinião, esta cor caramelo está numa tonalidade muito feia, se fosse mais escura, ficaria melhor).

Os ocupantes traseiros não foram esquecidos. O espaço foi ampliado, e o banco redesenhado. Existem duas tomadas USB no console. Em geral, o interior é confortável e o ambiente agrada visualmente. O porta-malas não é imenso e tem 275 litros de capacidade, suficientes para uma família não muito grande.

O painel tem desenho agradável e simétrico. O quadro de instrumentos tem velocímetro e conta-giros analógicos, de fácil leitura, com bordas cromadas e ponteiros iluminados por led. Entre os dois instrumentos principais, fica o computador de bordo.

Um destaque é o sistema multimídia, e no caso do Onix, trata-se do MyLink de nova geração. Posicionado no centro alto do painel, permite acesso fácil às suas funções, inclusive controle do ar condicionado digital com recirculação automática (no Premier).

Esta nova geração do multimídia MyLink se mostra mais responsiva aos comandos, com maior velocidade de processamento, novo visual, maior resolução gráfica e possibilidades de customização. Além disso, oferece pareamento simultâneo de até dois celulares por Bluetooth.

Este multimídia é compatível com os sistemas Android Auto e Apple CarPay para projeção de aplicativos, incluindo os principais de trânsito e de trocas de mensagens. Para não distrair o motorista, há comandos por voz.

O Novo Onix identifica o motorista pela proximidade da chave presencial eletrônica, e permite destravar as portas e acionar a partida por meio de botão. Como dissemos antes, é possível iniciar a climatização do interior remotamente, pelo aplicativo.

Interessante recurso é a internet a bordo que, inclusive, se existir alguma atualização disponível para os módulos eletrônicos do carro, a operação pode ser feita de forma remota, via internet, sem necessidade de recorrer à concessionária.

A antena amplificada do sistema Wi-Fi proporciona sinal até 12 vezes superior em deslocamentos, além de segurança cibernética de alto nível. O Wi-Fi da Chevrolet é parceria com a Claro. Além dos 3 GB ou três meses de cortesia, o cliente poderá adquirir planos de dados adicionais de até 20 GB/mês.

Outra novidade que chegou com o Novo Onix é o aplicativo myChevrolet, que permite maior interação entre o usuário e o carro. Por esse aplicativo é possível acessar, por exemplo, informações do computador de bordo, como nível de combustível, vida útil do óleo e pressão dos pneus. Ele traz ainda informações de eventuais recalls.

Por 10 longos anos, alertas e diagnósticos do veículo, notificações de manutenção e relatórios de condução inteligente são gratuitos.

Outra comodidade para o motorista é o sensor crepuscular, que identifica a luminosidade baixa e aciona os faróis. No caso de acidente, o carro pode avisar a central do OnStar a sua posição para envio de socorro. Ajuda para estacionar? Também tem. O carregador de celular por indução (sem fio) é outra tecnologia oferecida no Novo Onix. Até então, estes recursos eram exclusivos de veículos muito mais caros.

Resumindo. Apesar de todo novo, pouca coisa vai mudar na trajetória deste novo Onix. Ele seguirá sua vida como o carro mais vendido do Brasil e ainda atrairá uma nova faixa de público, que busca um carro mais atual, tecnológico e completo. Uma nova e interessante história para o Chevrolet Onix. 


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *