Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

TESTE: Ford Ranger Storm 3.2 4×4

Compartilhe!

A nova picape Ford Ranger Storm começou a nascer lá em 2018, como um veículo conceitual, apresentado no Salão do Automóvel. Mesmo com boa aceitação do público, a Ford esperou até sua picape média receber a segunda reestilização, no final do ano passado, para então colocar nas ruas a versão aventureira no final de março deste ano. Por conta das atribulações causadas pela pandemia, demorou um pouco para AUTO&TÉCNICA receber a picape para avaliação, mas finalmente isso aconteceu.

Esta versão combina o nível de equipamentos pacote da versão XLS, que é a intermediária, com o motor 3.2 a diesel das versões mais completas; a ideia é conquistar mercado oferecendo uma boa relação custo/benefício.

Debaixo do capô, a Ranger Storm exibe o motor Duratorq 3.2 a diesel, com 200 cv de potência máxima e 47,9 mkgf de torque máximo, acoplado ao câmbio automático de seis marchas (6R80). Boa parte desse torque está disponível já em baixas rotações. Isso torna a picape muito agradável de ser dirigida nas vias urbanas, e também em rodovias, com muita disposição para ultrapassagens e retomadas. O motor tem baixo nível de ruído.

 

(foto: Ford/Divulgação)

De imedito, chama atenção a grade exclusiva da versão, que traz em destaque o nome “Storm” da versão. Como a grade, outros detalhes são pintados de preto, incluindo as rodas aro 17, coberturs dos retrovisores, bordas dos para-lamas, “santantônio”, para-choque traseiro e estribos. Os cromados foram deixados de lado para garantir o aspecto despojado e aventureiro.

Outros detalhes deixam a picape com mais agressivo, como o “santantônio” que, além da pintura preta, se estende pela borda da caçamba, estribos mais parrudos, pneus indicados para uso misto e adesivos decorativos. A versão também é equipada com protetores do tanque de combustível e do cárter.

(foto: Ford/Divulgação)

Para garantir a boa desenvoltura nos percursos fora de estrada, a Storm tem tração 4×4 e reduzida. Os pneus de uso misto garantem bom rendimento no off-road, sem sacrificar além do aceitável o conforto e ruído de rodagem. As suspensões tem o comportamento que se espera das picapes, pois são projetadas para trabalhar com peso. A direção tem assistência elétrica.

(foto: Ford/Divulgação)
(foto: Ford/Divulgação)

Trata-se de uma picape média de cabine dupla, com bom conforto para os ocupantes e caçamba 1,49 metros de comprimento por 1,56 m de largura. O compartimento de carga conta com “santantônio” e ganchos para fixar os volumes, mas não tem protetor de caçamba ou capota marítima de série, itens vendidos como acessórios pelas concessionárias.

O estepe fica sob a caçamba, e, devido a seu valor, sempre atrai a atenção dos ladrões. Na verdade, essa configuração de carroceria é mais usada como veículo “de passeio”. A tampa da caçamba tem fecho com chave (acredite, tampas de caçamba de todo tipo de picape são alvo constante de amigos do alheio) e ainda tem a operação bastante leve.

(foto: Ford/Divulgação)
(foto: Ford/Divulgação)
(foto: Ford/Divulgação)

O interior é simples, mas bem acabado, com bancos revestidos por tecido e tapetes emborrachados, para facilitar a limpeza, de acordo com a proposta da picape. É grande o uso de plástico, o que dá o visual muito simples ao interior de um veículo naturalmente caro. É o que se paga (sem trocadilho) para obter preço competitivo…

(foto: Ford/Divulgação)

Quanto ao nível de equipamentos, ela não oferece recursos de veículos luxuosos, como partida sem chave, sistemas de auxílio autônomos, revestimentos sofisticados ou ajustes elétricos nos bancos, mas traz o necessário condiconador de ar bizone e bons recursos de segurança.

Para o motorista e ppassageiro, os bancos tem ajustes manuais, enquanto o banco traseiro leva até três ocupantes, mas garante conforto para apenas dois; o túnel do assoalho sacrifica um pouco o passageiro central. O acionamento elétrico dos vidros traz “one touch” apenas para o motorista.

Além do visual diferenciado, a Ranger Storm tem o nível de equipamentos da versão  XLS 2.2 Diesel 4×4 AT6. Seu principal argumento de vendas é mesmo o motor, pois o preço é apenas cerca de R$ 1 mil mais barato que a versão XLS (R$ 186.890), mas traz motor maior e bem mais potente. Custa hoje R$ 185.790.

Com proposta aventureira garantida pelo 4×4 e posicionamento intermediário na escala de versões, a Ranger Storm está equipada ainda com o sistema multimídia Sync 3, com tela touchscreen de 8 polegadas. Nesta versão, não inclui GPS nativo, mas permite “espelhar” o smartphone (Apple CarPlay ou Android Auto). Isso permite utilisar aplicativos como o Waze, enquanto o uso de mídias inclui CD Player, rádio, Bluetooth e entradas USB. Também há função de telefonia.

O volante tem diversos botões, e as principais funções podem ser acionadas também por comando de voz. O Sync 3 traz ainda um assistente de emergência, que liga automaticamente para o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) caso os airbags sejam acionados ou aconteça corte do combustível (colisões traseiras ou capotamento).

CONCLUSÃO

Visual robusto e ao mesmo tempo esportivo, e equipada com conjunto motor/câmbio da versão Limited, a top de linha, a Ranger Storm garante eficiência, aventura e diversão, com bom nível de conforto e segurança. Para quem gosta de diversão no fora-de-estrada, é uma opção que deve ser considerada. Afinal, é uma legítima picape Ford, no melhor estilo americano. E de picapes a Ford entende…



Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *