Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Você acha a Bugatti cara? Imagine a manutenção…

Compartilhe!

Que a compra de um Bugatti só está ao alcance de alguns poucos milionários ao redor do mundo, todos sabemos. Afinal, é cara, muito cara. Mas, e manutenção? Absurdamente custosa, acredite.

Considerada referência entre os principais fabricantes de hiperesportivos de alto luxo, a Bugatti continua sendo um caso à parte, não indo além da produção de um exemplar por vez, com produção artesanal, volumes reduzidos e preços assustadoramente altos.

Com o único motor W16 quadriturbo da indústria automotiva, de 1200 cv de potência máxima na Veyron e 1500 cv na Chiron, é equipado com algumas das tecnologias mais avançadas do setor. Por isso, a realidade é que não basta ter dinheiro para comprar uma Bugatti; é preciso ter também outra montanha de grana para a manter em ordem. Custa mais que um filho.

Assim, e apenas como início de conversa, é preciso lembrar que qualquer Bugatti Chiron ou Veyron, só pode ser atendida num lugar: as oficinas oficiais da marca, ou então, no caso de ser uma intervenção urgente e mais simples, por um dos três já famosos “Flying Doctors”. Por telemetria, a fábrica monitora cada carro vendido, controlando a distância até a calibragem dos pneus.
Bugatti Flying Doctor 2018

Os “Flying Doctors” são engenheiros experientes que o fabricante deixa de plantão. Estes “doutores” estão sempre prontos para viajar, de imediato, para qualquer ponto do planeta, para socorrer qualquer veículo da marca.

No caso do carro precisar ser despachado para uma oficina oficial ou até mesmo para a sede da Bugatti, em Molsheim (o que, em muitos casos, é o que acontece…), na Alsácia francesa, a marca garante o seu retorno, após reparação, para a própria casa do cliente, ou onde quer que ele deseje.

Pensar em driblar esta obrigatoriedade, apenas para fugir dos custos elevados, significa perder a garantia de fábrica, com todos os problemas daí recorrentes. Um carro deste porte não é algo que se admita passar pela vida sem o cumprimento rígido de um plano de manutenção.

Mas vamos aos números. Segundo revela Salomondrin, um conhecido youtuber que não tem problemas em revelar todos os detalhes dos carros que tem na garagem, trocar o óleo de uma Bugatti Veyron custa qualquer coisa como US$ 21 mil, enquanto substituir os quatro pneus custa US$ 30 mil; afinal, são pneus desenvolvidos pela Michelin, específicos para a Veyron, capazes de suportar velocidades de até 415 km/h. Ou por alguns segundos, 431 km/h.

No entanto, caso haja a necessidade de trocar, digamos, pelo menos três pneus, a Bugatti recomenda igualmente que se troque também as quatro rodas. Isto devido à necessidade de aplicação de um adesivo especial, na roda, que melhora a fixação entre ela e o pneu, nos esforços de transmissão dos 150 mkgf de torque ao solo. Preço desta necessidade? Exatos US$ 120 mil.

Finalmente, quanto às revisões programadas, que são anuais, têm custo médio de US$ 35 mil.

Achou tudo isso caro? A própria Bugatti tem uma solução capaz de atenuar todos estes custos: um plano de revisões e reparações integral, por US$ 50 mil ao ano. É verdade que não engloba pneus e rodas mas, pelo menos, quanto ao resto você vai poder dormir um pouco mais tranquilo…


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español