Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Toyota salva seu mais antigo carro de corridas ainda existente

Compartilhe!

Este Toyota Sports 800 de 1965 acabou de ser apresentado pela Toyota. Salv e restaurado, a marca japonesa acredita ser este o mais antigo carro de corridas por ela fabricado ainda existente. Em resumo, uma verdadeira jóia.

Derivado do 800 de produção, que foi também o primeiro esportivo comercializado pela marca japonesa, este Toyota Sports 800, com o chassi número 10007, terá sido uma dos quatro unidades convertidas para competição, que participaram do “500 km de Suzuka” de 1966. Esta unidade em especial terminou a prova no segundo lugar, pilotada por Mitsuo Tamura.

Embora com potência máxima de apenas 46 cv, retirada de um motorzinho de 790 cm3, a vitória na corrida -em que participaram rivais com motores de 2.0 litros- acabou mesmo sendo de um dos Toyota Sports 800. Tudo graças ao seu baixo peso e à aerodinâmica extremamente eficiente.

Desenvolvido por Tatsuo Hasegawa, ex-engenheiro aeronáutico e “pai” do primeiro Corolla, usou os seus conhecimentos para definir uma forma aerodinamicamente eficiente para o Sports 800. Na época, o trabalho por ele desenvolvido no túnel de vento foi considerado revolucionário na indústria automotiva.

Também inovou no capítulo da construção, tendo sido o primeiro modelo japonês de produção a recorrer a uma combinação de aço e alumínio, fato que lhe permita ter peso de 580 kg.

Na corrida em Suzuka, a combinação de baixo peso e baixa resistência aerodinâmica, permitiu que os Sports 800 fizessem médias de 9 km/litro de gasolina em ritmo de corrida, o que garantiu enorme vantagem, tendo sido os únicos que não tiveram de parar para reabastecer. Situação que levou, inclusive, os organizadores da prova a vistoriar os tanques de combustível, apenas para descobrir que, não só estavam em conformidade com o regulamento, como ainda tinham 30% de combustível.

Eesta unidade, que correu com o número 3, foi descoberto numa garagem e recuperado pela divisão de competição Toyota Gazoo Racing, que decidiu pintá-lo com a mesma decoração já usada no Yaris WRC e no protótipo LMP1.

A restauração foi feita com base em informações antigas, a partir das quais foi possível reconstruir componentes e fabricar novas partes, permitindo assim a reconstrução de mais de metade da carroceria. O mesmo aconteceu com a suspensão de competição e os componentes do motor.
 

 


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *